Estar com Jesus, É muito bom descobrir isso!

[...] Aprender a entender que Jesus nos chama “para estar com ele” tem sido uma caminhada significativa e difícil. Difícil porque sempre acabo achando que a relação com Jesus é operacional; que ela é melhor na medida em que “faço” mais coisas para ele e em seu nome. Significativa porque vou descobrindo que o ativismo gera muita superficialidade e pouca relação, e que não é isso que Jesus deseja.

O que ele quer é construir conosco uma relação de intimidade e significado, onde estar com Jesus vale mais do fazer coisas para ele e em nome dele.

Aquela noite que Jesus passou em oração foi uma noite com o Pai. Melhor ainda, foi uma noite de profunda comunhão na Trindade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo estavam juntos, queriam estar juntos e, para isso, não precisavam de nenhuma agenda de atividades. Eles simplesmente queriam estar um com o outro.

Nós que viemos de uma tradição ativista e operacional temos muito a aprender com o fato de Jesus nos chamar “para estar com ele”. Não creio que ele tenha ido ao encontro do Pai, naquela noite, com uma lista de nomes a serem politicamente negociados. Também tenho dificuldade em acreditar que ele tenha ido com o objetivo de extrair do Pai o maior número possível de concessões, visando uma campanha ministerial próspera e bem engrenada. Ele passou a noite em comunhão com o Pai e o Espírito, no desejo de alimentar sua comunhão com eles e deixar que esta nutrisse e norteasse a sua convivência com o grupo de discípulos vindos de diferentes histórias, mas chamados para uma experiência única de vivência do reino de Deus.

Não importa quantos anos de discipulado tenhamos, é preciso lembrar que Jesus nos chama a aprender com ele o significado de estar com ele. Estar -- sem agenda e sem atividades. Estar para descansar, estar para ser consolado, para ser reorientado. Estar para estar. É muito bom descobrir isso!

No memorável encontro na casa de Maria e Marta, fica claro o que significa ser chamado para estar com Jesus. Enquanto Marta está ocupada com mil coisas, movida por uma grande necessidade de ser uma boa hospedeira para o Mestre, Maria senta aos pés dele, e sua atitude é reconhecida como a melhor escolha. Jesus diz que “Maria escolheu a boa parte” e que esta não lhe será tirada (Lc 10.38-42).

Esta “boa parte” está reservada também para nós, e o caminho para ela é aprender a estar com Jesus.

____________________________ por Valdir Steuernagel



                           FELIZ ANO NOVO! 
Que as bençãos do Senhor Jesus Cristo sejam sobre sua vida e de toda sua família!!!


(grifo meu)

Caminhando com os Salmos

Em dias como os de hoje, uma leitura recomendada poderia ser a dos Salmos. É numa literatura como os Salmos que a gente acaba se encontrando quando as emoções determinam fortemente a nossa vida. Seja para cima ou para baixo. Mais para baixo do que para cima.

Os Salmos nos falam da absoluta legitimidade de buscar a Deus nos momentos de crise e de dor, momentos de angústia e de perguntas. Aliás, os Salmos nos falam de que este é o momento de buscar a Deus, e retratam essa busca com uma transparência e um realismo humano surpreendente.

Não há espaço para “maquiagens”, e o salmista emerge com suas perguntas, sua angústia e até sua raiva e crise de fé. Há vezes em que ele mesmo não entende o que lhe está acontecendo. Aliás, às vezes nem a Deus ele consegue entender! O salmista, no fundo, é corajoso. Ele tem a coragem de dar voz àquilo que nós apenas pensamos.

Elevo a Deus a minha voz, e clamo,
elevo a Deus a minha voz, para que me atenda. No dia da minha angústia procuro o Senhor;
erguem-se as minhas mãos durante a noite, e não se cansam; a minha alma recusa consolar-se. Lembro-me de Deus e passo a gemer; medito, e me desfalece o espírito. (Sl 77.1-3.)

______________________ por Valdir Steuernagel, pastor



Você tem valor, você é importante para Deus.

A gratidão é um dos sentimentos mais belos da vida cristã. E qual é o filho de Deus que sabe ter sido salvo e liberto por Cristo que não irá irromper num cântico de louvor e gratidão a Deus por tão grande salvação recebida. Um velho hino cristão dizia: “Ah, se eu tivesse mil vozes para o Senhor louvar”.
A gratidão é um dos sentimentos mais belos da vida cristã.

Deus nos criou com um propósito claro e específico. Deus nos salvou através do tremendo sacrifício de seu amado Filho. Você é tão importante para Deus que ele te chamou pelo teu nome e te incluiu no rol dos salvos para sempre. Você tem valor, você é importante para Deus.

Conta-se de um filho de família pobre, que a muito custo conseguiu realizar o sonho de sua vida: formar-se em medicina. No dia de sua formatura, ele soube honrar aquela mulher que muito tinha contribuído para que isto se concretizasse: sua querida mãe. Ela mesma, a custa de muitos sacrifícios, esforçara-se para dar ao filho uma ótima educação. Ele, então, expressando toda a gratidão a ela, quando estava recebendo o diploma, chamou-a à frente e a fez sentar-se em sua cadeira, dizendo-lhe com muito amor: obrigado, mamãe, este canudo também é teu. Muito obrigado.

Se no plano natural sabemos ser tão agradecidos, como não o seremos em relação ao nosso querido Pai. Nunca te esqueças de ser grato. Salmodie e agradeça a Deus todos os dias. Junto com o salmista diga: “GRANDE É O SENHOR E MUI DIGNO DE SER LOUVADO.” Salmo 48

Autor: Telmo Weber


Precisamos de Jesus

A Bíblia diz, segundo o evangelho de Lucas, que Jesus veio buscar e salvar o perdido (Evangelho de Lucas 19.10). Se estamos perdidos longe de Deus precisamos de Jesus. Jesus não só morreu pelos nossos pecados, mas também ressuscitou, porquanto era impossível que a morte o retivesse, porque ele não tinha pecado (Livro de Atos 2.24). 

Ele esta vivo e em breve voltará para buscar a sua família, a sua igreja. A Bíblia diz também que Deus o exaltou, o fez grande, porque fez a vontade de Deus e foi obediente até à morte de Cruz.

Mas como podemos experimentar essa vida com Deus Pai através do que Jesus fez por nós? Jesus morreu para que pudéssemos voltar para Deus, voltar para a casa do Pai. Quando Jesus pregava o evangelho ele sempre dizia: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Evangelho de Marcos 8.34).

Você precisa crer em Jesus Cristo como Filho de Deus, crer naquilo que ele fez por você, e abandonar o seu modo de vida, arrepender-se, mudar de atitude, e entregar o controle de sua vida para Ele. Você deve confessar a Jesus Cristo como Senhor em seu coração e deixar que ele a partir de agora o conduza. Pois no Evangelho de Marcos 16.16, ele nos ordena o seguinte: “Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém não crer será condenado”.

- Você crê nessa verdade que fala como você pode chegar até Jesus?

____ por Jorge Caratti e equipe de Evangelismo.


É noite de Natal [que seja todos os dias]

Meia-noite já bateu e eu deveria estar dormindo, mas estou acordado. Me mantenho desperto por causa de um pensamento surpreendente. O mundo estava diferente esta semana. Ele foi temporariamente transformado.

O pó mágico do Natal brilhou nas faces da humanidade muito brevemente, lembrando-nos do que vale a pena possuir e como deveríamos ser. Esquecemos nossa compulsão de vencer, seduzir e guerrear. Pusemos de lado nossas escadas de acesso social e nossos livros contábeis, penduramos nossos cronômetros e armas. Descemos de nossas montanhas russas e pistas de corridas e olhamos em direção da estrela de Belém.

É a época de alegrar-nos, porque mais do que em qualquer outra ocasião pensamos nele. Mais do que em qualquer outra ocasião, seu nome está em nossos lábios.

E o resultado? Durante algumas horas preciosas nossos anseios celestiais se mesclam e nos tornamos um coro. Um coro variado de estivadores, advogados, imigrantes ilegais, donas-de-casa, e milhares de outras pessoas peculiares que se perguntam se esse mistério de Belém é na realidade uma realidade. "Venham e olhem para ele" cantamos, despertando até o mais adormecido dos pastores e mostrando-lhe o Cristo-menino.

Por algumas horas preciosas ele é contemplado. Cristo, o Senhor. Os que passam o ano sem vê-lo, de repente o vêem. Pessoas acostumadas a usar o seu nome em vão, fazem uma pausa para louvá-lo. Olhos agora livres dos antolhos do "eu", se maravilham com a sua majestade.

Num momento ele está em toda parte.

No sorriso do soldado que dirige o carro cheio de presentes para o orfanato.

No olhar alegre do garçom de Taiwan ao contar de sua próxima viagem para ver os filhos.

Na emoção do pai que fica grato demais para poder terminar sua oração à mesa.

Ele está nas lágrimas da mãe quando ela dá as boas-vindas ao filho que chegou de longe.

Ele está no coração do homem que passou a manhã de Natal entregando aos necessitados sanduíches frios e votos calorosos de Natal.

E ele está no silêncio solene da multidão que faz uma pausa em suas compras para ouvir o coro de crianças da escola elementar cantando "Lá na Manjedoura".

Emanuel. Ele está conosco. Deus se aproximou.

É noite de Natal. Em poucas horas vai começar a limpeza — as luzes vão ser tiradas, as árvores jogadas fora. O tamanho 36 vai ser trocado por tamanho 40, os preços baixam pela metade. A vida em breve voltará ao normal. A generosidade de dezembro se transformará nos pagamentos de janeiro e a mágica começará a desbotar.

Mas no momento a magia ainda está no ar. Talvez seja por isso que ainda não consegui dormir. Quero saborear o espírito de Natal um pouco mais. Quero orar para que aqueles que o contemplaram hoje procurem por ele no próximo agosto. E não posso deixar de demorar-me num pensamento fantasioso:

Se ele pode fazer tanto com orações tão tímidas oferecidas tão desajeitadamente em dezembro, quanto mais ele poderia fazer se pensássemos nele todos os dias? 

 _____________  por Max Lucado (trecho de texto) 

 




Natal é uma pessoa; Natal é Jesus!



O Natal não é uma data religiosa, ou mesmo, uma força mística de paz ou um vento de bons fluídos. Natal é uma pessoa; Natal é Jesus!
Mais do que tudo, o mundo precisa da verdadeira mensagem de esperança que só o Natal de Jesus pode trazer. Vamos levar por meio das nossas vidas, à nossa comunidade e sociedade, as palavras, ações e atitudes de esperança, fé e amor! É tempo de Natal!
__________ por Pr. Carlito Paes

Incredulidade e resistência

E não podia fazer ali obras maravilhosas; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. E estava admirado da incredulidade deles (Marcos 6:5-6).

É espantoso lermos que Jesus Cristo, o qual deu provas de ser Senhor sobre a vida e a morte ao ressuscitar mortos, que expulsou demônios, a quem as ondas e o vento obedeceram, não pôde fazer nenhuma obra poderosa em Sua cidade natal, Nazaré. Qual foi o obstáculo?

Ao examinarmos toda essa passagem, o que recomendamos aos nossos leitores, descobrimos a razão: havia ali uma concentração de incredulidade e resistência, quase uma total rejeição à Sua Pessoa. “De onde lhe vêm estas coisas?… Não é este o carpinteiro?” (vv. 2 e 3). Essas palavras exalam desconfiança.

A causa naturalmente não era a incapacidade do Senhor. Isso fica claro no comentário do evangelista Marcos: “somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos”. O relato parece contrastar tais curas e as poderosas obras, como se aquelas fossem in­significantes para Jesus. Mas elas eram tão grandes quanto as outras. 


O significado dessa passagem é que Jesus Cristo, embora sendo o Salvador do mundo, foi impedido de realizar mais milagres ali.

Em outras palavras: Deus não pode ajudar alguém que recusa a salvação que Ele oferece à humanidade por meio da obra de Seu Filho, Jesus Cristo, na cruz do Calvário. No entanto, é desejo do próprio Jesus Cristo ver o resultado do maior milagre de todos: 

os pecadores libertos do fardo de seus pecados pela fé em Seu sangue derramado. Foi por esse motivo que Ele veio ao mundo. As curas, os milagres, as grandes obras que Ele realizou – e ainda hoje realiza – são meios para demonstrar a bondade e o favor de Deus para conosco.

____________________ por Wim Malgo


Não há um momento em que Jesus não esteja falando.

Deixe-me dizer algo importante. Não há um momento em que Jesus não esteja falando. Nenhum sequer. Não existe um lugar em que Jesus não esteja presente, nenhum sequer. Nunca haverá um quarto muito escuro... um saguão muito envolvente... um escritório muito sofisticado... que o terno Amigo, sempre marcando presença e que sempre nos acompanha, implacavelmente não esteja lá, batendo à porta dos nossos corações, com toda gentileza, esperando ser convidado a entrar.
[...]

"E eu estarei com vocês todos os dias, até o fim dos tempos. " [Mt 28:20]"Eu nunca o deixarei; eu jamais o abandonarei." [Heb 13:5]

Não há qualquer outro coro que soe tão alto a ponto de não permitir que a voz de Deus seja ouvida... se decidirmos ouvi-la. 
[...]

"Não se admirem disso, porque está chegando a hora em que todos os mortos ouvirão a sua voz e sairão dos túmulos. Aqueles que fizeram o bem, vão ressuscitar para a vida eterna. Mas aqueles que fizeram o mal, vão ressuscitar para ser condenados. " [João 5:28-29]

Interessante. Um dia virá em que todos ouvirão a voz dele. Haverá um dia em que todas as outras vozes serão silenciadas, e somente a voz dele será ouvida.

Alguns escutarão sua voz desde o primeiro instante. Não é que ele nunca tenha se pronunciado, mas é que eles nunca a ouviram. Para esses, a voz de Deus será a voz de um estranho. Eles a ouvirão uma vez e nunca mais. Vão passar a eternidade fugindo das vozes que seguiram na terra.

Mas os outros serão chamados de seus túmulos por uma voz familiar, pois são ovelhas que conhecem seu pastor, são servos que abriram a porta quando Jesus bateu.

Nesse dia, a porta se abrirá novamente. Somente dessa vez. E não será Jesus que entrará em nossa casa; seremos nós que entraremos na casa dele.

___________ por Max Lucado


Em cada situação, fale com Jesus

Existem problemas familiares de todo tipo. Jesus, tanto no Seu tempo na terra como ainda hoje, é maior do que todos os problemas familiares. Isso o pai daquele rapaz atormentado pelo mal também sabia, e por isso veio a Jesus com sua aflição.

Ninguém foi capaz de remediar sua aflição familiar, somente Jesus podia ajudar. E Ele ajudou!

Ele "repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai." Hoje Jesus também quer ajudar em todo problema familiar, seja ele causado por culpa própria ou de estranhos.

Em cada situação, fale com Jesus sobre o assunto; fale com Ele como fez aquele pai aflito. Se Ele não intervém imediatamente, não desanime. Continue falando com Jesus sobre os seus problemas familiares. Ele o ouvirá e, tocado por misericórdia, mais uma vez se mostrará como Aquele que é maior que tudo. Ele não o rejeitará, pois Ele mesmo disse: "...o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora."

"E eis que, dentre a multidão, surgiu um homem, dizendo em alta voz: Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um espírito se apodera dele e, de repente, grita e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado." Lucas 9:38-39

______________ do DevocionalDiário

Os bombeiros de Judas

Salvem os outros, tirando-os do fogo. (Jd 23)

Um ancião não deve ser tratado como uma criança nem a criança deve ser tratada como um adulto. Ponho a criança no berço e o ancião numa cadeira de rodas. Aqueles que têm dúvidas devem ser tratados de um jeito. As pessoas que estão sendo chamuscadas pelo fogo devem ser tratadas de outro jeito. Os pecadores que persistem no pecado devem ser tratados de outra maneira ainda. Uma estratégia diferente para cada pessoa diferente e para cada problema diferente. Essa é a orientação de Judas.

Quanto aos que estão se queimando no fogo, tenho que fazer sem perda de tempo o papel de um bombeiro: antes de apagar o fogo (o que talvez eu não consiga), eu os tiro do fogo.

É bem provável que Judas tenha retirado essa imagem do Antigo Testamento. Para ilustrar a graça de Deus, o profeta Amós, mais de setecentos anos antes, disse que os sobreviventes dos juízos de Deus pareciam “um galho que no último momento é tirado do fogo” (Am 4.11).

Os crentes aos quais Judas escreve deveriam salvar seus irmãos em crise, em pecado, em perigo ou a caminho do juízo, retirando-os dessas situações trágicas. Estes correm mais riscos do que os que tinham dúvidas. Talvez tenham sido mais influenciados pelos lobos vorazes do que os primeiros: os outros estavam hesitando e estes já não hesitam mais, porém estão debandando ou já debandaram para o lado daqueles bajuladores, dos quais Judas se queixa amargamente.

Pode ser que houvesse um quarto grupo com o qual deveriam lidar. Ou, então, que eram pessoas do mesmo terceiro grupo em situação bem mais grave. A esses os “bombeiros” deveriam mostrar misericórdia, mas tomar todo cuidado para não se queimarem, odiando o que eles faziam e até as roupas íntimas deles “manchadas pelos seus desejos pecaminosos” (v. 23).

— Que Deus me ajude a arrebatar do fogo os que estão se queimando sem me queimar!


de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.



Uma promessa maravilhosa!

"...E nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro nem de clamor." Isaías 65.19

Uma promessa maravilhosa! Você, filho de Deus, lá no alto não chorará mais, pois ali todo motivo para tristeza não existirá mais. No céu não haverá mais amizade rompida nem esperança frustrada. Enfermidades físicas e mentais, mal-entendidos, perigos e morte serão totalmente desconhecidos ali. 

Você pode ter certeza: no céu nenhum sofrimento o afligirá, nenhum pensamento de morte e nenhum prejuízo o oprimirá. Deus mesmo enxugará todas as lágrimas derramadas aqui na terra. Também, por isso, no céu você não chorará mais, porque todos os seus profundos anseios e desejos estarão satisfeitos. 

O "coração mau e incrédulo" será então substituído por um novo coração. Você estará diante do trono de Deus, sem defeito e sem mácula, e terá se tornado perfeitamente igual à semelhança de Seu Filho. Por isso, querido leitor, anime-se, pois: Deus "lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras cousas passaram."

_________________ por Wim Malgo


O que deve ser o namoro?

1 Coríntios 10:31 - Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.

O namoro é um período em que um moço e uma moça se aproximam sentimentalmente para avaliar a possibilidade de, juntos, constituírem uma família. É um tempo de conversa, alinhamento, partilha de sonhos e aspirações e, principalmente, discernimento da vontade de Deus.

No namoro cristão, podem existir demonstrações de carinho, mas o principal neste momento deve ser o diálogo! 

O namoro é como uma mesa redonda para decidir se há compatibilidade neste casal para formar uma futura família. O cristão não namora para passar tempo, ele namora para casar.

O cristão deve viver para a glória de Deus. Isso inclui, obviamente, fazer do namoro um procedimento adequado a
fé que temos no Senhor Jesus.

_________________  pr Sérgio Fernandes

 

A oração do Senhor por uma turba de linchadores

A indústria cinematográfica tentou, recentemente, ressuscitar alguns filmes de "bang-bang". Os atores são diferentes, mas a trama é a mesma. A cena de enforcamento ainda pinta os homens maus tirando a vida de vítimas inocentes e até se divertindo realmente com isso. Palavras penetrantes, ditas para ferir, acompanham o evento medonho. A que nível as pessoas podem chegar?

Pode ser que você tenha sido profundamente ferido por palavras e ações de outros. Como você lida com isso? Como você trata a traição por um amigo íntimo? Como você reage a uma carta anônima? A resposta depende da condição do coração. Que melhor coração para servir de modelo para nossa vida do que o de Jesus Cristo?

Numa quente, brilhante, sexta-feira de manhã em Jerusalém, Jesus sofreu profundas lacerações, causadas pelo açoite e pelos pregos, e teve que sofrer severo abuso verbal de uma multidão de curiosos que incluía os soldados. A crucificação, no oriente, era pior do que um enforcamento no oeste. Em vez de procurar vingança ou exigir desculpas, ele falou em defesa deles. Não era incomum uma pessoa crucificada falar na cruz; mas suas palavras eram geralmente selvagens expressões de dor, rogando pela libertação, maldições contra Deus ou julgamentos sobre aqueles que tinham causado seus sofrimentos. Ele orou: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem" (Lucas 23:34).

Admirável! Essa oração era tão incomum que levou um criminoso notório, que estava sendo crucificado próximo a Jesus, a mudar totalmente sua disposição em favor do Cristo. Esta exclamação pode certamente causar feridas emocionais, rancor e ressentimentos parecerem infantis.

Esta oração provou a íntima e habitual comunhão de Jesus com seu Pai. Foi porque a oração era a linguagem natural do Salvador que ela saltou a seus lábios ressecados nesse momento. Seu Pai era uma parte inseparável de seu coração. Justo quando parecia conveniente retirar-se de Deus ou imaginar se ele sequer estivesse por perto, Jesus orou ao Pai. Jesus afirmou o tipo de coração que é necessário para segui-lo, que reflete seu próprio coração: "Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me" (Lucas 9:23). Buscar a si mesmo é o oposto de negar-se a si mesmo. É a raiz do problema da nossa inclinação para o pecado. As massas egoístas seguem o caminho que Pedro descreveu: "...especialmente aqueles que, seguindo a carne, andam em imundas paixões e menosprezam qualquer governo. Atrevidos, arrogantes, não temem difamar autoridades superiores" (2 Pedro 2:10).

"Perdoa-lhes" é uma oração de intercessão. É mais fácil orar muito por si mesmo do que fazer isso por outros. Isso exprime eloqüentemente a solicitude de um pelo bem-estar de outros, sejam parentes, amigos ou inimigos. 

Jesus mantinha uma mente submissa que pensava, servia e sacrificava-se pelos outros, para a glória de Deus, e não para ganho pessoal (Filipenses 2:5-11).

Uma pessoa injuriada geralmente se importa somente com seu próprio lado da situação, e vê somente aquelas circunstâncias que tendem a colocar a conduta da outra parte sob a pior luz. Não Jesus. Seu entendimento claro do perigo a que a culpa deles os expunha fez com que ele atentasse, não para sua própria dor, mas a reverter o destino horrível da multidão de linchadores. 

Orando por seus inimigos, Jesus estava capacitado a reprimir ao desejo natural de vingança e ter uma paz imperturbável. Ele orou por eles para que tivessem tempo para se arrependerem de seu crime horripilante. Eles mereciam um julgamento imediato. Aconteceu? Não. Jerusalém foi destruída, como Jesus tinha predito, mas não antes de quarenta anos após a sua morte; e neste ínterim o Espírito Santo veio e os apóstolos começaram a pregar o perdão dos pecados (Atos 2:16-38).

Estão perdoados os seus pecados? Você pode amar uma multidão de linchadores como Jesus fez? Perdoando assim, o ofensor nunca entenderá plenamente o que eles fizeram você passar; eles nunca serão capazes de pagar pelo que tomaram de você (ainda que possam fazer uma nobre tentativa), e nunca saberão plenamente como você se sentiu. 

Em que base você pode fazer isso? 
"Sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou" (Efésios 4:32). Pelo amor de Cristo, ame uma turba de linchadores

_________________ por Jerry Accettura


UM COBERTOR ESPECIAL


No tempo em que os cristãos eram perseguidos na Romênia, um deles foi especialmente vigiado por exercer uma grande atividade no serviço de evangelismo. Como suspeitava que iria ser preso em breve, fugiu para a montanha. 

Era inverno e à noite os lobos se aproximavam do lugar onde estava, mas ele tinha mais medo dos homens que dos animais. Em uma noite especialmente fria, como não conseguia se aquecer: orou: - Senhor, já não posso mais resistir ao frio. Um cobertor me faz muita falta? E, esgotado, dormiu.

Acordou quando o sol já estava alto. Ao se mexer em sua cama de folhas secas, um animal estendido ao seu lado se levantou rapidamente e desapareceu na floresta. Não conseguiu discernir se era um filhote de lobo, um cão selvagem, um urso, mas não importava. Deus respondera sua oração e lhe enviou um cobertor mais que especial para esquentá-lo.

"Àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre" (Efésios 3:20-21).

_________ devocional Boa Semente 2014




Nas provações, cresçamos e amadureçamos

A fé precisa ser provada pela obediência. Está escrito claramente em Êxodo 15.25, que o Senhor provou Seu povo. Quando o Senhor nos prova, não precisamos ficar com medo, pois então Ele também assume plena responsabilidade por nós.

Ele não abandona nenhum de Seus filhos."Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar" (1 Co 10.13). E o desfecho da provação foi maravilhoso para Israel!

O importante é aprendermos as lições através de algum problema pelo qual estejamos passando no momento, o essencial é que cresçamos e amadureçamos: "...para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo" (1 Pe 1.7).

Esse também é o tema central do apóstolo Paulo, que nos adverte insistentemente: "Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo" (Ef 4.15). Se não quisermos passar por provações, tornar-nos-emos superficiais e indiferentes e perderemos as maiores bênçãos.


_______________ trecho do texto de Burkhard Vetsch

E Você, Quem É?



Atos dos Apóstolos 19:15 - Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois? 

Em uma de suas viagens missionárias, Paulo pregou e, em nome de Cristo, expulsou demônios. Curandeiros da cidade quiseram imitá-lo e tentaram “em nome de Jesus” fazer um exorcismo. O mau espírito, diante da ordem de ir embora, agrediu os exorcistas locais e declarou: “Conheço a Jesus e bem sei quem é Paulo; mas vocês, quem são?” (Atos 19:15).

Todas as vezes que os espíritos do mal enfrentaram Jesus, seus apóstolos, bem como todos os leais discípulos de Jesus, a declaração deles foi clara e coerente. Satanás e seus anjos sabem do poder vitorioso do Cristo. Eles sabem que já foram derrotados pelo Filho de Deus e, como consequência, por todos os cristãos que se submetem ao senhorio do Cristo.

Nossa grande questão espiritual é: e nós, cristãos, conhecemos, na prática, o poder do nosso Senhor? Diante dos enganadores ataques do Maligno, nossa vivência com Cristo é tão real, a ponto de eliminar nosso medo e descansar nas promessas do Senhor? Afinal de contas, quem sou eu? Se, realmente, sou de Jesus, que é que estou esperando, para deixar meus medos nas amoráveis e poderosas mãos do Senhor? Somos de Jesus e os inimigos sabem disso.


___________ pastor Olavo Feijó

(grifo meu)
19361