UM ESTRANHO JARDIM ZOOLÓGICO


Quem pode entender os seus erros? Mas, convertendo-se o ímpio da impiedade que cometeu, e procedendo com retidão e justiça, conservará este a sua alma em vida. Pois que reconsidera, e se converte de todas as suas transgressões que cometeu; certamente viverá, não morrerá (Salmo 19:12; Ezequiel 18:27-28).

Atualmente, as pessoas têm dificuldade para se auto-examinar com relação às faltas passadas. O salmista já havia percebido como é difícil nos julgarmos corretamente. E sem a confissão dos próprios pecados não se pode obter a aprovação de Deus. Essa exigência é igualmente válida para todos os indivíduos. Nisso não há exceção.

Havia uma festa em certa mansão. Durante uma das conversas, alguém mencionou a palavra “pecado”. O riso foi geral. Então um dos convidados, um empresário, disse:

“É verdade, com as pessoas de hoje já não se pode falar de pecado. Mas quero falar uma coisa: no mais profundo do meu coração tenho um zoológico. Existe um leão que ruge contra a minha mulher, uma serpente pronta para dar o bote, uma enguia que se infiltra em todas as partes à custa da verdade e um ouriço que, quando surge, fere tudo o que toca. Devo reconhecer que com minhas próprias forças não consigo acabar com essas feras. Elas aparecem; tudo fica arruinado.

Chamem esses traços de caráter como quiserem. E mesmo que não queiram falar de pecado, ele está em todo ser humano. E o único que tem domínio sobre esse estranho zoológico é o meu Senhor Jesus Cristo. Ele controla minha vida!”



fonte: apaz/todo_dia/2011/Fevereiro24.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário sempre é bem-vindo!