Você tem uma Bíblia? Leia-a!

Algum outro livro já foi descrito como ela? 

Hebreus 4:12 diz, “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração.”

As palavras da Bíblia têm fogo. Palavras que dão vida! Substantivos com batimentos de pulso. 

A Bíblia é para Deus o que a luva cirúrgica é para o cirurgião. Ele estende a mão através dela para tocar a profundeza dentro de você. Você não sentiu o toque dEle? Numa hora tarde, solitária você lê, “Eu nunca lhe deixarei. Jamais lhe abandonarei.” As frases confortam como uma mão no ombro.

Não tome uma decisão sem sentar diante de Deus com uma Bíblia aberta, com um coração aberto, com lágrimas abertas. Permita que as palavras de Cristo habitem no seu coração e lhe tornem sábio(a).

Você tem uma Bíblia? Leia-a!

mensagem Max Lucado
de "Desafiando Gigantes"
(tradução de Germana Gusmão Downing)

A oração que nos ajuda, em meio ao sofrimento deve ser honesta, sem rodeios, com o coração completamente aberto.

Tiago não ensina que crente não sofre. O que ele quer nos ensinar é o que fazer, quando o sofrimento nos assalta. “Se algum de vocês está sofrendo, ore. Se alguém está contente, cante hinos de agradecimento” (Tiago 5:13).

Sofrer é desagradável. Sofrimento intenso esgota nossas forças. E a coisa fica até pior, quando concluímos que estamos sofrendo injustamente, apesar de nossos esforços de procurar obedecer a vontade de Deus. De que maneira devemos orar, quando o sofrimento é grande e a aflição começa a minar a nossa fé.

A oração que nos ajuda, em meio ao sofrimento deve ser honesta, sem rodeios, com o coração completamente aberto. Ela deve ser o caminho de expor ao Senhor nossos medos, nossas incompreensões, nossos cansaços, nosso medo de que, talvez, Deus tenha se esquecido de nós... Se foi assim com Jó, com Jacó, com Paulo, por que não será assim conosco? É como lutar com o Senhor, no Vale de Jaboque. Deve ser luta autêntica, que deixa marcas em nós. Tem sido através deste tipo de oração que o Senhor transforma nosso sofrimento em bênção. Quando Tiago nos manda orar, em pleno sofrimento, seu objetivo não é criticar nossa “falta de fé”: seu objetivo é nos ensinar que o Senhor nos ouve e sabe como nos ajudar, seja nosso sofrimento muito pequeno ou muito grande!

mensagem de Pr. Olavo Feijó
em "No Sofrimento, Oração"

Deus, como sou grato por Teu amor ágape, que é firme e verdadeiro!

“Ele não amou para receber algo em troca, mas para nos dar tudo de si” (Efésios 5:2, AM).

Gomer era uma mulher irascível casada com um Oséias notável. Seu código de fidelidade era o mesmo de um coelho da pradaria, flertando e pulando de um amante para outro. Arruinou sua vida e despedaçou o coração de Oséias. 

Desamparada, foi colocada à venda num mercado de escravos. Adivinhe quem se propôs a compra-la? Oséias, que nunca tirou a aliança de casamento do dedo. 

Vendo a maneira como ele a tratou, você pensaria que ela jamais havia amado outro homem. Deus usa essa história, na verdade, orquestrou esse drama, para ilustrar Seu amor fiel por seu povo inconstante.

Seu amor é o ágape. Menos afeição, mais decisão; menos sentimento, mais ação.

Quer comparar nosso amor com o de Deus? Olhe para a barriga redonda da menina camponesa em Belém. Deus está ali; o mesmo Deus que pode equilibrar o universo na ponta de Seu dedo flutua no ventre de Maria. Por quê? Amor. (ML) 1/10

Podemos orar? “Salvador bendito, quando penso no Teu amor tão forte, sinto alegria e esperança. Como sou grato por Teu amor ágape, que é firme e verdadeiro”.

mensagem de NovoTempo
Átrio, “Lugar de amor”.


Estamos sempre na presença do grande Rei e precisamos estar vestidos para a ocasião.


Não é preciso dizer que, mesmo em nossa era democrática, não se entra na presença da realeza negligentemente. Precisa-se ser treinado nas conveniências da roupa e da conduta. Isto é muitas vezes mais verdadeiro para aqueles que se propõem ficar na presença do Deus vivo.

Precisa-se vestir o espírito submisso do temor reverente para se propor comer pão no reino celestial.

Podemos, na verdade, não ser capazes de apresentar-lhe a vida sem pecado que ele verdadeiramente merece, mas o mais pobre de nós é absolutamente capaz de levar uma devoção de mente sincera e obediente. 

É verdade que em sua misericórdia Deus vestiu seu povo com uma justiça que não é deles mesmos, mas há uma atitude de coração que só nós podemos atingir. Na sua linguagem, o apóstolo Paulo diz: “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão e de longanimidade” (Colossenses 3:12). Tal espírito cresce da percepção de que estamos sempre na presença do grande Rei e precisamos estar vestidos para a ocasião.

trecho da mensagem de
Paul Earnhart
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Você preferiria de fato ter algumas coisas na terra, do que coisas eternas no céu?


Quisera eu poder fazer tudo novo – mas não posso. Deus pode. “Ele restaura a minha alma,” escreveu o pastor (Salmo 23:3)

Ele não camufla o antigo; ele restaura o novo. O Mestre Construtor vai arrancar o plano original e restaurá-lo. O vigor, a energia, a esperança. Ele restaurará a alma.

Quando você vê o quanto esse mundo está decaindo e enfraquecendo e depois lê sobre uma casa onde tudo é renovado, não sente vontade de ir pra casa? Você preferiria de fato ter algumas coisas na terra, do que coisas eternas no céu? Honestamente, você abriria mão de suas mansões celestiais por um hotelzinho de Segunda categoria na terra?

“Grande”, disse Jesus, “é sua recompensa no céu” (Mateus 5:12). Ele deve ter sorrido quando disse isto. Seus olhos devem ter dançado, e Sua mão deve ter apontado para o céu. Ele sabia com certeza. Foi ideia dEle. Era a casa dEle.


mensagem de Max Lucado em “O Aplauso do Céu”
(tradução de Germana Gusmão Downing)
Em inglês: “His Idea, His Home”

Deixemos que nossa vida seja enraizada em Cristo


Quero fazer uma comparação: a vida cristã é como uma árvore frondosa e frutífera com raízes bem profundas que lhe dão sustentação contra os ventos procelosos e adversos. Quando essas raízes estão fincadas em Cristo,nossa vida toma o rumo da firmeza e da segurança.

a. Enraizar nossa vida em Cristo significa permanecer Nele e ter a confiança de que na Sua vinda seremos aprovados (v.28).

b. Enraizar nossa vida em Cristo é reconhecer a Sua justiça e vivê-la como evidência de que somos nascidos Dele (v.29).

~~~~~~~~~~

trecho de Ultimato-estudos-biblicos~