✿ Registre seu email e receba as mensagens deste Devocional:

Pesquise

sábado, 30 de janeiro de 2016

DEUS é FIEL... mesmo quando não o somos!

Eu havia planejado tirar uma soneca durante a viagem. Mas o homem ao meu lado teve outras ideias! Sabendo que eu não poderia dormir, eu abri minha Bíblia.

“Que cê tá estudando aí, cara?” Eu respondi, mas ele não ouviu.

“A igreja está perdida,” ele declarou. “Presa no inferno e doente no coração”
“Cristãos estão dormindo. Eles não oram. Eles não amam. Não se importam.” Assim ele começou a listar todas as aflições e fraquezas da igreja.

Eu não deveria ter permitido que aquilo me incomodasse, mas incomodou. A fidelidade de Deus nunca dependeu da fidelidade dos seus filhos. Ele é fiel mesmo quando não o somos. Quando não temos coragem, Ele tem.

Provavelmente eu nunca mais verei aquele pregador do pessimismo de novo, mas se você o vir, você pode dar a ele um recado por mim? As bênçãos de Deus são dispensadas de acordo com as riquezas da graça dEle, e não de acordo com a profundidade da nossa fé. É isto que faz de Deus, Deus! E é isto que faz a igreja forte.

“Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus.” Efésios 2:6-7

Fonte: O Trovão Gentil
mensagem "Sua Graça" de Max Lucado

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Jesus escolheu os doze apóstolos e deu-lhes INSTRUÇÕES; para ontem e para hoje - Mateus 10:1,15

Mateus 10:1-15
Ora, os nomes dos doze apóstolos são estes: 

  • Simão, por sobrenome Pedro, e 
  • André, seu irmão; 
  • Tiago, filho de Zebedeu, e 
  • João, seu irmão e 
  • Filipe
  • Bartolomeu
  • Tomé
  • Mateus, o publicano; 
  • Tiago, filho de Alfeu, e 
  • Tadeu;  e 
  • Simão, o Zelote, e 
  • Judas Iscariotes, que foi quem o traiu.

 e as breves  instruções:

  •  procurem as ovelhas perdidas
  •  anunciem isto: "O Reino do Céu está perto"
  • Curem os leprosos e outros doentes, ressuscitem os mortos e expulsem os demônios.
  • Quando entrarem numa casa, digam: “Que a paz esteja nesta casa!
SBB/NTLH




quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Quanto mais cedo assimilamos os ensinos do Senhor, mais naturalmente descobrimos os critérios bíblicos de não desperdiçar nossos dias de existência.


Salmos 90:12 -  Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios. 

Aquele que possui com abundância e tem a certeza de que seus recursos estão mais do que garantidos, pode se dar ao luxo de viver despreocupadamente. A brevidade de nossa vida, escreveu o salmista, exige de nós um comportamento sábio. “Faze com que saibamos como são poucos os dias de nossa vida, para que tenhamos um coração sábio” (Salmo 90:12).

A maioria das pessoas tem medo da morte. Por esta razão, encontramos tanta gente que vive como se sua existência nunca tivesse fim. Esta postura é tão imatura quanto a de pessoa que evita ir ao médico, para não ter que saber que está doente... 

Quando, entretanto, nós ouvimos a notícia nua e crua de que desenvolvemos uma doença terminal, parece que cada minuto conta, para tomarmos as providências que ignoramos no decorrer da vida.

Quando somos confrontados pela urgência da vida, sentimos igualmente a urgência de viver com critério e com sabedoria. 

Esta é a mensagem de Moisés quando, na sua velhice, escreveu o Salmo 90. Sua longa vida lhe ensinou que nossa vida é muito breve. E lhe ensinou também que, quanto mais cedo assimilamos os ensinos do Senhor, mais naturalmente descobrimos os critérios bíblicos de não desperdiçar nossos dias de existência. 

Viver em comunhão com o Senhor é o mesmo que viver a vida com sabedoria. Com saúde. Com alegria. Com qualidade. Foi para nos capacitar para esta “vida com abundância” que Jesus veio a este mundo (João 10:10). Aceitar Jesus é viver com “coração sábio”.

                     mensagem "A Urgência Da Vida E A Sabedoria" do  Pr. Olavo Feijó

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Sem ANSIEDADE, apresentemos tudo a Deus para que Ele conduza nossa vida da maneira que Lhe aprouver


Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.

Eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia (Salmo 37:5; 2 Timóteo 1:12).

O PÁRA-QUEDAS SÓ ABRE SE VOCÊ PULAR!
Enquanto o pára-quedista não ousar pular, jamais conhecerá a capacidade e a força das cordas de seu pára-quedas. A aventura tem de ser encarada, e isso demanda confiança. Somente na descida o pára-quedista pode sentir como é ser carregado. A mesma coisa acontece com a fé prática. Enquanto não nos rendermos completamente à providência de Deus, não poderemos experimentar seus efeitos.

É difícil encontrar a verdadeira confiança. As promessas feitas no evangelho são insuficientes para nós: queremos ver algo para podermos acreditar. Mas não temos como saber de que forma Deus nos conduzirá se não Lhe dermos oportunidade para tal. No caminho da fé temos de dar o primeiro passo. Não precisamos começar a calcular ou tentar predizer o futuro, para encontrar nossas próprias soluções. Temos de simplesmente descansar no Senhor.

Naturalmente, é imprescindível agir com sabedoria quando se trata do futuro. Tudo depende de como pensamos e enxergamos a vida. Podemos planejar cada detalhe antecipadamente, temendo a incerteza; mas isso, no fundo, demonstra a falta de confiança em Deus. Por outro lado, podemos honrar o Senhor tomando precauções sábias sem ansiedade, levando tudo a Deus para que Ele nos conceda o que necessitamos e conduza nossa vida da maneira que Lhe aprouver. Isso demanda fé, confiança e um conhecimento real do amor de Deus. 
                                                     (Boa Semente-apaz/todo_dia/2012/Fevereiro16)

domingo, 24 de janeiro de 2016

O que nos reserva o amanhã? Deus tem as chaves de nossa vida!

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele (Salmo 37:5).
Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que produzirá o dia (Provérbios 27:1).

O que nos reserva o amanhã?

Hoje, muitas pessoas se perguntam: “O que este ano reserva para mim ou para nós?” Essa questão é relevante no primeiro dia do ano, visto que os acontecimentos são sempre anotados no ano em que eles acontecem, quer sejam puramente pessoal ou de importância histórica. As circunstâncias da vida nos trazem dor e alegria. A maioria de nós gostaria de saber quais situações felizes nos esperam e também faria de tudo o que estivesse ao alcance para evitar as tristes.

Estamos preparados para admitir que Deus tem as chaves de nossa vida? Ou atribuímos tudo ao acaso? Será que acreditamos ser os mestres de nosso destino? Todos os que acham que controlam sua vida têm de reconhecer que as doenças graves ou as tragédias provam que essa é uma crença errada. Ambas alteram radicalmente o curso que traçamos para nós.

O rei Ezequias ficou seriamente doente, mas quando se recuperou, reconheceu que Deus havia intervindo para o abençoar: “Eis que, para minha paz, eu estive em grande amargura; tu, porém, tão amorosamen­te abraçaste a minha alma, que não caiu na cova da corrupção, porque lançaste para trás das tuas costas todos os meus pecados” (Isaías 38:17).

Desejamos aconselhar nossos queridos leitores a começar este ano colocando suas vidas nas mãos de Deus e buscando Sua vontade por meio da leitura da Bíblia. Ele não falhará em responder. O Senhor mostrará o caminho da salvação e da bênção: Seu Filho, Jesus Cristo. Ele pode nos dar a paz de espírito que necessitamos para enfrentar as dificuldades da vida. Como Ezequias, devemos perceber que elas são instrumentos para fortalecer nossa confiança nEle.

BoaSemente/apaz.com.br/todo_dia/2010/Janeiro01

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Mefibosete, neto do rei Saul... ele não sabia da MISERICÓRDIA de Deus... por isso se escondeu

Nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens… segundo a sua misericórdia, nos salvou (Tito 3:3-5).


A BONDADE DE DEUS, NOSSO SALVADOR
A bondade de Deus está magnificamente ilustrada em uma história da vida de Davi registrada em 2 Samuel 9:1-13. Mefibosete, neto do rei Saul, se escondeu em um lugar bem longe da capital, no outro extremo do país. Ele sabia do ódio feroz que seu avô nutria por Davi, agora sentado no trono de Israel. O que ele não sabia era que a “misericórdia de Deus” enchia o coração do rei.

Hoje em dia, acontece a mesma coisa com muitas pessoas. Elas não confiam em Deus que, no entanto, as ama e acabam se escondendo quando Ele lhes oferece a paz.

Foi Davi quem tomou a iniciativa de buscar esse homem, trazê-lo para Jerusalém e falar com ele com doçura e misericórdia. Sua bondade foi muito além de um simples perdão, pois conferiu a Mefibosete o status de filho do rei. E assim, comia todos os dias à mesa do rei. Há um detalhe maravilhoso nessa história: Mefibosete era inválido e, portanto, não tinha qualquer utilidade para o serviço do rei.

Deus agiu da mesma maneira conosco. Para os que crêem nEle, Deus concedeu o direito de serem filhos. Antes éramos inimigos de Deus; agora, pela fé, somos filhos. Antes estávamos distantes; agora participamos de Sua mesa, estamos próximos dEle e conhecemos Sua vontade. Resta-nos viver como filhos de Deus e darmos testemunho da “bondade de Deus, nosso Salvador”.
mensagem de: Boa Semente/apaz/todo_dia/2011/Marco07


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

O ser humano é tentado pelo Tentador e por suas mentiras.


Quando alguém for tentado, não diga: “Esta tentação vem de Deus”. (Tg 1.13)

Tiago está desautorizando todos aqueles que põem culpa em Deus por terem pecado. Quem tenta é o Tentador, todas as potestades do ar, todos aqueles que se colocam consciente ou inconscientemente a serviço dele e delas, e todas as circunstâncias montadas e manipuladas pelo mal.

Outra poderosa fonte de tentação é o inimigo que todo ser humano traz dentro de si desde a Queda – por causa do pecado original. O pecado entrou no mundo, na História e no ser humano por meio de uma só pessoa – Adão (Rm 5.12). E até hoje o pecado não saiu do mundo, da História e do ser humano. O Cordeiro de Deus está tirando o pecado do mundo, da História e do ser humano. Ele já tirou a culpa do pecado por meio do seu sacrifício vicário. Ele está tirando o poder do pecado por ter colocado lado a lado com a carne o Espírito que oferece tenaz e contínua resistência a ele. Ele vai tirar a presença do pecado quando der aos salvos um novo corpo (seja pela súbita transformação dos vivos ou pela ressurreição dos mortos) e uma nova terra e um novo céu.

Afirmar ou insinuar que esta e aquela tentação vêm de Deus é um absurdo, uma irreverência, uma blasfêmia, uma loucura. De Deus procede a luz e não as trevas. Deus é absolutamente santo naquilo que chamamos passado, presente e futuro. O Deus das Escrituras não é como os deuses gregos, como, por exemplo, Zeus, considerado o rei dos deuses, que tinha muitos casos amorosos com deusas e mulheres mortais; ou Hera, tida como a rainha dos deuses e dos homens, que teve tanto ciúme de uma de suas rivais que fez com que o filho dela enlouquecesse e queimasse sua própria casa, matando a mulher e os filhos. O ser humano é tentado pelo Tentador e por suas mentiras.

De Deus procede a luz e não as trevas.

>> Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.

domingo, 17 de janeiro de 2016

A paz que o Senhor nos oferece é plena e, portanto, não se sujeita a situações cotidianas.



A paz não se sujeita a circunstâncias
Paulo afirmou: “… em todas as circunstâncias”. Repare: todas as circunstâncias. Olhamos ao redor e vemos como as pessoas se perturbam e como nós mesmos nos atribulamos. Então, como podemos acreditar que a paz do Senhor está sempre conosco?

Crer nas palavras do Senhor é o meio mais seguro para experimentar suas verdades. Se a Palavra de Deus está dizendo que é assim, assim será. Portanto, se não estamos experimentando essa verdade, é bom fazermos uma autoavaliação para verificar em que aspecto estamos enganados. Certamente, estamos.

A paz que o Senhor nos oferece é plena e, portanto, não se sujeita a situações cotidianas. Na verdade, é exatamente o contrário: as situações é que devem ser pensadas a partir do sentimento pleno de paz, que é dada por Deus. 

Não podemos nos deixar levar pelas alterações momentâneas de nossas emoções, nem pelas modificações causadas pelos nossos afetos. Como já dissemos, nós mesmos alteramos nossos afetos. Se algo ruim nos acontece de repente, não conseguimos parar, refletir e meditar na grandeza do cuidado de Deus por nós. A Bíblia diz “peca quem é precipitado”. 

O precipitado é aquele que age antes de refletir. Também é aquele que age segundo as circunstâncias do momento. São casuístas ou pragmáticos, ou seja, tentam apenas resolver os problemas do momento, e do modo mais prático. Nem sempre esse é o melhor caminho. Há problemas que precisam ser ponderados com cuidado, pois sua complexidade exige respostas mais profundas. Assim, é preciso paz para poder pensar e agir corretamente.



Texto Básico: 2 Tessalonicenses 3.16

Ultimato/estudos-biblicos/assunto/vida-crista/cultivando-a-paz-em-nosso-coracao/

sábado, 16 de janeiro de 2016

As coisas não vão bem? Entreguem a Cristo a sua briga.


Falando aos cristãos que, às vezes, se envolvem em problemas sérios de relacionamentos, o Apóstolo Paulo alerta: “Não te deixes vencer pelo mal” (Romanos 12:21).

Qual a razão deste conselho? Uma das principais razões é que a injustiça gera injustiça. Por isso, quando ouvimos apenas a nossa natureza humana, ofendemos quando nos ofendem e abusamos quando somos abusados.

O único que venceu o mal é Jesus Cristo. No plano divino, todos os que aceitam a pessoa e o Senhorio do Cristo podem contar com a vitória de Cristo sobre o mal.

Vencer o mal é viver em Cristo. Em comunhão com Ele, em obediência a Ele. Inclusive, quando as coisas não vão bem, em nossos relacionamentos humanos. A coisa ficou feia entre vocês dois? Entreguem a Cristo a sua briga. Entreguem o mal de vocês ao bem redentor do Cristo.

Na vida pessoal, na vida dos relacionamentos, só não perde do mal aquele que aceita a vitória da comunhão com Cristo.

mensagem "A Vitória do Bem" do Pr. Olavo Feijó

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Não saia apenas da velha vida, mas entre na nova vida de comunhão com o Pai e com o Filho!

                            

"E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as cousas antigas já passaram; eis que se fizeram novas." (2 Coríntios 5.17)

A saudade das coisas passadas é uma forte tendência da nossa época. A qualquer custo queremos as coisas como eram antes. Nos círculos cristãos encontramos essa crescente tendência. O velho homem com todas as suas inclinações e maus costumes, com suas características carcomidas pelos cupins, deve vestir uma roupagem nova, mas com jeito de coisa antiga. 

O velho e podre "eu" deve permanecer vivo a qualquer preço. Falta nessas vidas a realidade de Jesus Cristo: "...eis que se fizeram novas." Paulo diz: "...vos despistes do velho homem com seus feitos, e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou." 

Não fique na metade do caminho! Dê o passo decisivo, o qual já deveria ter sido dado há muito tempo. Por isso: "Fortalecei as mãos frouxas, e firmai os joelhos vacilantes." Não saia apenas da velha vida, mas entre na nova vida de comunhão com o Pai e com o Filho!
~~~~~~~~~~~~
mensagem de Wim Malgo

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

A Bíblia é o maior manual de casamento que jamais existiu!

[...]
O maior manual de casamento que jamais existiu é a Bíblia, não porque ela trate exclusivamente desse assunto, mas porque ela fala às necessidades dos homens pecadores e às perversas atitudes que têm destruído nossa relação com Deus e poluído nossas relações com outros, incluindo, mais tragicamente, nossos próprios parceiros no casamento. Se quisermos aproximarmo-nos de nossos esposos e esposas, então aproximemo-nos de Deus.

Os casamentos estão fracassando porque os indivíduos que estão neles estão fracassando em ser como Cristo em atitude, e que quando essas atitudes são mudadas, há muita razão para acreditar que podemos construir uma relação segura, amorosa, e maravilhosamente compensadora em nossos casamentos.

Mas, objeta-se, meu companheiro e eu perdemos toda a afeição e desejo de um pelo outro. Como se pode reacender um casamento que está morto? O amor dedicado tem o poder de fazer amigos de inimigos e amantes de estranhos (Gênesis 24:64-67). Mas, diz outro, eu sou o único que se preocupa; como pode uma pessoa reconstruir uma relação destroçada? É estranho que cristãos façam tal pergunta.

Nós certamente não nos preocupamos quando Jesus continuou pacientemente amando-nos, entregando sua própria vida por amor de nós. O Senhor, obviamente, não teve sucesso com todos, mas ele teve sucesso conosco; talvez ele possa ter sucesso com nossos companheiros (conselheiros de casamento dizem que sim). Como saberemos a menos que tentemos?

O casamento dará certo maravilhosamente quando decidirmos ser o tipo de pessoa que Deus quer que sejamos. Então poderemos ter tudo isto, e o céu também.

parte da mensagem de Paul Earnhart
(estudosdabiblia/200127)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Novo Ano, Novo visual com as bençãos de Deus para você e sua família!





Bom dia!

Novo Ano, novo visual também em nosso site;
assim também seja contigo: 
que o Senhor te presenteie com um "Novo Visual" com Suas Bençãos!

Arlete-pazsejacontigo

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

E é quando estamos sem opções que nos achamos mais prontos para as surpresas de Deus.

    
Há certas coisas que qualquer um sabe que não deve fazer… Não se enfrenta um leão com um palito de dente. Não se espirra na direção do vento. Não se sai em uma caça ao urso com um revólver de atirar rolhas, E não se manda um menino lutar com um gigante.

Ninguém faz isto, a menos que esteja sem opção. Saul estava. E é quando estamos sem opções que nos achamos mais prontos para as surpresas de Deus.

Saul foi realmente surpreendido!

O rei tentou dar a Davi algum equipamento. “O que você quer, garoto? Escudo? Espada? Granadas? Rifle? Um helicóptero? Faremos de você um Rambo!”

Davi tinha outra coisa em mente. Cinco pedras lisas e um estilingue de couro.

Os soldados arfaram. Saul suspirou. Golias escarneceu. Davi girou. E Deus fez o seu ponto: “Qualquer um que subestima o que Deus pode fazer com o comum tem pedras na cabeça”. (Extraído da obra The Applause of Heaven, de Max Lucado)


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Pense em ser recebido por Jesus num mundo novo e para uma vida completamente nova. Não podemos sequer começar a imaginar o que significa essa boa notícia.


“Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21).
[...]
Se para nós “o viver é Cristo”, então, “o morrer é lucro”. Por quê? Porque depois daquilo que parecerá apenas um instante, a próxima coisa que ouviremos será a voz triunfante de Jesus a nos despertar. A morte é como um sono profundo, sem qualquer consciência da passagem do tempo, até que a terna voz de Jesus nos desperte. 

H.M.S. Richards comparava a morte a passar por uma porta e entrar num amanhã resplandecente, ao qual Jesus nos dará as boas-vindas. Quando Jesus vier, o primeiro rosto que veremos será o Seu. Pense em ser recebido por Jesus num mundo novo e para uma vida completamente nova. Não podemos sequer começar a imaginar o que significa essa boa notícia. Pois “olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que O amam” (I Co 2:9, NVI).

parte do texto de Daniel R. Guild
(foto internet)

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Maus hábitos corroem a fibra espiritual. Como é imperativo esqua­drinhar os recantos do nosso coração e permitir que Deus nos limpe dos pecados escondidos!


Quem pode entender os seus erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos (Salmo 19:12). 
Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? (1 Coríntios 5:6).

A prova do vento
A mais bonita árvore do jardim foi derrubada por uma tempestade. Ao cair fez um barulho horrível. Quando tudo se acalmou, o dono foi verificar a extensão dos estragos. Conforme examinava o tronco, percebeu que a tempestade não foi a única causa para a queda. O interior do tronco estava corroído por uma doença.

Ele se lembrou de que aos dez anos de idade cortara a casca com um machado. Naquela época a árvore era bem pequena. Mas o dano teve suas conseqüências: algum tipo de doença se instalou. Ela começou a apodrecer internamente. A árvore cresceu e aparentava ser forte. Então chegou o dia em que o vento a testou e expôs publi­camente sua podridão escondida.

Os cristãos também podem cair por causa de pequenas faltas e concessões morais. Maus hábitos corroem a fibra espiritual. Pecados secretos, pensamentos deturpados e consciência endurecida ajudam a enfraquecer nossa resistência ao mal. Como é imperativo esqua­drinhar os recantos do nosso coração e permitir que Deus nos limpe dos pecados escondidos! Mas certas medidas preventivas são necessárias: oração, leitura da Bíblia, comunhão com o Senhor e com os irmãos. E assim, quando o vento nos provar, estaremos firmes e resistiremos às tempestades. (Boa Semente/apaz/todo_dia/2010/Agosto10)

domingo, 3 de janeiro de 2016

Ouça o ponto de vista de seu cônjuge. Não domine a discussão. Deixe a outra pessoa expressar seus pontos de vista.

  

Uma "discussão" exige que ambos ouçam e falem. Na prática, contudo, muitos cônjuges só querem expressar seus próprios pontos de vista.

Tiago 1:19 — Cada homem deve ser rápido no ouvir, tardio no falar, tardio em irar-se. Não entre na discussão achando que a outra pessoa não tem razões válidas para seu ponto de vista. Devemos ser rápidos no querer ouvir, e tardios para apresentar nossos pontos de vista, especialmente quando estamos irados.

Sugestão: Comece a discussão convidando seu cônjuge a explicar seu ponto de vista. Não comece atacando a posição que você acha que ele mantém e defendendo seu próprio ponto de vista. Comece fazendo perguntas destinadas honestamente a ajudar você a entender o que ele pensa. "Você poderia explicar-me porque você fez isso, desse modo...?" "Você não pensou em fazer assim?" Pode ser que ele tenha considerado sua idéia e tem alguns motivos válidos para preferir outra abordagem.

Não domine a discussão. Deixe a outra pessoa expressar seus pontos de vista. Você aprecia quando outros só atacam seus pontos de vista, mas recusam-se a ouvir o que você tem a dizer? "Ame a seu próximo como a si mesmo," e o trate como você gostaria de ser tratado (Mateus 7:12).

~~~~~ trecho da mensagem de David Pratte