Porei nas mãos do Senhor os pequenos intervalos da perfeita paz!


Com a ajuda do Senhor e a partir deste momento, não vou carregar malas e malas de coisas que me tiram a paz. Algumas vão para o lixo e outras, para os ombros do Senhor. Deus há de ajudar-me a separar umas das outras, como se separa o trigo do joio.

Certamente porei no caminhão de lixo as lembranças desagradáveis, as amarguras que pessoas próximas e distantes me causaram, as injustiças que penso ter recebido, as tristezas passadas que deveriam ter sido esquecidas e, o que é mais fácil, a papelada que documenta tudo o que aconteceu de ruim em tempos remotos e recentes.

Entretanto, nos ombros do Senhor, porei aqueles intervalos da perfeita paz dos quais fala o profeta Isaías: “Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti” (Is 26.3). São intervalos de pequena duração, porém desagradáveis, como a diminuição da alegria, a diminuição do ânimo, a diminuição do fervor religioso, a diminuição do amor, a diminuição da fé, a diminuição do desejo de ler a Palavra de Deus e orar, a diminuição da paciência, a diminuição da tranquilidade.

Sei que o problema não é só meu. Se os salmistas não tivessem passado por esses intervalos, o livro mais longo da Bíblia não seria o mais lido. Em muitas ocasiões, eu me vejo ali. Não encontro nos Salmos uma pessoa continuamente segura e emocionalmente estável. Ao contrário, deparo-me com alguém que diz: “Estou muito doente”; “Estou me afogando em meus pecados”; “Estou muito abatido e encurvado, e choro o dia todo”; “Sinto-me completamente abatido e desanimado”; “O meu coração está aflito”; “Estou fraco”; “Estou quase caindo e o meu sofrimento não acaba mais” (Sl 38). Acontece que essa mesma pessoa também escreve: “Eu me deito e durmo tranquilo” (3.5); “Por causa de ti eu me alegrarei e ficarei feliz” (9.2); “Ainda que eu ande por um vale escuro como a morte, não terei medo de nada” (23.4); “O meu coração está feliz e eu canto hinos em louvor a Deus” (28.7); “Somente em Deus eu encontro paz; é dele que vem a minha salvação” (62.1).

Se esse poeta, ora está bem, ora está mal; ora dorme a noite toda (Sl 3.5), ora chora a noite toda a ponto de encharcar de lágrimas o travesseiro (Sl 6.6) -- que impressão eu devo ter dele? Minha conclusão é que ele sofre dos mesmos intervalos dos quais eu sofro. Intervalos que danificam a perfeita paz por um pequeno período de tempo.

Qual é a razão dos meus intervalos e dos intervalos do salmista? Eu diria que eles são complexos e difíceis de discernir. Certamente são intervalos causados pela minha humanidade e pela humanidade alheia. Podem ser provocados pelo intranquilizador-mor, aquele que fez o que fez com o patriarca Jó. Porém, também creio que, por razões terapêuticas, o Senhor mesmo pode ser o causador dos intervalos, ou aquele que os permite, para tornar a pôr os meus pés no chão e para tornar-me simpático aos outros que passam pelos mesmos intervalos.

O que importa é que, de hoje em diante,
colocarei cada um desses intervalos na presença de Deus em oração e, com eles, qualquer outra inquietação, qualquer outra perturbação emocional, qualquer outra confusão mental, qualquer outro desafio. Sempre com a ajuda lá de cima!

da edição Ultimato 347-ano 2014

Apesar de tentarmos como podemos (e como devemos), nós não conseguimos ser perfeitos


Apesar de tentarmos como podemos (e como devemos), nós não conseguimos ser perfeitos. O fato de sermos falíveis, porém, não quer dizer que somos incapazes. Há algo que podemos fazer, e é simplesmente isso: podemos melhorar! Podemos aprender a sermos mais consistentes na nossa obediência. E simplesmente não podemos nos permitir a aceitar algo menos.
[...]
A obediência a Deus nunca pode ser completamente “automática”. Não há nenhuma maneira de eliminar a necessidade de escolher a obediência em cada momento que acontece conosco. Sim, há coisas que podemos aprender que nos ajudarão. E sim, podemos pegar um certo embalo que terá a tendência de nos manter indo na direção certa. Mas levando em conta todas estas coisas, ainda devemos dizer que os atos individuais de piedade são escolhas que devemos fazer.

Nem sempre faremos as escolhas certas, é óbvio. Não podemos ser perfeitos, mas podemos melhorar. 

  1. Podemos melhorar o nosso próprio caráter, esclarecendo quais são nossos verdadeiros    princípios e fazendo um compromisso mais forte para com eles. 
  2. Podemos manter a nossa visão mais clara e nos esforçar mais em ver as distrações do diabo. 
  3. Podemos, pelo treino paciente, ensinar a nossa carne a ser mais forte, isto é, mais um aliado e  menos um inimigo. 
  4. Podemos desenvolver mais as disciplinas espirituais e viver um estilo de vida geral que  conduz a força espiritual. 
  5. Podemos melhorar em como lidamos com os momentos e tornar-nos mais consistentes nas  nossas escolhas.

Resumindo, podemos aprender a sermos mais "limpos de coração" (Mateus 5:8). Podemos viver diante do nosso Deus com uma paixão mais inteira por ele a sua vontade. Podemos ser "aquele que se aproxima de Deus" (Hebreus 1:6). E "esquecendo...das coisas que para trás ficam e avançando para s que diante de mim estão", podemos ser aqueles que prosseguem “para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" (Filipenses 3:13-14).

da mensagem de  Gary Henry
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Um ofício bem especial: o ministério do louvor.

"Matanias... e seus irmãos dirigiam os louvores." Neemias 12.8

O louvor é importante? Existem tantos ofícios: serviço de assistência aos menores; departamento de trânsito; registro civil; etc. Mas na Bíblia é mencionado um ofício bem especial: o ministério do louvor. Não sabemos porque essa expressão só aparece uma vez nas Escrituras. 

Neemias nomeou para esse ofício um dos homens que haviam voltado da Babilônia (atual Iraque). Sabemos que o louvor é uma expressão de fé, mas o nosso conhecimento é muito pouco do quanto o Senhor espera pelo nosso louvor. Na verdade, Deus, o Senhor, reage imediatamente, e o faz de maneira visível, sensível e com todo o poder quando O louvamos de todo o coração, pois assim demonstramos que cremos. 

Por isso, por exemplo, queixar-se por se sentir sobrecarregado é incredulidade atrevida, pois temos uma fonte cujas correntes de força nunca secam. Eu enfatizo mais uma vez que o Senhor reage imediatamente, e que no mundo invisível acontece alguma coisa quando começamos a louvar exatamente na situação em que nos encontramos. Algo "estala", e o poder do inimigo é quebrado. 

O inimigo ameaça, oprime e atormenta, mas será derrotado se você se atrever a começar a louvar! Agradeça até que venha o avivamento, pois Salmo 92.1 diz: "Bom é render graças ao Senhor."

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
mensagem de Wim Malgo


As mensagens do amor poderoso de Deus somente podem ser ouvidas no interior de nossa alma. No profundo silêncio do nosso espírito

Lamentações 3:26 - Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR.

Através dos escritos do profeta Jeremias ficamos conhecendo o poder soberano de Deus, que nos restaura e nos ampara, não importa quão grande seja nosso sofrimento aqui. Por isso, nossa postura pode ser: “O Senhor é bom para todos os que confiam Nele. O melhor é ter esperança e aguardar em silêncio a ajuda do Senhor” (Lamentações 3:25-26).

As maldades do mundo são barulhentas e nos machucam. Constantemente elas gritam nos nossos ouvidos, tentando nos convencer que Deus nos esqueceu e não vai trazer vitória e bem estar. Jeremias nos dá um testemunho poderoso, mesmo envolvido pelas dores que sofria: “O Senhor não rejeita ninguém para sempre. Ele pode fazer a gente sofrer, mas também tem compaixão porque o Seu amor é imenso” (versos 31-32).

As mensagens do amor poderoso de Deus somente podem ser ouvidas no interior de nossa alma. No profundo silêncio do nosso espírito. No meio de sua dor e revolta, Elias só conseguiu ouvir as soluções salvadoras de Jeová quando se aquietou e ouviu a voz “mansa e suave” (II Reis 19:12). Aquilo que funcionou para Jeremias pode funcionar também em nossa vida pessoal – tentemos aguardar em silêncio a ajuda do Senhor.

mensagem do Pr. Olavo Feijó
(artigo3821)
 
↠😍

Deus tem a resposta certa!

Você diz: Isto é impossível!
Deus diz: Todas as coisas são possíveis (Lucas 18:27).

Você diz: Estou muito cansado.
Deus diz: Eu te darei descanso (Mateus 11:28-30).

Você diz: Ninguém me ama.
Deus diz: Eu amo você (João 3:16 e João 13:34).

Você diz: Eu não posso continuar.
Deus diz: A minha graça te basta (II Coríntios 12:9 e Salmos 91:15).

Você diz: Eu não posso entender as coisas.
Deus diz: Eu dirigirei o seu caminho (Provérbios 3:5-6).

Você diz: Eu não posso fazer isto.
Deus diz: Você pode fazer todas as coisas (Filipenses 4:13).

Você diz: Eu não sou capaz.
Deus diz: Eu sou capaz (II Coríntios 9:8).

Você diz: Isto não vale a pena.
Deus diz: Isto valerá a pena (Romanos 8:28).

Você diz: Eu não posso me perdoar.
Deus diz: Eu perdôo você! (I João 1:9 e Romanos 8:1).

Você diz: Eu não consigo.
Deus diz: Eu satisfarei todas as suas necessidades (Filipenses 4:19).

Você diz: Estou com medo.
Deus diz: Eu não dei a vocês espírito de fraqueza (II Timóteo 1:7).

Você diz: Estou sempre preocupado e frustrado.
Deus diz: Lance sobre mim suas preocupações (I Pedro 5:7).

Você diz: Eu não tenho fé suficiente.
Deus diz: Eu tenho dado a cada um uma medida de fé (Romanos 12:3).

Você diz: Eu não sou inteligente o suficiente.
Deus diz: Eu te darei sabedoria (I Coríntios 1:30).

Você diz: Eu me sinto sozinho.
Deus diz: Eu nunca te deixarei, jamais te abandonarei (Hebreus 13:5-6).

mensagem: Autoria desconhecida
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

A luz brilhou sobre os que viviam nas trevas, mas eles preferiram continuar na escuridão!

Quem odeia o seu irmão está na escuridão, anda nela e não sabe para onde está indo. (1Jo 2.11). Se a escuridão está indo embora, por que continuar dentro dela? Se a aurora está chegando, por que esse gosto pela escuridão?

O problema é muito sério e Jesus se pronunciou a respeito: “Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão” (Jo 3.19). 

Como é possível preferir uma cobra no lugar de um peixe? 
Como é possível preferir uma pedra no lugar de pão? 
Como é possível perder a alma para não perder o mundo? 
Como é possível construir uma casa sobre a areia e não sobre a rocha? 
Como é possível escolher Barrabás e não Jesus Cristo? 
Como é possível trocar a vida eterna pela morte eterna? 
Como é possível trocar a cruz por uma varinha de condão? 
Como é possível trocar a redenção pela reencarnação? 
Como é possível trocar os anjos que não caíram pelos demônios? 
Como é possível trocar o Espírito de Deus pelos cartomantes? 
Como é possível perder Cristo para não perder o amigo? 
Como é possível trocar o sangue de Jesus pelo sangue de touros e bodes? 
Como é possível trocar a Ceia do Senhor por uma noitada de orgia? 
Como é possível trocar o cajado pela vara? 
Como é possível trocar os tesouros do céu pelos tesouros da terra? 
Como é possível trocar a casa de Deus pela casa de uma prostituta?

Talvez João tenha feito essa catilinária* toda para mostrar aos “filhinhos” que “quem odeia o seu irmão está na escuridão, anda nela e não sabe para onde está indo, porque a escuridão não deixa que essa pessoa veja” (1João 2.11).

A luz brilhou sobre os que viviam nas trevas, mas eles preferiram continuar na escuridão!

mensagem de Elben César
de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.
(*) Significado de Catilinária - s.f. Acusação violenta, convincente e bem fundamentada, com argumentos impecáveis: uma catilinária contra a corrupção dos governantes.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Se estamos no Pai estamos na Verdade!


A praga da mentira

Se alguém diz: ‘Eu o conheço’, mas não obedece aos seus mandamentos é mentiroso. (1Jo 2.4)

João muda o tom. Não usa a linguagem mais amena de pouco antes. No caso daquele que declara não ter pecados, João diz que se trata de um engano, de um equívoco, de uma autoavaliação inconsequente, “durante a qual a verdade se retirou” (1Jo 1.8). Porém, frente a um caso de hipocrisia, o apóstolo chama essa pessoa de mentirosa sem a menor cerimônia (1Jo 2.4).

Jesus foi mais longe do que João quando afirmou em voz bem audível que o Diabo é mentiroso e o inventor da mentira (Jo 8.44).

Às vezes, é mesmo necessário chamar abertamente de mentiroso o mentiroso.

Por terem molhado a túnica de José de sangue que não era dele, levando Jacó a acreditar que um animal selvagem o havia despedaçado e devorado, podemos chamar aqueles rapazes de mentirosos (Gn 37.33). Por terem calçado sandálias velhas e remendadas e vestido roupas bem gastas para fazer Josué acreditar que eles eram de um país bem distante, podemos chamar os gibeonitas de mentirosos (Js 9.6). Por ter confirmado a versão do marido de que ele e ela haviam vendido a propriedade por uma quantia bem menor, para poderem reter para si parte do dinheiro, podemos chamar Safira de mentirosa (At 5.3). Haveria outro nome para dar a essas pessoas?

Quem é o mentiroso na história da queda do homem? Foi aquele que disse “certamente morrerá” (Gn 2.17) ou aquele que disse exatamente o contrário: “Vocês não morrerão coisa nenhuma!” (Gn 3.4)? A primeira e a mais desastrosa mentira saiu da boca do pai da mentira e não do Pai da verdade!

Se estamos no Pai estamos na Verdade!

mensagem de 'Refeições Diárias com os Discípulos'. Editora Ultimato.
(foto da internet)