Pular para o conteúdo principal

Abramos e leiamos a Carta do Pai!



Ler a Bíblia é a melhor forma de ouvir Deus falar!
Por Antonio Fonseca


Imaginemos a seguinte situação hipotética: 

Uma pessoa nasce e cresce sem ter conhecido seu pai. Conforme vai crescendo e sentindo a falta do pai, começa a despertar o desejo de conhecê-lo e de saber o motivo de sua ausência. Então, tem início a busca para saber o que de fato aconteceu com seu pai. Mas não obtém respostas.



Ao completar dezoito anos, recebe em sua casa uma correspondência cujo remetente traz o nome de seu pai, a quem sempre desejou conhecer. 



Se você fosse essa pessoa e recebesse essa carta, o que você faria? O mais lógico seria abri-la imediatamente e lê-la, a fim de descobrir tudo o que sempre teve curiosidade e vontade de saber sobre seu pai, como, por exemplo, onde ele mora, o que ele faz, por que não esteve com ele durante todos esses anos... Enfim, os motivos reais de tudo o que aconteceu que o levou a se ausentar.



Essa pessoa ficaria totalmente concentrada na leitura e, com certeza, leria tudo com muita atenção, observando cada detalhe do texto, tentando satisfazer o desejo que sempre a acompanhou: o de conhecer seu progenitor. 




Agora, analise o seguinte:

Todos nós, principalmente os evangélicos, aprendemos, desde de muito cedo, que a Bíblia é a Palavra de Deus. Aprendemos que Deus é o nosso Pai celestial. Aprendemos que Deus nos ama e quer o melhor para cada um de seus filhos. E tudo o que podemos saber sobre Deus, o nosso Pai, está registrado em sua Palavra, as Sagradas Escrituras.




Aí vem outra questão: 

Como evangélicos, cremos em tudo isso. E uma das nossas marcas (ou características) é carregar, falar e compartilhar com outras pessoas o Santo Livro. Mas, infelizmente, o que temos notado em nosso meio atualmente é um grande desinteresse pelo conhecimento bíblico. A maioria dos evangélicos nunca sequer leu a Bíblia inteira, a Carta que o nosso Pai celestial nos deixou. 



Para lermos a Bíblia toda durante um ano, teríamos apenas de dedicar quinze minutos diários à leitura diária de três capítulos da Palavra de Deus. Isso significa que, dos 1440 minutos (24 horas vezes 60 minutos) que o nosso Deus nos concede todos os dias, precisamos tão-somente utilizar 1% desse tempo para lermos a Bíblia toda em um ano. 



Sabemos que quando oramos falamos com Deus e quando lemos a Bíblia Deus fala conosco. Mas muitos preferem negligenciar a Carta de Deus, o nosso Pai, para poderem ouvir Deus falar de outras maneiras não tão seguras e, às vezes, extremamente arriscadas. 



Ora, se sabemos e ensinamos que a Bíblia é a Palavra de Deus, e que na Bíblia encontramos a vontade divina para toda a humanidade, o que justificaria tanta gente não conseguir ouvir Deus falar ou procurar novas maneiras para ouvi-lo? 




Outro detalhe interessante:

Temos, hoje, vários e fáceis acessos aos Escritos Sagrados, o que não ocorria no passado,seja por meio da imprensa escrita ou pela Internet. Dificilmente encontraremos uma família brasileira que não possua pelo menos um exemplar das Sagradas Escrituras. É possível encontrá-la em todos os segmentos da sociedade.



Precisamos parar, pensar e, com sinceridade, responder às seguintes perguntas:



“Será que queremos realmente ouvir Deus falar?
 Será que queremos realmente conhecer o nosso Eterno Pai?”. 




Se a resposta for afirmativa, vamos, então, todos os dias da nossa vida, ouvi-lo pelo menos quinze minutos por dia, lendo, individualmente, a preciosa Carta que Deus, o nosso Pai, nos deixou. Com certeza, não somente aumentaremos a nossa relação amorosa com o nosso Pai celestial, mas também estreitaremos nosso contato, falando-lhe, por meio de nossas orações, e ouvindo-o, por meio da leitura de sua Palavra. 




Com certeza, também, aprenderemos, pela Palavra de Deus,


onde Ele mora,
o que Ele tem preparado para nós, seus filhos,
e quando iremos conhecê-lo pessoalmente,
alvo e anelo máximos de todo legítimo cristão.



Então, o que estamos esperando?
Abramos e leiamos a Carta do Pai!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por que você não deixa que Deus decida com o que vai se preocupar?

Talvez você não queira incomodar Deus com suas dores. Afinal de contas, “Ele tem a fome mundial, pestes e guerras para se preocupar. Ele não vai se importar com meus pequenos problemas,” você pensa. Por que você não deixa que Ele decida com o que vai se preocupar?
Jesus se importou com uma festa de casamento o suficiente para providenciar vinho. Ele se importou o suficiente com a mulher perto do poço para responder às perguntas dela. 1 Pedro 5:7 diz “Ele tem cuidado de vocês.”
Seu primeiro passo deve ser ir para a pessoa certa. Vá para Deus. O segundo passo é tomar a postura certa. Curve-se diante de Deus. Lucas 18:7-8 nos relembra“Acaso Deus não fará justiça aos Seus escolhidos, que clamam a ele dia e noite?…Ele lhes fará justiça, e depressa.”
Ouça à oração em Salmo 25:1-2: “Senhor, a ti elevo a minha alma. Em ti confio, ó meu Deus.” Então, vá…curve-se e confie. Vale à pena, não acha?
mensagem de Max Lucado De “Aliviando a Bagagem”
~~~~~~~~~~~~~~~~~~ #DevocionalDádivasDoSenhor

O PAPEL DAS ESTRELAS

Então [Deus] o levou [Abraão] fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar.

Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo (Gênesis 15:5; Filipenses 2:15).


Saia de casa em uma noite estrelada e olhe para o céu: nosso grande Criador crivou a abóbada celeste com uma multidão de estrelas, que formam parte da luz que ele nos deu. Da mesma forma, Deus também colocou os cristãos nas trevas morais deste mundo para brilharem "no meio de uma geração corrompida e perversa".
Uma estrela é um objeto celestial, e este é o verdadeiro caráter dos crentes: eles nasceram de Deus e, portanto, pertencem ao povo celestial (1 Coríntios 15:40-48). Portanto, convidam as pessoas a olharem para cima e lembrar que há um Deus sábio e todo-poderoso, infinito como o universo, um Deus de quem receberam a vida, e diante de quem um dia terão de prestar cont…

O Sentido da Vida... sempre preocupou a humanidade

"Por que vivo?",  "Qual a razão da vida?",  "Qual o objetivo de viver?"
Mary Roberts Rinehart disse sobre o sentido da vida: "Um pouco de trabalho, um pouco de sono, um pouco de amor, e tudo acabou."  Edmund Cooke afirmou: "Nunca vivemos, mas sempre temos a expectativa da vida."  Colton:  "A alma vive aqui como numa prisão e é liberta apenas pela morte."  Shakespeare:  "Viver é uma sombra ambulante."  R. Campbell: "Viver é um corredor empoeirado, fechado de ambos os lados."  Rivarol: "Viver significa pensar sobre o passado, lamentar sobre o presente e tremer diante do futuro."

Será que todas essas não são afirmações bastante amargas e desanimadoras sobre o sentido da vida? Parece que todos falam apenas de existir e não de viver verdadeiramente.
Jesus tocou no âmago da questão ao dizer: "Eu sou... a vida" (João 14.6). Por isso o apóstolo Paulo escreveu sobre o sentido da sua vida: "Porquant…