Decidamos ser ingênuos!


Ingênuo a Respeito do Mal 
É realmente meio engraçado quando encontramos alguém que é totalmente ingênuo a respeito de certas coisas. Nós costumamos dar uma risadinha quando vemos tal inocência, e podemos até tirar sarro da pessoa. Mas mesmo que ser ingênuo possa ser meio bobo às vezes, nem sempre é ruim. Há algumas coisas sobre as quais precisamos ser ingênuos, principalmente se somos cristãos.

O apóstolo Paulo encorajou, “e quero que sejais sábios para o bem e símplices para o mal” (Romanos 16:19). Ele quer dizer através desta advertência que precisamos ser sábios e experientes nas coisas que são boas; mas quanto a nossa experiência prática com o mal, precisamos ser os mais ingênuos possíveis.

E certamente não há nada de errado com isto! Por que é que tantos de nós temos que ter a experiência própria – principalmente em relação ao mal? Por que não podemos ser sábios o suficiente para aprender das más experiências dos outros? Não precisa experimentar álcool ou drogas ou a imoralidade sexual para saber como são terríveis estas coisas! Sabemos de como são más estas coisas apenas ouvindo a Palavra de Deus e as experiências dos outros que não tiveram a sabedoria suficiente de evitar estes males.


Vamos aprender a nos satisfazer com a nossa própria inocência, e a odiar aquilo que é mal (Romanos 12:9)! Vamos nos alegrar quando somos inocentes em relação a experiência no pecado. Não há nada de que nos envergonhar nisso! É na verdade o caminho sábio a seguir! Escolher o caminho mundano sobre a experiência prática e a instrução divina é escolher o caminho que leva à auto-destruição! Reflitamos sobre isso e decidamos ser ingênuos!


–por Rick Liggin


Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário sempre é bem-vindo!