Nas tormentas da vida, a paz vem da Rocha Sólida.

"Eis a Rocha! Suas obras são perfeitas” (Deuteronômio 32:4).


Conta-se uma história acerca de um rapaz que fez uma caminhada pelas trilhas do interior da Inglaterra. Ele começou a subir uma colina e, de lá, contemplou uma tranquila paisagem que o Mestre Artista devia ter pintado. Mas, de repente, o vento começou a soprar forte, as nuvens ficaram espessas, os relâmpagos riscaram o céu e uma chuva forte começou a cair. O rapaz buscou abrigo, mas as escassas árvores da colina ofereciam pouca proteção. Ele estava ficando molhado até os ossos. Os raios pareciam estar caindo muito perto.

Foi então que ele viu uma rocha que se projetava perto do alto da colina. Ele correu até ela e verificou que havia uma rachadura larga o suficiente para ele entrar. A rocha erguia-se acima dele, oferecendo total abrigo da chuva.

Ao secar-se, esperando que a tormenta passasse, aquele jovem lembrou-se das lições sobre Deus que aprendera ainda criança, lições sobre a maneira como o Pai nos esconde no abrigo de Suas mãos. De volta para casa, ele começou a escrever alguns versos: “Rocha Eterna, meu Jesus, Tu morreste lá na cruz! Vem de Ti um sangue tal / Que me vem lavar do mal! / Traz as bênçãos do perdão: / Paz, conforto e salvação.” O hino “Rocha Eterna” se tornou um dos mais amados de todos os tempos.

Nas tormentas da vida, a paz vem da Rocha Sólida. NEle está o verdadeiro descanso. Uma serena confiança inunda nossa alma. Se estamos seguros nEle, nosso angustiado coração encontra paz e nossas ansiedades cessam.

Por todas as Escrituras, Cristo é a rocha firme da qual podemos depender. Ele é a pedra inamovível com a qual podemos contar, a fortaleza impenetrável a proteger-nos do inimigo. Ele é nosso firme fundamento nas tormentas da vida.

Essa imagem da rocha é especialmente rica nos Salmos. Salmo 31:3 declara: “Porque Tu és a minha rocha e a minha fortaleza”. Salmo 94:22 acrescenta: “Mas o Senhor é meu baluarte e o meu Deus, o rochedo em que me abrigo”. Em Salmo 61:2, o salmista exclama: “No abatimento do meu coração, leva-me para a rocha que é alta demais para mim”.

Ele é nosso abrigo, nossa proteção, nossa defesa. Ele é nossa paz.

Mensagem:
Música: Vocal ABBO, “Rocha Eterna”
Escrito Amilton Menezes


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por que você não deixa que Deus decida com o que vai se preocupar?

O Sentido da Vida... sempre preocupou a humanidade

O PAPEL DAS ESTRELAS