Basta Falar Com A Rocha

Números 20:12 - E o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Porquanto não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta congregação na terra que lhes tenho dado. 

A água é um elemento essencial, para a expressão natural da vida. Sua importância é multiplicada quando sua ausência ocorre em um deserto e tem que aplacar a raiva e a reação daqueles que constituem oposição à liderança de um povo. Foi neste contexto que Moisés, após ouvir a ordem do Senhor de “falar à rocha” para obter água, dramatizou o momento e “feriu a rocha duas vezes com a sua vara” (Números 20:12).

Quando vivemos situações de frustração e irritabilidade, parece que fazer alguma coisa desabafa mais do que, apenas, expressar uma fala ou um discurso. Aparentemente, foi o que acometeu Moisés. A narrativa do Êxodo descreve o drama pessoal de um extraordinário líder que, pelo fato de ter aceitado a convocação de Jeová para libertar seus conterrâneos, sofreu toda sorte de oposição e reação. Dá para entender sua reação agressiva quando, ordenado pelo Senhor para obter água de uma rocha, simplesmente dando-lhe uma ordem verbal, decidiu ferir a pedra com seu cajado. E não somente uma vez, mas duas vezes seguidas.

A lição que podemos receber deste episódio é que o Senhor, quando nos dá uma missão, quer que levemos a sério também os métodos que Ele nos ensina. O desrespeito às logísticas divinas vem corrompendo igrejas e movimentos evangélicos, na atualidade. O que o Senhor exige de nós, quando nos dá uma missão, não é que discutamos a superioridade técnica de ferir uma rocha. O que Ele exige de nós é, humildemente, a atitude de “falar à rocha”. Não importa nossos conhecimentos de geologia. O que importa é obedecer ao Criador das rochas.

autor: Pr. Olavo Feijó

(grifo meu)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário sempre é bem-vindo!