A torre de Pedro


São essas as qualidades que vocês precisam ter. (2Pe 1.8a)

A torre de Pedro começa com a fé e termina com o amor. A fé é o alicerce que vai sustentar a torre. O amor é o último passo, a cobertura. A montagem da torre é esta: a bondade acima da fé, o conhecimento acima da bondade, o domínio próprio acima do conhecimento, a perseverança acima do domínio próprio, a devoção acima da perseverança, a amizade cristã acima da devoção e o amor acima da amizade cristã (2Pe 1.5-7).

O desejo que Pedro expressa em sua carta é que os crentes subam toda a torre: “Quanto mais seguirem nesse caminho, tanto mais vocês ficarão fortes espiritualmente e se tornarão frutíferos e úteis no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo” (2Pe 1.8, NBV).

Curioso é que Pedro faz distinção entre amizade cristã e amor. Quem sabe, o amor seja a implicação e o aperfeiçoamento da amizade cristã. Afinal de contas, segundo o hino ao amor cristão, da lavra de Paulo, “Quem ama é paciente e bondoso. Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso nem vaidoso. Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, não guarda mágoas. Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo. Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência” (1Co 13.4-7).


Para Paulo, das três virtudes – fé esperança e amor – “a maior delas é o amor” (1Co 13.13). Por ter colocado o amor na cobertura da torre, a laje mais próxima do céu, Pedro teria a mesma opinião.

– Para chegar à cobertura, é preciso passar por todos os andares da torre de Pedro!

>> Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário sempre é bem-vindo!