Mire nos princípios imutáveis de Deus.

Não planeje a sua rota de acordo com as opiniões de pessoas ou as sugestões da cultura. Se o fizer, você cometerá o mesmo erro que o filho do fazendeiro. O fazendeiro enviou seu filho para o campo, lembrando-o de traçar sulcos retos.

“Mire um objeto no lado oposto do campo e aponte seu arado diretamente para ele,” disse o pai.

Depois, quando o pai verificou o progresso do rapaz, cada sulco era torto e ondulado. “Eu pensei que disse para você escolher um objeto e seguir com o arado em direção a ele.”

“Eu fiz”, o rapaz respondeu, “mas, o coelho ficou pulando.”

Uma linha reta, como uma vida certa, exige um alvo imóvel. Mire nos princípios imutáveis de Deus. Deixe a Palavra de Deus ser a palavra de autoridade em seu mundo.

Convido-lhe a memorizar a Palavra de Deus – um novo versículo cada semana por quatro semanas.

autor: Max Lucado em "Um Alvo Imóvel"

A oração de Eliseu ainda é necessária em nossa vida cristã: "Abre meus olhos Senhor"



2 Reis 6:17 - E orou Eliseu, e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o SENHOR abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu. 


O auxiliar do profeta Eliseu estava apavorado, diante do tamanho das tropas inimigas que os cercavam. Eliseu fez uma oração simples: “Senhor, abre os seus olhos, para que ele veja” (II Reis 6:17).

A pergunta natural é esta: afinal de contas, aquilo que o rapaz passou a ver foi uma simples ilusão de ótica? Talvez uma alucinação, por causa do medo de um ataque devastador do inimigo? Ou, por outro lado, poderia ser o resultado de uma simples sugestão, diante da palavra potente de Eliseu? Ainda que não tenhamos nenhuma resposta adequada às questões levantadas, é preciso focalizar uma simples questão de fato: no dia seguinte, nada restou das tropas inimigas. 

A oração de Eliseu ainda é necessária, em nossa vida cristã. Porque, muitas e muitas vezes recebemos a sensação enviada pelos olhos, mas não a transformamos em percepção da alma. Perceber é organizar e atribuir aos dados produzidos pelos órgãos da sensação. Por isso, diante da mesma ocorrência, alguns lamentam a “falta de sorte”, enquanto outros crescem como desafio. O Senhor não nos chamou, diante das tribulações do mundo, para tremer com olhos fechados. Quando imploramos, o Senhor abre-nos os olhos, para vermos a realidade poderosa do Seu socorro.

autoria: Pr. Olavo Feijó

Os tempos difíceis de hoje não podem ser comparados com os bons tempos que virão!


Outro dia, Armindo Trevisan, doutor em filosofia e professor de história da arte na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, fez um alerta fabuloso: “Não deveríamos olhar tanto para trás como para frente, visto que é no porvir que se situa a nossa felicidade completa... Vale a pena abrir à vida um crédito ilimitado. Ela pressupõe mais surpresas do que a nossa imaginação nos apresenta” (“Cidade Nova”, janeiro de 2015, p. 45).

Quinhentos anos antes de Trevisan, Martinho Lutero escreveu: “A nossa natureza humana gasta toda a sua energia procurando coisas fugazes deste mundo, mas não aguarda as alegrias da vida eterna. Nada pode ser mais certo do que a vida eterna. Por estarmos tão absortos nos interesses deste mundo, pouco nos importamos com as riquezas da vida eterna” (Somente a Fé, p. 155).

Mil e quinhentos anos antes de Lutero, porém, o apóstolo Paulo declarou aos romanos: “Estou absolutamente convencido de que os nossos sofrimentos da vida não são em nada comparáveis com a glória vindoura” (Rm 8.18).

[...]

Temos de dar toda a razão a Paulo, a Lutero, a Trevisan e a todos os demais que cochicham para cada um de nós: “Os tempos difíceis de hoje não podem ser comparados com os bons tempos que virão!”.

fonte: Ultimato/revista/artigos/355


UM MARAVILHOSO ADVOGADO!



Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo (1 João 2:1).

Todos que confiam no Senhor Jesus Cristo têm recebido o espírito de adoção e podem declarar "Aba, Pai" (Romanos 8:14-17). Eles desfrutam do mesmo amor e do mesmo relacionamento com o Pai que o Cristo ressurreto desfruta. E se alegram no perfeito amor do Pai. Contudo, por causa da natureza pecaminosa que ainda existe neles, eles cometem pecados. E quando isso acontece, a comunhão com o Pai é abalada ou até mesmo interrompida, pois o pecado é abominação aos olhos do "Pai santo" (João 17:11). 

Quando pecamos, já não nos sentimos à vontade para nos alegrarmos com seu amor, e entristecemos o Espírito Santo que habita em nós, o qual também testifica desse amor.

Mas o consolo e a esperança dos filhos de Deus é saber que temos um Advogado junto ao Pai, que defende nossas causas: Jesus Cristo, o justo. E como o Justo, ele sofreu pelos injustos e fez plena expiação dos pecados de quem nele crê. Assim, em toda sua santidade, Deus pode nos perdoar sem violar sua justiça.

Que maravilha ter este Advogado! Porém, lembrar dos sofrimentos que ele enfrentou para nos trazer o perdão dos pecados deve nos manter longe do pecado. É impossível alguém amar o Senhor Jesus, desfrutar de comunhão com Deus e permanecer indiferente ao pecado! Portanto, estejamos alerta, permitindo que o Espírito Santo trabalhe dentro de nós, não dando ocasião para a carne. "Somos devedores, não à carne para viver segundo a carne Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz" (Romanos 8:12 e 6).

(fonte: apaz/todo_dia/2015/fevereiro11)

CORAÇÃO PURO


Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus. (Mateus 5.8)

Alguns sonhadores declaram que, para ter um coração puro, as pessoas precisam se esconder em um canto, entrar em um monastério ou convento ou procurar a solidão do deserto. Para eles, as pessoas não devem ter pensamentos terrenos, nem gastar qualquer tempo em questões seculares. Em vez disso, todos os seus pensamentos devem ser sobre o céu. 

Esses sonhadores enganam a si mesmos e a outros com suas ideias equivocadas. Eles levam as pessoas ao erro e causam muitos estragos. Consideram malignos os líderes e as instituições seculares. Entretanto, são exatamente tais coisas que asseguram uma sociedade cumpridora da lei e ordenada. Esses líderes e instituições mantêm o mundo em funcionamento e são estabelecidos pelo próprio Deus.

As Escrituras falam sobre ter pensamentos puros e coração puro como algo que é feito de forma condizente com ser um cônjuge, amar e cuidar da sua família e fazer tudo que os pais fazem. Na verdade, Deus insiste em que cumpramos essas responsabilidades. Nada do que Deus ordena pode ser impuro. De fato, é essa mesma pureza que nos permite ver a Deus.

Quando um juiz desempenha suas responsabilidades e impõe uma sentença, ele não está agindo por si. Ele está colocando em prática as leis e os mandamentos de Deus. Se ele for um cristão, está fazendo um trabalho bom, puro e santo. Mas uma pessoa nessa posição não deveria poder fazer qualquer coisa se o seu coração não estivesse puro. Até mesmo um trabalho desagradável e que envolva sujeira, tal como pegar esterco ou lavar fraldas, é um trabalho puro e santo se vier de um coração puro.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.


O coração de um filho amável procura obedecer ao pai.



Através da Bíblia, a única abordagem que agrada a Deus é lhe obedecer no que Ele manda. Porém esta questão envolve muito mais do que isso. Deve-se lembrar que ao lidar com a palavra de Deus, estamos lidando com Deus. A coisa que Deus exige é uma reverência para com ele que comove até a obediência, seja esta obediência em relação a uma proibição, ou uma questão de honrar o silêncio de Deus, ou de examinar as Escrituras para ter certeza daquilo que ele quer.

Quando Deus repetiu a Isaque as promessas dadas a Abraão, ele disse que cumpriria estas promessas, “Porque Abraão obedeceu à minha palavra e guardou os meus mandados, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis” (Gênesis 26:4-5). Quando Saul falhou em cumprir o que Deus lhe havia dito, Samuel disse a ele: “Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros” (1 Samuel 15:22).

O coração de um filho amável procura obedecer ao pai. Se amarmos a Deus, vamos querer fazer a sua vontade, independente de como ele expressá-la. Jesus falou daqueles que estavam dispostos a fazer a vontade do Pai (João 7:17). A prova mais verdadeira da devoção a Deus não é simplesmente fazer a sua vontade, mas fazer a sua vontade porque assim desejamos.


autoria: Bob Waldron
(trecho do texto-estudosdabiblia.net/d156)



Que Deus nos ajude a imitar o seu Filho no trato com esses 'Caifases'

foto internet: Escadaria do palácio de Caifás

CAIFÁS - Astuto, manipulador e sagaz são qualidades que poderiam ser aplicadas a Caifás, o sumo sacerdote que presidiu dois dos julgamentos de Jesus. Ainda que não fosse pelos relatos bíblicos, só o fato dos romanos o deixarem permanecer no cargo por mais tanto tempo (18 anos) já mostra que ele era um manipulador astucioso.

Mas é nas Escrituras que vemos sua habilidade em se manter no poder político. Após a ressurreição de Lázaro, ele tramou friamente a morte de Jesus. Ele tentou tranqüilizar a consciência de qualquer membro do Sinédrio que talvez não tivesse coragem de acusar a Jesus. Ele fez isso atribuindo motivos elevados a este ato perverso: "Convém que morra um só homem pelo povo e que não venha a perecer toda a nação" (João 11:50). [...]

Para Caifás, a vida nada mais era que lucrar e preservar o seu bocado de poder insignificante.Mesmo com toda a sua manobra e trama, ele é uma personalidade absolutamente insignificante na História, a não ser por tratar infamemente Jesus e os cristãos. Sua obsessão por conservar-se no poder o tornava frio, indiferente e incapaz de ver que o Filho de Deus estava ali no seu meio.

A Atitude de Jesus para com Caifás
Jesus entendeu que ele e Caifás eram de dois reinos completamente diferentes e que seria impossível tratar com Caifás em seu próprio domínio mundano e político. Jesus não tentou organizar um protesto, incentivar um boicote ou usar algum tipo de poder político para criar problemas para Caifás. A missão de Jesus era convencer quem tivesse o coração aberto, não exercer pressão política nos que tivessem o coração empedernido. 

Assim, quando Jesus teve de tratar com Caifás, vemos apenas um silêncio cheio de dignidade em face da injustiça indizível e, por fim, uma resposta simples "Tu o disseste" à pergunta direta quanto a ser ele ou não o Filho de Deus. Qualquer outra abordagem de um homem mundano, superficial e de mente fechada teria sido inútil e degradante.   [...]

Que Deus nos ajude a imitar o seu Filho no trato com esses Caifases que infelizmente sempre estarão presentes ao longo da nossa viagem em direção ao céu.

-por Gardner Hall
(trecho do texto: estudosdabiblia/a10_3)

PAZ E COMUNHÃO



Cuida do passarinho e também da flor,

Eles esperam pelo teu amor!
Faz do teu lar um ninho

e do mundo um chão
Onde se plante paz e comunhão!

Para que brote e cresça
A mais viva semente;
Para que a gente tenha o que colher.
Para que o pão que venha a ser por nós assado
Seja um sinal traçado de viver.

Faz uma nova casa
Na varanda do velho chão,
Convida teu irmão pra vir morar contigo;
Planta paredes novas,
Feitas para servir de lar e abrigo.

Faz um café gostoso,
Põe a mesa no teu jardim;
Deixa que assim as plantas
Tenham paz contigo; convida o universo
Faz a festa ganhar maior sentido!

Cuida da tua morada!
Cuida do pequeno mundo!
Deixa teu irmão bem perto
Livre.

poesia e música do pastor Gladir Cabral
Ultimato 

Como uma criança quer subir ao colo do pai ou ter os braços da mãe à sua volta, assim vamos nós ao Pai celeste.

O que faz uma criança quando fica face a face com o vizinho brigão? “Meu irmão é maior do que o seu irmão.” “Meu pai é mais forte do que o seu.” Então os adultos entram em cena…

O que faz um menino de três anos quando dá um nós no cordão dos sapatos? Corre ao papai. O que faz uma garotinha de cinco anos quando cai e esfola o joelho? Grita a mamãe, pedindo conforto.

Quando enfrentamos problemas, perigos, dificuldades ou tristezas, naturalmente vamos a alguém maior, mais forte e mais poderoso. Como uma criança quer subir ao colo do pai ou ter os braços da mãe à sua volta, assim vamos nós ao Pai celeste. Ele é a Fortaleza que nos protege dos ataques, o Refúgio que nos abriga da perseguição, o Porto que nos resguarda das tempestades da vida.

(Extraído da obra A Dad’s Blessing, de Gary Smalley e John Trent) (BíbliaOnline)

PACIÊNCIA - O verdadeiro teste de paciência não é a espera mas a maneira de se comportar enquanto espera.

“Vocês precisam ter paciência para poder fazer a vontade de Deus e receber o que Ele promete”(Hebreus 10:36 NTLH)


No grego, duas palavras expressam o significado de paciência, outro fruto do Espírito. O primeiro é hupomone, traduzida como resistência, firmeza e fortaleza em circunstâncias irreversíveis. A segunda palavra,makrothumia, significa ter espírito “paciencioso” ou “que não perde o ânimo”. É o oposto do temperamento irritado, impaciente e que se frustra facilmente. Em geral, significa apegar-se às coisas e não ser extraviado pela adversidade. Normalmente, a palavra é aplicada a ter paciência com as pessoas.


Uma pessoa paciente é meiga, gentil e constante em todas as circunstâncias. O verdadeiro teste de paciência não é a espera mas a maneira de se comportar enquanto espera. “Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma” (Tg 1:4, RC).


Alcançar esse ponto na vida requer prática, aliada à graça de Deus e a disposição de pôr de lado o eu e submeter-se aos ditames do Espírito Santo. As boas-novas são que, se aprendermos a paciência, estaremos em posição de receber muitas outras bênçãos de Deus.

fonte: bibliaonline/estudos/?acao=tema&estudo=18&licao=5


O segredo da vitória é o conhecimento de Deus, a presença do Senhor!


"Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e, sim, poderosas em Deus, para destruir fortalezas..." 2 Coríntios 10.4


Tudo depende do ponto de vista! Josué tinha a visão desanimadora de Jericó diante de si, mas levantou seus olhos para cima: "...eis que se achava em pé diante dele um homem que trazia na mão uma espada." 

Tendo esse encontro com o Vencedor, Josué ganhou a batalha contra Jericó. Essa foi uma verdadeira vitória pela fé. A tática do povo de Israel simplesmente consistiu em obedecer à estratégia proposta por Deus. A maneira de lutar de Deus foi e continua sendo totalmente ilógica para a compreensão humana. Israel não pelejou contra Jericó, mas cercou o inimigo com a presença de Deus. O segredo da vitória foi o conhecimento de Deus, a presença do Senhor, pois eles carregavam a arca do Senhor consigo.

A oração, cercando o inimigo com a presença do Senhor, fez com que o poder do inimigo desmoronasse. Da parte de Deus, tudo já havia acontecido. A presença de Deus foi suficiente para a vitória naquela ocasião, e continua sendo suficiente hoje também! Esse é o segredo do nosso Estrategista celestial. Tudo já está consumado! A vitória é nossa, e essa certeza nos fortalece no combate da fé.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Autoria: Wim Malgo
(chamada/perolas/?mes=Setembro&dia=11)

O problema não é exterior, mas interior, no coração, e por isso somente Jesus pode ajudar!


"Por isso mesmo convinha que, em todas as cousas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas cousas referentes a Deus, e para fazer propiciação pelos pecados do povo. Pois naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados." Hebreus 2.17-18


Hoje em dia, muitos, em seu desespero, buscam ajuda nas mais diversas fontes. Alguns lutam por segurança na sua instabilidade. Doentes mentais procuram ajuda com o psiquiatra, mas não encontram a ajuda verdadeira. E por que não? Porque ajuda exterior não traz ajuda interior! 

Seu problema não é exterior, mas interior, no seu coração, e por isso somente Jesus pode lhe ajudar! Ele pode ajudar porque se tornou semelhante a você e a mim. Pois Ele se identificou interiormente com o seu pecado: "Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus." Isto quer dizer que Jesus Cristo, na cruz do Calvário, se identificou completamente com os nossos pecados, com a nossa natureza corrupta.

Você tem medo da morte? O Senhor Jesus se identifica com o seu medo da morte, pois, ao morrer, Ele, o Eterno, tomou o poder da morte daquele que o possuía, ou seja, o diabo. Por isso: somente Jesus pode lhe ajudar!

¨¨¨¨¨¨¨¨
Autoria: Wim Malgo
(chamada/perolas/mes=Setembro)


Apesar das guerras externas, o Senhor produz em nós uma coisa espetacular: nossa paz interna.

Ao escrever um cântico de louvor, Isaías nos ensina o caminho da paz interior. “Tu, Senhor, guardarás em perfeita paz aquele cuja mente está firme em Ti; porque ele confia em Ti” (Isaías 26:3).

Desde a sua mocidade, Isaías conviveu com os sofrimentos e intranquilidades das guerras com os povos inimigos. Mais do que ninguém, ele aprendeu que as iniciativas humanas para conseguir paz não produzem bem estar permanente. Acima de tudo, entretanto, o profeta descobriu que, apesar das guerras externas, o Senhor produz em nós uma coisa espetacular: nossa paz interna.

Como é que Isaías descobriu a paz interna? Quando ele aprendeu, ensinado pelo Espírito do Senhor, que a paz interna é a consequência de “confiar em Ti”. Confiar em Deus, diz Isaías, é o resultado de ter “a mente... firme em Ti”.

Experimentamos paz, quando vivemos teimosia espiritual. Por mais que o mundo nos ofereça receitas para viver em paz, corajosamente as rejeitamos e nos agarramos a Deus. Ter a mente firme no Senhor exige disciplina diária, exige decisões constantes. O teste é o seguinte: as guerras fora de nós e dentro de nós nos fazem mal? Por mais que pareça simples demais, insistamos em confiar no Senhor. É o único jeito de sermos guardados “em perfeita paz”.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
autoria: Pr. Olavo Feijó
"A Paz De Quem Confia"

Pertencer ao Senhor Jesus é a maior riqueza que alguém pode ter!

Não ajunteis tesouros na terra… Mas ajuntai tesouros no céu… Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração (Mateus 6:19-21).

JOGOS e LOTERIAS
A mentalidade atual é enriquecer rápido. Para isso as pessoas são tentadas a arriscar e, na maioria dos casos, a perder consideráveis quantias de dinheiro. Até mesmo os pobres arriscam o que têm para sobreviver, iludidos pelo sonho de ganho imediato. Por causa disso, milhares de famílias são destruídas e muitos se suicidam. As pessoas ficam sob o feitiço da “sorte” e se dispõem a jogar um “pouquinho mais”. Quanta ruína!

O que a Bíblia fala sobre esse assunto? “Não te fatigues para enriqueceres; e não apliques nisso a tua sabedoria. Porventura fixarás os teus olhos naquilo que não é nada? Porque certamente criará asas e voará ao céu como a águia” (Provérbios 23:4-5). “Mas é grande ganho a piedade com contentamento… Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes” (1 Timóteo 6:6,8).

Todos deveriam rever seus valores e ajustá-los ao padrão de Deus, enquanto há tempo. O mais importante é o inestimável valor da alma humana, preciosíssima aos olhos do Senhor Jesus, o qual nos preza tanto que deu Sua vida para possuí-las (Mateus 13:44).

Em um mundo onde as pessoas só valem pelo que têm, Ele nos dá abundantemente todos os tesouros de Seu amor. Pertencer ao Senhor Jesus é a maior riqueza que alguém pode ter, independente da situação financeira. Mas é preciso aprender um segredo: o segredo de “contentar-me com o que tenho”, como disse o apóstolo Paulo (Filipenses 4:11). Assim não há como a mentalidade do mundo de enriquecimento rápido – e todas as conseqüências terríveis que ela traz – atingir você.

fonte: Encontre a Paz (apaz/todo_dia/2012/Marco01)


O pão de lágrimas e o pão dos anjos - ambos feitos pelo mesmo Padeiro

Qual é o pão que Deus nos oferece? O salmista fala de um pão no salmo 78 e de outro pão no salmo 80. O primeiro parece maravilhoso: é o pão dos céus, também chamado de pão dos anjos (Sl 78.24,25). O segundo parece amargoso: é o pão de lágrimas (Sl 80.5). Tão diferentes assim, podem sair do mesmo Padeiro?

Embora sejam muito diferentes quanto ao gosto, ambos são fabricados pelo mesmo Deus, mas com propósitos diferentes e em circunstâncias diferentes. O segundo pode não ser muito agradável ao paladar mas é extremamente necessário em certas ocasiões.

O pão de lágrimas, também chamado pão da adversidade ou pão de dores ou pão de angústia (Is 30.20), tem propriedades terapêuticas e é indicado em caso de profunda crise de fundo religioso e moral. Esse pão de lágrimas dissolve o orgulho, o compromisso pecaminoso, a incredulidade, a rebelião. E recoloca o paciente nos caminhos do Senhor.

Pão de lágrimas nada mais é do que aquele pequeno ou longo período de confusão mental, de desassossego, de tristeza íntima, de medo, de desalojamento, de enfermidade, de reveses sérios na família, de apreensões econômicas bastante aflitivas, de incerteza. O próprio salmista sabe o que é comer o pão de lágrimas ou beber o copo de lágrimas: “Minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite” (Sl 42.3).

Depois de produzir os efeitos necessários, a medicação é sempre suspensa, voltando-se, então, para o pão dos anjos!

Ultimato ed.283


Troveja Senhor! Obrigado Senhor!

Salmo 18.13
..quando dos céus trovejou o SENHOR e fez ressoar a voz do Altíssimo.

que maravilha ouvir trovões hoje, a quanto tempo estamos sem ouvir este lindo som do Altíssimo! TROVEJOU! será mesmo que ouvi barulho de trovões perguntei em casa... e era de fato os TROVÕES do Altíssimo!... a muito se aguarda na misericórdia do Senhor dentre tantas questões... para uma principal, a CHUVA! que seja chuva longa e prenúncio de 'chuva seródia'

Arlete-pazsejacontigo

Quando o cristão se sente bem-aventurado

Ao começar o Seu Sermão do Monte, Jesus introduz conceitos muito estranhos à ética dominante em Seu tempo. Um deles afirma: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos” (Mateus 5:6).

Vivemos em um mundo de injustiças, exatamente igual ao mundo em que Jesus viveu. Ele sabia disso. O Mestre viveu na própria carne as injustiças dos ricos e poderosos. Portanto, não deve ter sido por acaso que Ele deu importância aos pobres, aos oprimidos, aos discriminados. A grande crítica de Jesus à injustiça deste mundo tem sido o demonstrar amor e fazer a recuperação das pessoas que, sem nenhum merecimento, aceitam submeter-se ao senhorio do Pai e do Filho.

Muitos de nós, discípulos de Jesus, revoltamo-nos contra as injustiças que sofremos. As que mais nos machucam têm a ver com a prosperidade dos ímpios, que não levam a sério uma vida com Cristo. Afinal de contas, por que os bons crentes não podem ser agraciados com bens materiais? Quando fazemos esta pergunta à Bíblia encontramos várias explicações razoáveis. Até agora, entretanto, nunca tivemos uma resposta unanimemente aceita. O que quase sempre descobrimos é que, quando um cristão consegue vivenciar as implicações práticas do amor de Deus, a partir de então sua fome e sede de justiça começa a ser plenamente satisfeita. E ele se sente bem-aventurado.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
autoria: Pr. Olavo Feijó
do texto "Alimentados De Justiça"

MEDO, como superar


No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor (1 João 4:18).

O número de pessoas atormentadas pelo medo, ou até pelo pânico, é tão grande que ficaríamos surpresos se contássemos. Esses indivíduos jamais sentem paz interior. Nem mesmo a prosperidade é garantia contra tais temores; pelo contrário, quando tinha tudo o que precisava e desejava, Jó admitiu sentir muito medo: “Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu” (Jó 3:25).

Existe uma resposta para a pergunta: “Como posso ficar livre do medo em um mundo cheio de injustiça, conflitos e incertezas, no qual a luta pela existência é tão difícil? Como posso viver sem medo?”

Em uma noite de tempestade, uma criancinha acordou assustada com os barulhos do vento e gritou de medo. Seu pai a pegou no colo, a abraçou e logo ela dormiu novamente. A tempestade que a fez temer não diminuiu, mas a confiança da criança no amor e cuidado do pai lhe deu a segurança que precisava. A convicção de que o pai a amava e a protegia eliminou todo o medo.

Existe apenas uma maneira de vencer o medo: é pela completa confiança e fé no amor de Deus. Mas para experimentarmos isso, temos de conhecê-Lo como nosso Pai, construindo um relacionamen­to com Ele cotidianamente. Assim, teremos a convicção de que o Todo-poderoso Deus está conosco, nos ama e nos diz: “Não temas… eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão” (Gênesis 15:1).

(fonte: apaz/todo_dia/2010/Janeiro25)

CINCO VERBOS - É o próprio Deus quem nos ensina como agradar a Ele.


Cinco deveres do homem perante Deus
Não temos dificuldade em acreditar que muitas pessoas querem sinceramente agradar a Deus. Entretanto é o próprio Deus quem nos ensina como agradar a Ele. Os cinco verbos a seguir nos indicam o caminho.

1. Crer “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6).

2. Amar “A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento” (Lc 10.27).

3. Temer“De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem” (Ec 12.13).

4. Adorar“Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto” (Mt 4.10).

5. Servir “Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico” (Sl 100.2).

A ênfase bíblica não é religiosa, mas a comunhão com Deus, que não poderá ser obtida sem Jesus Cristo, [...]. Sendo assim, esses verbos servem para dar uma direção segura do que Deus pede de cada homem que O busca.

fonte: Ultimato: (trecho) 
Estudo publicado originalmente pela Editora Cristã Evangélica. 

Esperamos que os filhos percebam que escolher ser obedientes a Deus é melhor para eles.


É errado para os pais ensinarem seus filhos sobre as suas crenças? Claro que não! Deus relembrou os israelitas muitas vezes que deveriam instruir seus filhos sobre o Senhor Deus. Em Efésios 6:4, Paulo disse aos pais: “...criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor”. Nós, como cristãos e pais, somos responsáveis pela instrução dos nossos filhos no caminho do Senhor.

Mas, isto não parece doutrinação e lavagem cerebral? Nossos filhos não se tornam, desta maneira, incapazes de pensarem por si ou tomarem suas próprias decisões sobre sua fé? Acredito que não. Se nós os instruirmos corretamente, estaremos ensinando como pensar. Frequentemente, nas minhas pregações, incentivo os ouvintes a examinarem as Escrituras por si. É por isso que dou as citações bíblicas. Eu falo: “Não acreditem só porque eu falo, mas acreditem porque veem na palavra de Deus”. 

Devemos fazer a mesma coisa quando ensinamos os nossos filhos. Deus diz ao homem: “Vinde, pois, e arrazoemos.... Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra. Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a boca do Senhor o disse” (Isaías 1:18-20). Deus nos oferece escolhas e, então, quer que usemos o nosso raciocínio para escolher entre as alternativas. Esperamos que os filhos percebam que escolher ser obedientes a Deus é melhor para eles.

No final das contas, nós somos responsáveis pelas coisas que fazemos e acreditamos. Geralmente os pais são sinceros, mas muitos pais têm sido sinceramente enganados. Têm acreditado numa mentira.

Todos nós devemos buscar a verdade. Nesta busca, podemos até discordar dos nossos pais em algumas questões. O Senhor sabia disso quando disse: “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. Assim, os inimigos do homem serão os da sua própria casa. Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim” (Mateus 10:34-37).

Devemos ensinar os nossos filhos o princípio encontrado nestes versículos. Devemos ensiná-los a amarem a Deus mais do que a nós, os pais deles.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
autor:  Karl Hennecke
(estudosdabiblia/esc14_07)

Bebê cantando com os pais "Deus cuidará de ti", simplesmente LINDO!

é como um bálsamo sobre nossa vida assistir esse acontecimento; bebê cantando com seu papai e mamãe... sem entender o que é ainda, já está louvando o Senhor! Parabéns aos que registraram esta cena!