Amor que me guia, entende, respeita e impulsiona

Sentado aqui agora, horas que se vão ao relógio: tempo. Tempo que nos conduz para mais uma mudança rumo a um caminho que ainda reservará novos desafios, encontros e a inspiração que dará o tom, a continuidade de uma história e suas pinceladas em tons de cinza e cores vibrantes. As emoções e sentimentos vão e vem trazendo lembranças, reavivando sonhos e enchendo o coração pulsante de esperança.

O tempo tem se permitido abrir momentos onde experimentei alegrias de celebrações que uniram amigos queridos, encontros com uma juventude engajada no servir e desejando viver um Cristianismo de dentro para fora, visitas de pessoas queridas, amizades que apenas iniciaram uma construção duradoura e o mais importante palavras inspiradoras e cheias de uma força bem desenhadas em pequenos pedaços de papel.

A cada término e novo início é tempo de parar, se autoanalisar, reafirmar convicções, desconstruir e perceber que a obra em nossa vida continuará sendo edificada em uma base sólida: o amor. Amor que me guia, entende, respeita e impulsiona afinal de contas a vida continua. Continuar por continuar seria diminuir a vida a uma insignificante contagem de dias esperando o fim. Não me permito dar um ponto final, no máximo umas interrogações frente às perguntas respondendo com coragem, humildade e significância.

Significado ao chamado que nos enxerga como peças importantes nesse tabuleiro onde caminhar e enfrentar adversários é alcançar não a outra extremidade e a vitória pessoal, mas sim o cumprir do resgate pessoal e coletivo.

Por fim, opa não seria recomeço? A vida tem me ensinado e me levado a me entender melhor a cada dia, a lutar contra meus próprios planos e construções, percebendo o quanto fraco sou. Não se intimide, não corra de você mesmo, a coragem está no ato de se desarmar, se reconhecer e se lançar a cada novo dia nesse tempo e nessa história, um mundo que precisa dos “fracos” para mostrar a fonte de todo poder.

Quero e buscarei isso todos os dias até que as cortinas sejam fechadas, as luzes se apaguem e o amanhã não me acorde com um novo desafio.

                              por • Jeverton “Magrão” Ledo - missionário e pastor de jovens.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário sempre é bem-vindo!