Trabalho oferecido a Deus


Sou totalmente contra a ideia alojada na mente de algumas pessoas modernas de que as atividades culturais são espirituais e louváveis por si mesmas — como se os estudiosos e os poetas fossem intrinsecamente mais agradáveis a Deus do que os garis e os engraxates.

Acho que foi Matthew Arnold o primeiro a usar a palavra inglesa spiritual(espiritual) no sentido dado pelos alemães à palavra geistlich, inaugurando assim o erro mais perigoso e anticristão de todos. Vamos limpá-lo para sempre das nossas mentes.

A obra de um Beethoven e o trabalho de uma empregada doméstica tornam-se espirituais exatamente na medida em que são oferecidos a Deus, em que são feitos humildemente “como que para o Senhor”. Isso não quer dizer que será um mero lançar de dados que definirá se alguém deve varrer os quartos ou compor sinfonias. Um castor precisa cavar para a glória de Deus e um galo precisa cantar.

Nós somos membros de um corpo, mas membros diferenciados, cada um com a sua própria vocação.

fonte: Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário sempre é bem-vindo!