Enquanto há tempo...

Pensamento Bíblico: “. . . E Fortalecem as Mãos dos Malfeitores” (Jeremias 23:14). 

Jeremias não foi o único pregador em Judá na sua geração. Houve muitos que negaram sua mensagem sobre a destruição da nação ímpia, que estava para acontecer. Eles prediziam a paz, assegurando aos perversos que Deus estava satisfeito com a conduta deles. Tal pregação deu ao povo uma falsa segurança e apressou sua condenação. Precisamos aprender esta lição em nossa geração!

Ação: Conte aos outros a verdade enquanto há tempo para se arrepender.

__________ de 'Andando-na-verdade/estudosdabiblia'




Que Deus nos ajude a viver livre das coisas que ele abomina


Provérbios 6:16-19 diz: "Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos."
[...]

Olhos altivos
Olhos altivos são olhos elevados, altos, arrogantes, orgulhosos e presunçosos. Deus sempre condena a arrogância dos homens, pois ela contraria a sabedoria divina. Provérbios 8:12-13 diz: "Eu, a Sabedoria, habito com a prudência e disponho de conhecimentos e de conselhos. O temor do SENHOR consiste em aborrecer o mal; a soberba, a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu os aborreço."
[...]


Língua mentirosa
Nesta lista de sete coisas que Deus aborrece, três são pecados da língua. Deus odeia a mentira. O mentiroso será castigado por Deus (Salmo 7:12-16). Muitas pessoas confiam na mentira, se achando capazes de enganar o mundo e até o próprio Deus. Na sua arrogância, elas não confiam no Senhor (Salmo 40:4). O servo de Deus abandona a mentira e busca a lei do Senhor (Salmo 119:163). Da mesma maneira que Deus aborrece a mentira, a pessoa justa também a aborrece (Provérbios 13:5).
[...]


Mãos que derramam sangue inocente
Deus sempre detestava a violência dos homens. Em Gênesis 6:13, a violência é citada como motivo para a destruição dos homens no dilúvio. Em Provérbios 24:1-2, aprendemos que o servo de Deus deve procurar ficar longe dos violentos: "Não tenhas inveja dos homens malignos, nem queiras estar com eles, porque o seu coração maquina violência, e os seus lábios falam para o mal."
[...]


Coração que trama projetos iníquos
Os ímpios tramam contra os justos. Há tanta injustiça no mundo que pessoas boas ficam desesperadas. Mas, este quadro será invertido. Salmo 37:12-17 diz: "Trama o ímpio contra o justo e contra ele ringe os dentes. Rir_se_á dele o Senhor, pois vê estar_se aproximando o seu dia. Os ímpios arrancam da espada e distendem o arco para abater o pobre e necessitado, para matar os que trilham o reto caminho. A sua espada, porém, lhes traspassará o próprio coração, e os seus arcos serão despedaçados. Mais vale o pouco do justo que a abundância de muitos ímpios. Pois os braços dos ímpios serão quebrados, mas os justos, o Senhor os sustém.
[...]


Pés que se apressam a correr para o mal
Deus criou o homem para servir a ele. Devemos dedicar nossos corpos como sacrifícios vivos para fazer a vontade do nosso Criador e Redentor (Romanos 12:1-2). Nessa lista de coisas que Deus aborrece, os primeiros cinco itens descrevem partes do corpo (olhos, língua, mãos, coração e pés). O pecado é como imã que atrai os ímpios. Quando a pessoa cede à tentação e corre para o pecado, ela é rejeitada por Deus (Salmo 34:16). Salomão nos adverte sobre o perigo de entrar no caminho dos malfeitores:"Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; guarda das suas veredas os pés; porque os seus pés correm para o mal e se apressam a derramar sangue"(Provérbios 1:15-16). 
[...]


Testemunha falsa que profere mentiras
Duas vezes nessa lista de sete itens, Deus inclui a mentira. Não podemos exagerar a gravidade desse pecado. Deus é verdade, e a mentira não vem dele (João 8:44). Mentiras não são brincadeiras. Temos que aprender falar a verdade sempre e exclusivamente (Efésios 4:25).
[...]


O que semeia contendas entre irmãos
Mais uma vez, encontramos nessa lista um pecado que envolve, principalmente, o uso errado da língua. Contendas são obras de maldizentes. "Sem lenha, o fogo se apaga; e, não havendo maldizente, cessa a contenda" (Provérbios 26:20).
[...]


Conclusão
Durante mais de 20 anos de casamento, eu tenho aprendido uma coisa importante: quando amamos uma pessoa, procuramos evitar as coisas que ela não gosta. Quando Deus diz que detesta essas sete coisas, está dizendo que as pessoas que o amam farão tudo para tirar todos esses pecados da própria vida. Que Deus nos ajude a viver livre das coisas que ele abomina.

______por Dennis Allan



O VELHO NÃO PRESTA!

Ninguém deita remendo de pano novo em roupa velha; doutra sorte o mesmo remendo novo rompe o velho, e a rotura fica maior. E ninguém deita vinho novo em odres velhos; doutra sorte, o vinho novo rompe os odres e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; o vinho novo deve ser deitado em odres novos  (Marcos 2:21-22).

A roupa velha é a que adquirimos por termos nascidos filhos de Adão, descrita da seguinte maneira em Isaías 64:6: "Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia". Será que alguém usaria um tecido novo e caro para consertar andrajos? A roupa nova nos lembra das vestes de justiça que são dadas a todos os que recebem o Senhor Jesus como Salvador.

Será que o Senhor Jesus veio somente com o objetivo de remendar nossa miserável condição de desobediência à Palavra de Deus? Alguns pensam que o cristianismo é uma religião para tentar melhorar a condição pecadora do ser humano. 

Primeiro, o cristianismo não é uma religião, é um relacionamento; segundo, Cristo não veio para aperfeiçoar a "carne", ou seja, nossa roupa velha, mas para matá-la! "Os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências" (Gálatas 5:24).

Da mesma maneira, não se coloca vinho novo em odres velhos, desgastados. O vinho novo fala sobre a indescritível alegria de conhecer a Cristo. Os odres remetem obviamente aos recipientes do vinho. Odres velhos simbolizam pessoas que se tornaram endurecidas pelo amor ao pecado. Elas estão imprestáveis e são incapazes de conter qualquer vestígio da vida de Deus. 

A maioria dos "odres velhos" é composta de religiosos! O maravilhoso vinho da alegria em Cristo obrigatoriamente tem de ser colocado em novos recipientes, nascidos do Espírito Santo.

Nascer de Deus nos torna vasos novos, com vestes novas e cheios de vinho novo (João 3)! Nada neste mundo se pode comparar a isso!

__________ de "Encontre a paz"/Chamada

Renove o seu ânimo!

"Porque proclamarei o nome do Senhor. Engrandecei o nosso Deus! Eis a Rocha!" Deuteronômio 32.3-4

Moisés, que havia experimentado o Senhor como a fortaleza segura nas provações e aflições mais pesadas pelas quais passou, testifica diante do povo de Israel no fim da sua vida:


"Eis a Rocha!" Em toda a Bíblia, Jesus Cristo se revela como "a Rocha da eternidade", como a fortaleza segura. 

Você crê que Ele é também a sua rocha? Ou você vive longe de Cristo, da Fortaleza segura para todos os que crêem, justamente neste tempo em que a necessidade de segurança aumenta em escala cada vez maior? 

Todos temos o desejo de segurança, aconchego, proteção e abrigo. E buscamos isso, mas muitas vezes não no lugar certo, no lugar em que podemos encontrar tudo isso em abundância, ou seja, na única rocha eterna: Jesus Cristo. 

Como se chama o fundamento sobre o qual você edificou a sua vida? 

O fundamento da nossa vida determina a vitória ou a derrota no dia-a-dia e é decisivo para a eternidade. O fator determinante não é aquilo que somos em nós mesmos, mas, sim, a base sobre a qual estamos edificados. 

Coloque os seus pés sobre esta "Rocha da salvação"! Fundamente e construa a casa da sua vida sobre Jesus Cristo, a Rocha eterna! Se você já o fez, renove o seu ânimo! Invoque-O de todo o coração e peça-Lhe: "Abriga-me eternamente em Ti, grande Salvador!" E Ele o fará, pois Deus ouve a oração sincera.

____________ por Wim Malgo 

_____________  Jesus Cristo renovou minha vida!



O que a felicidade não é



A ideia errônea do que é a verdadeira felicidade pode vir a ser a principal causa da infelicidade. Convém apontar o que a felicidade “não é”:

- A felicidade não tem ligação com a ausência de embaraços, dificuldades, imprevistos, oposição ou embates. Antes, a presença destas coisas exercita e valoriza a vida. Muitas vezes quebram a rotina e servem de degraus para que alcancemos posições mais altas.

- A felicidade não depende de circunstâncias favoráveis. Se fosse circunstancial, ela seria instável, transitória, incerta. Ela não se apoia em fatores que nem sempre estão sob o controle humano.

- A felicidade não é resultado da satisfação de todo desejo do coração. Os nossos desejos frequentemente são contraditórios e surgem de fontes opostas entre si. Qualquer pessoa descobre que a não satisfação de certos desejos, conquanto fortes e audaciosos, resulta em extraordinária felicidade.

- A felicidade não significa uma aceitação silenciosa e compulsória das dificuldades existentes, como se fossem determinadas por Deus. A resignação é virtude cristã e preciosa, mas não deve ser confundida com a indisposição para a luta ou com o medo, com a covardia ou a falta de fé.

- A felicidade nunca acontece em uma sala fechada em cuja porta, do lado de fora, uma tabuleta avisa: “Não entre sem ser chamado”. 


A felicidade não depende do isolamento, do silêncio, de calmarias, de acessórios e assessores, da ginástica do chamado “pensamento positivo”, da repetição mecânica de orações e de frases otimistas, de mentiras inteligentes e bem elaboradas. 

Ao contrário, a felicidade tem de conviver com a maldade, com o sofrimento, com a inimizade alheia, com a morte, com a realidade presente e histórica.

____Revista Ultimato ed.332


http://www.ultimato.com.br/revista/artigos/332/o-que-a-felicidade-nao-e

A alegria cristã

O povo de Deus é alegre por definição. O cristão é alguém que foi encontrado por aquele que é feliz e recuperou a sua posição como filho. Para os cristãos, a alegria não é só uma opção de vida. É uma ordem de Deus ao seu povo; é um bom testemunho; é pré-evangelização; é coerência.

O mandamento da alegria está espalhado nas Escrituras Sagradas: 

nos livros da lei (Dt 16.11), 
nos Salmos (Sl 32.11), 
nos profetas (Zc 9.9), 
nos Evangelhos (Lc 10.20), 
nas Epístolas (Fp 4.4) e 
no Apocalipse (Ap 19.7). 

A alegria é também fruto do Espírito (Gl 5.22), é consequência do perdão e da salvação (Lc 10.20), é promessa a ser totalmente contemplada no futuro (Hb 11.39-40), é combustível e celebração da missão (Sl 126.6; Lc 15.7).

Certamente, algumas vezes terá de ser uma alegria disciplinada, baseada em promessas e em exercícios de fé. A despeito de ser -- por natureza -- feliz, cabe ao cristão desenvolver esta alegria.

Isto pode ser feito por meio do exercício de um espírito grato (aqueles que julgam que a vida lhes deve alguma coisa são incapazes de ser felizes), pela lembrança constante das promessas do Senhor, pelo encontro amoroso com os irmãos e irmãs, pela contemplação da Criação, pela memória de Cristo e de sua beleza, pela comunhão diária com Deus por meio da oração e da leitura bíblica, pela vivência do discipulado cristão, pelo “enchimento” do Espírito.

Por causa do pecado, da depravação humana, da ordem política e social injusta, da incredulidade, da atuação satânica, do orgulho humano, da fome e da miséria, das vicissitudes naturais da vida, da enfermidade e da morte, da rejeição do evangelho -- nem todo tempo é tempo de alegria. A Bíblia ressalta esta verdade: “[Há] tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de saltar de alegria” (Ec 3.4).

Além disto, somos ainda seres incompletos, ambíguos, divididos. Um dos efeitos da queda é que nossas emoções nem sempre acompanham nossas certezas. A variação de humor que não dominamos continuará a ser nossa companheira até o final da vida. A plenitude da alegria não é para agora. A garantia de bem-estar permanente não é uma promessa cristã.

_______________________por Ed.Ultimato


Alegria na Tristeza

O discípulo está disposto a imitar o seu mestre. Quando Pedro escreveu sua primeira carta aos irmãos no primeiro século, instruiu os servos a serem submissos aos seus senhores. Escrevendo a irmãos que evidente-mente passavam por sofrimentos diversos (1 Pedro 5:9), pediu para que observassem o sofrimento do Senhor como exemplo:

“...porque isto é grato, que alguém suporte tristezas, sofrendo injustamente, por motivo de sua consciência para com Deus. Pois que glória há, se, pecando e sendo esbofeteados por isso, o suportais com paciência? Se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o suportais com paciência, isto é grato a Deus. Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos...” (1 Pedro 2:19-21).

Muitas vezes gostamos de focar nas coisas boas, nas glórias e benefícios que o serviço do Senhor nos proporciona. Realmente devemos nos alegrar em servir ao Senhor, mas esta alegria deve ser independente das circunstâncias que enfrentamos (Filipenses 4:11-13). Seguir os passos do nosso Senhor é estar disposto a receber injustiça por fazer o que é bom e correto. Isto deve ser motivo de alegria. (Mateus 5:10-12)

Jesus nos ensinou que segui-lo não seria fácil. (Marcos 8:34; Lucas 14:25-33). Mas, muitas vezes lamentamos tanto as dificuldades da vida cristã que até esquecemos o quanto somos abençoados pela salvação que temos recebido da parte de Deus em Cristo Jesus, mais do que qualquer servo do Senhor na antiguidade já recebeu. (1 Pedro 1:10-12)

Devemos encarar as dificuldades, as injustiças e as tristezas como provações necessárias para fortalecer nossa fé (1 Pedro 1:6-9). Confortados que o Senhor não nos dará uma carga que não podemos suportar, mas nos fortalecerá cada vez que conseguimos (1 Coríntios 10:13).

Paulo, por causa do serviço ao Senhor, se encontrava preso quando escreveu aos filipenses (Filipenses 1:12-14). Imaginamos alguém preso pedindo consolo pela sua situação. Mas, foi nestas circunstâncias que escreveu aos irmãos em Filipos dizendo: “...alegrai-vos no Senhor...” (Filipenses 3:1).

O que vamos dizer de Pedro e dos demais apóstolos, que foram presos e açoitados, mas que regozijaram-se “...por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome” (Atos 5:41)?

Quando olhamos para os sofrimentos que o nosso Senhor passou injustamente, devemos estar cientes do que podemos enfrentar, prontos para sermos injustiçados pelos homens (João 6:18-20), por amor ao Senhor, assim como ele fez por nós (1 Pedro 2:24-25; Romanos 5:7-8).

Estejamos dispostos a ser verdadeiramente seus imitadores, e assim, tenhamos alegria no seu serviço.

–por Alessandro B. F. da Costa


O tempo é curto e a causa do Rei tem pressa!


"...Remindo o tempo." Efésios 5.16


Sempre devemos nos lembrar de que o tempo é uma preciosa dádiva de Deus. Ele nos deu o tempo para que o usemos, e o usemos bem. Em outras palavras: Ele nos deu o tempo para que transformemos os minutos, horas e dias em valores eternos. Se não fizermos isso e perdermos nosso tempo precioso, estaremos desprezando uma grande dádiva de Deus.

Devemos nos conscientizar de que o tempo perdido não volta nunca mais. Cada minuto que passa se foi definitivamente; ele não voltará mais nem em toda a eternidade! Por meio do tempo que nos foi dado, temos a possibilidade de trabalhar para Deus. Pois todos os filhos de Deus são Seus colaboradores, cada um no lugar em que Deus o colocou.


Nenhuma pessoa sobre a terra transformou tanto o tempo em valores eternos como nosso Senhor Jesus. João diz no Evangelho: "Há, porém, ainda muitas outras cousas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos". 

O tempo é curto e a causa do Rei tem pressa! Por isso seja fiel na administração e no uso da quantia limitada de tempo que lhe foi confiada. Então um dia você ouvirá: "Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu Senhor."

_______________ por Wim Malgo



Pense e aja como Cristo Jesus


Nunca abandone sua fé e sua esperança


DECEPÇÃO? Olhe para Jesus


Amor de Cristo, o amor ágape

Às vezes algumas pessoas voluntariamente entregam as suas vidas por aqueles que consideram dignos - um amigo, um parente, outras pessoas "boas", por exemplo - mas o amor de Cristo vai além disso

O amor de Cristo se estende aos que menos o merecem. Ele voluntariamente tomou sobre si a punição daqueles que o torturaram, odiaram, rebelaram-se contra ele e não se importavam com ele, ou seja, os mais indignos do Seu amor (Romanos 5:6-8)

Ele deu o máximo que podia dar por aqueles que menos mereciam! Sacrificar-se, então, é a essência do amor divino, chamado de amor ágape. Esse é um amor como o de Deus, não um amor como o dos homens (Mateus 5:43-48).

_____________________por GotQuestions


visite-nos Jesus Cristo renovou minha vida!



Sejamos Zelosos!

Jesus falou para a igreja de Laodicéia: “Sê, pois, zeloso e arrepende-te” (Apocalipse 3:19). No Velho Testamento, homens zelosos se mostraram radicais em tirar a má influência do pecado do meio do povo. 


Finéias matou os rebeldes e poupou Israel da praga que estava matando o povo (Números 25:1-13). Deus elogiou o zelo desse servo:“Finéias, filho de Eleazar, filho de Arão, o sacerdote, desviou a minha ira de sobre os filhos de Israel, pois estava animado com o meu zelo entre eles; de sorte que, no meu zelo, não consumi os filhos de Israel” (Números 25:11). 

Em vários outros casos, servos fiéis escolheram Deus acima dos próprios filhos e irmãos. Quando Nadabe e Abiú morreram na rebeldia contra Deus, seu pai e seus irmãos continuaram no tabernáculo, respeitando a santidade de Deus (Levítico 10:3-7). 

Pais de filhos rebeldes foram instruídos a entregá-los à justiça para serem mortos, assim eliminando o mal do meio da congregação (Deuteronômio 21:18-21). A vontade de Deus e a pureza da congregação foram mais importantes do que a vida de um filho.

O povo de Israel recebeu de Deus uma lei que servia para governá-lo, tanto na vida espiritual, como nas questões civis. Por isso, o “governo” castigava as pessoas que desobedeciam as leis religiosas. 

Hoje, o governo ainda castiga malfeitores para manter ordem na sociedade (Romanos 13:1-4), mas a igreja não mata as pessoas que desobedecem as instruções religiosas que Deus nos deu! Devemos ter o mesmo zelo de Finéias, mas não o mostramos da mesma maneira.

O ensinamento do Novo Testamento requer o nosso zelo para manter a pureza da igreja. Já citamos instruções dadas aos coríntios e aos tessalonicenses sobre a necessidade de nos afastar de irmãos que voltam ao pecado. 

Muitas pessoas acham tal ensinamento duro demais, e muitas igrejas recusam seguí-lo. Quando procuramos um “jeitinho” para evitar esses mandamentos, ou simplesmente ignoramos a palavra de Deus, as conseqüências são gravíssimas:

1. O pecador permanece no erro, cauterizando a própria consciência; 

2. Nós nos tornamos cúmplices, sujando a santa igreja com o pecado não corrigido; 

3. Pela nossa conduta desobediente, mostramo-nos indignos de Deus, pois escolhemos a amizade de pecadores acima da santidade de Deus.

A necessidade de aplicar ensinamentos “duros” envolve, muitas vezes, membros da própria família. Às vezes, é necessário nos afastar de parentes “cristãos” que voltam ao pecado. 

Em vez de oferecer desculpas para justificar a nossa desobediência, a própria família deve ser a primeira na aplicação da disciplina de Deus ao pecador. Pode ser necessário falar para alguém, até da própria família: “Você pode escolher o pecado e a eternidade no inferno, mas eu não vou junto!”

___________ por Dennis Allan


DEUS nos exorta a resistir o engano do diabo e segurar a verdade


Os nossos corações estão sendo atacados por todos os lados. Não há uma única dimensão do nosso pensamento em que não somos desafiados pelo mal e enfrentados com escolhas cruciais.

No nosso intelecto, a escolha é entre a verdade e o engano. Nos nossos carinhos, temos que decidir entre o amor e o ódio. Na nossa vontade, as únicas alternativas são a nossa obediência a Deus ou não. A não ser que determinamos não deixar acontecer, ter os pensamentos errados, e até o coração errado, fará com que sejamos vencidos em cada uma destas coisas e apagará todas as coisas boas para o qual fomos criados para aproveitar.

Estas verdades nos deixam mais sérios, certamente. Temos uma necessidade óbvia por humildade e vigilância em tudo que tem a ver com o nosso bem-estar espiritual. Mas também é possível que tenhamos coragem e esperança. Esforçando-se a fortalecer a coragem de seu jovem amigo Timóteo, Paulo escreveu: “Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” (2 Timóteo 1:7).

Nós estamos enrolados numa luta cósmica, mas o Criador deste cosmos é muito maior em força e sabedoria do que todas as forças do mal juntas. O Rei de direito reina de seu trono!

Sejamos lembrados deste fato: o diabo tem o poder somente de nos tentar, não o poder de nos obrigar. E Deus, que nos deu a liberdade de escolher, não irá nos obrigar. Ao invés disto, honrando a nossa liberdade, Ele nos exorta a resistir o engano do diabo e segurar a verdade.

Deus nos convida a encontrar nEle aquilo que é a vida real. O assunto básico é fácil de entender e perigoso de esquecer. Moisés capturou-o nas suas palavras históricas a Israel: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Deuteronômio 30:19).

O diabo luta com Deus, e o campo de batalha é o coração humano. (Feodor Dostoevski)

–por Gary Henry



Triunfo do amor



JESUS CRISTO,
Nada O deteve em Seu amor por Deus e por nós. 
Sua vitória é o triunfo do amor! 
----------------------------------

Parece contraditório ler na Bíblia que o Senhor Jesus saiu vitorioso na cruz. Foi rejeitado pelo povo, traído por um dos Seus discípulos, abandonado por todos os outros, e sentenciado à morte por decisão de um governador romano. 

Aparentemente todas as esperanças dos que criam nEle estavam perdidas. Porém, de fato, Ele que estava ali na mais profunda fraqueza, cravado no madeiro, obteve a vitória definitiva.

Antes de morrer, o Senhor Jesus exclamou: “Consumado está.” Então entregou o espírito a Deus, Seu Pai, e entrou voluntariamente na morte. Oferecendo-Se em sacrifício pelo pecado cumpriu a missão que Deus Lhe havia dado. Nada O deteve em Seu amor por Deus e por nós. Sua vitória é o triunfo do amor.

A ressurreição do Senhor Jesus confirma e proclama Sua vitória na cruz. Agora Ele é o Salvador vivo que intercede por todos os que confiam nEle; pois, por meio de Sua morte, os livrou do juízo pelo pecado, do temor da morte e da escravidão do diabo. Sim, essa vitória adquirida a um preço tão alto, o Senhor Jesus transmite ao cristão todos os dias.


“Graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Coríntios 15:57).


________ retransmitido de "todo-dia-com-paz"


_________________________em   #jesuscristorenovouminhavida  




YURI GAGARIN ESTAVA CERTO!


Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou.

Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta. Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?

(João 1:18 e 14:8-9).

YURI GAGARIN ESTAVA CERTO!

O astronauta russo Yuri Gagarin, que participou do primeiro vôo tripulado ao espaço em 1961, certamente não tinha intenção de confirmar a verdade do versículo acima, mas involuntariamente o fez. Ele disse que não viu Deus no universo.

Ser visível é uma qualidade das coisas criadas, incluindo os ídolos da idolatria humana. A Bíblia, contudo, testifica sobre o único e verdadeiro Deus, o Criador do universo, "Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver" (1 Timóteo 6:16). 

Em Sua grandeza Ele está além do escrutínio humano. Sua glória é absoluta, tanto que nenhum ser humano jamais poderia ter um simples relance de Sua face sem ser consumido.

Isso torna mais espetacular o fato do invisível Deus revelar a Si mesmo na pessoa de Seu Filho unigênito. No Senhor Jesus, "o qual é imagem do Deus invisível" (Colossenses 1:15), Deus Se apresentou à humanidade para ser a ponte sobre o abismo intransponível do pecado.

Jesus Cristo testifica que Deus é Deus-Salvador, que não abandona o ser humano à morte eterna, mas deseja lhe dar vida eterna. 

Tudo o que precisamos saber sobre Deus está revelado no Senhor Jesus. Leia os evangelhos e aprenda sobre Ele.

___________ de Chamada/Encontreapaz


Foge para Jesus por amor à sua vida eterna


"Havendo-os levado para fora, disse um deles: Livra-te, salva a tua vida; não olhes para trás, nem pares em toda a campina; foge para o monte, para que não pereças."Gênesis 19.17


O principal pecado da cidade de Sodoma foi a sua devastadora imoralidade: homossexualismo, perversidade, latrocínio, morte, avareza e cobiça. 

Em nossos dias também vivemos como em Sodoma. 

Os governos cada vez mais perdem a sua autoridade e se tornam impotentes diante da crescente criminalidade. Para Ló foi dito naquele tempo:

"Livra-te, salva a tua vida." Sem dúvida que essa mensagem de amor não foi anunciada num tom de indiferença, mas num tom muito sério. Ló foi uma pessoa privilegiada, pois dois anjos de Deus vieram a ele pessoalmente;

mas eu lhe digo: você também é um privilegiado, pois Deus fala agora ao seu coração por meio da Sua Palavra. Foge para Jesus por amor à sua vida eterna. 

Deus mesmo se dirige aos homens de hoje, que, como outrora, vivem como em Sodoma. Deus é amor, e Ele ama você também. Por isso: salve a sua vida! Entregue-se a Jesus! Pois Deus não deseja a morte do pecador, mas, sim, que ele se converta e viva eternamente.

___________por Wim Malgo


O perigo de desconsiderar os princípios divinos


Aqueles que desprezam a perfeição do plano divino sofrem as tristes conseqüências de lares quebrados, corações esmagados, e espíritos quebrantados. 

Uma sociedade que apóia divórcios pecaminosos e incentiva casamentos ilícitos ceifará o que semeia. O sacrifício necessário para casamentos bem-sucedidos é sufocado pelo egoísmo que os destrói. 

O amor que fornece segurança é substituído pela lascívia que deixa esposas e filhos inocentes abandonados e desprotegidos num mundo cruel. 

Nem leis humanas nem doutrinas engenhosas podem mudar o fato que Deus permite apenas dois motivos para contrair novas núpcias: morte do primeiro companheiro (Romanos 7:3; 1 Coríntios 7:8-9,39) ou divórcio porque o parceiro cometeu adultério (Mateus 19:9).

Outros abusos da vontade de Deus também causam destruição. O sexo antes do casamento, incluído no termo bíblico fornicação ou relações sexuais ilícitas, sempre está errado (1 Coríntios 6:9-11,18; 7:2; Gálatas 5:19; Hebreus 13:4). 

Mesmo quando perdoado pela graça de Deus, o sexo antes do casamento, muitas vezes, traz graves conseqüências. Além das possíveis conseqüências físicas, a fornicação pode roubar o casamento posterior da intimidade especial que Deus fez para ser dividida exclusivamente por pessoas casadas.

Relações homossexuais são outra perversão do plano de Deus. Todas as tentativas de "autoridades" humanas a defender a conduta homossexual como algo "natural" não podem apagar as palavras nítidas de Romanos 1:26-27 e 1 Coríntios 6:9-11.

Homossexuais, como fornicadores, adúlteros e todos os outros pecadores, precisam se arrepender para buscar o perdão de Deus (Lucas 13:3; Atos 2:38; 8:22; Mateus 3:8).

Abençoados por nosso Criador
O casamento é uma das ricas bênçãos preparadas para nós pelo benevolente Criador. Quando seguimos o plano dEle, gozamos das maravilhas do amor e da segurança nesta vida, e a expectativa de um lar perfeito na eternidade.

__________por Dennis Allan


Nossas boas obras devem ser vistas por outros ou escondidas?

Duas orientações dadas por Jesus na mesma mensagem parecem contraditórias e, por isso, exigem nossa atenção redobrada.

Ele disse: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste” (Mateus 6:1). O Senhor reforçou esta advertência com uma série de exemplos (esmolas, orações e jejuns). Ele criticou as pessoas que fazem suas boas obras para serem vistas e honradas pelos outros.

Porém, alguns minutos antes, Jesus havia dito: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mateus 5:16).
Ele se contradisse? Como entender estas instruções?

Em uma leitura superficial, seria fácil concluir que Jesus tivesse caído em contradição, mas uma leitura mais cuidadosa corrige esta interpretação errada. A questão em ambas as orientações é de honra e glória ou, melhor, de quem recebe a glória.

Quando os discípulos de Cristo fazem suas boas obras, outros vão perceber. Se a motivação e a conduta destes cristãos forem corretas, Deus será glorificado pelo impacto da sua palavra na vida das pessoas convertidas. Este é o sentido de Mateus 5:16. Faça as boas obras para que os outros glorifiquem a Deus.

Mas as mesmas boas obras podem ser feitas por outro motivo, totalmente contra a vontade do Senhor. Os exemplos citados em Mateus 6 são de pessoas que agem, não para honrar o nome de Deus, e sim para receber a honra para si. Ao invés de dirigir a atenção para o céu, estas pessoas mandam tocar trombetas para chamar atenção para suas obras recebendo, assim, a glória que é devida ao Senhor.

As palavras de Jesus em Mateus 6:3 avisam, ainda, de outro perigo: o orgulho de sentir-se bem por ter feito alguma obra. Ele disse: “Tu, porém, ao dares a esmola, ignore a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita”. 


Não devemos registrar a conta das nossas boas obras para achar algum mérito por nossos feitos. Em outra ocasião, Jesus ofereceu esta perspectiva sobre o nosso serviço: “Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer” (Lucas 17:10).

Resumindo, podemos concluir sobre quaisquer “boas obras” que realizamos:

1) A honra e glória pertencem a Deus.

2) Nunca devemos procurar a honra para nós.

3) Nunca devemos nos achar merecedores de glória!

Que Deus seja louvado!

_______________________por Dennis Allan





Trabalhando para o Senhor


É importante que trabalhemos pelo Senhor. Paulo disse: “Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão, nem a incircuncisão têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor” (Gálatas 5:6). A fé sem obras é morta! (Tiago 2:26). Paulo elogiou os tessalonicenses pela “operosidade da vossa fé, abnegação do vosso amor e firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Tessalonicenses 1:3).

A palavra traduzida “abnegação” significa “labuta, aborrecimento, dificuldade” e o verbo relacionado significa “estar cansado, labutar” (Dicionário Vine, 1030). Os tessalonicenses fizeram tanto trabalho para o Senhor que, às vezes, cansavam!

Algumas pessoas sabem o que é trabalhar tanto que cansa. Muitos fazem isso todo dia nos seus empregos seculares. Outros cansam enquanto trabalham em casa ou no quintal. Quantos de nós trabalhamos tanto para o Senhor que cansamos? Paulo disse: “E não nos cansemos de fazer o bem” (Gálatas 6:9). Alguém disse: “Os cristãos devem cansar no seu trabalho, mas não do seu trabalho!”

Jesus disse à igreja em Éfeso: “Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer” (Apocalipse 2:2-3). Mais uma vez, isso é a labuta penosa que resulta em fadiga. Os efésios trabalharam tanto para o Senhor que cansaram, mas não desmaiaram nem cansaram do trabalho.

Trabalhe muito para o Senhor — visite os doentes (Mateus 25:36), restaure os caídos (Gálatas 6:1), apóie os fracos (1 Tessalonicenses 5:14), exorte os irmãos diariamente (Hebreus 3:13), ajude a instruir os jovens e os jovens na fé, ensine os perdidos, e se prepare para a vinda do Senhor (Mateus 24:44). 

Se você cansar, descanse por um momento. Jesus disse aos seus apóstolos: “Vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto” (Marcos 6:31). Mas não desista da obra do Senhor nem se aposente da sua obra. Não “enferruje” enquanto descansa.

Como Jesus, nós também devemos trabalhar “enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (João 9:4). Temos de ser “firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor” e sabermos que nosso “trabalho, no Senhor, não é vão” (1 Coríntios 15:58). 

João ouviu uma voz do céu que disse: “Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham” (Apocalipse 14:13). Trabalhe para o Senhor e não se canse do trabalho.

-------------------  por Harold Hancock


Jesus se achega e conforta aqueles que O buscam!

O que é que Zaqueu fez quando se deu conta de que jamais iria conseguir ver a Jesus por causa das muitas pessoas que atrapalhavam sua visão? Lemos em Lucas 19.4a: "Então correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo". Ele não poupou esforços para alcançar o alvo!

Com isso voltamos à primeira parte de nossa mensagem, onde concluímos que um novo encontro com Jesus deveria ser muito importante para nós, levando-nos a buscá-lO com afinco.

Isso significa bem concretamente para você que, se você quiser experimentar ao Senhor de uma nova maneira, e o diabo quer impedi-lo, deixe-o trabalhar! Aproprie-se pela fé de uma promessa da Bíblia, uma promessa que o anime a realizar o desejo de seu coração, que é o de estar com Jesus.

Pense, por exemplo, na passagem de Jeremias 29.13, onde está escrito: "Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração."

Quando você fizer isso, Jesus se sentirá impelido a entrar em sua casa, isto é, a ter um encontro com você: "Quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa" (Lc 19.5). 


Quando o Senhor vê que alguém, cheio de fé e de coragem, quer se encontrar com Ele, Jesus se achega e conforta essa pessoa. E mais ainda: o Senhor fica esperando por uma atitude assim, pois em 2 Crônicas 16.9a está escrito: "Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele."
________
por Marcel Malgo 



A Multidão De Misericórdias

Salmos 51:1 
[Salmo de Davi para o músico-mor, quando o profeta Natã veio a ele, depois dele ter possuído a Bate-Seba] Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. 

Mais do que ninguém, Davi conhecia o tamanho das suas transgressões. Por isso, mais do que ninguém, Ele experimentou “a multidão das divinas misericórdias”:

“Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a Tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das Tuas misericórdias” (Salmos 51:1).

Há uma fortíssima tendência, entre os cristãos, de maximizar a sua culpa. “Está bem, o Senhor me perdoou, mas eu não consigo me perdoar!” 

Esta sombra, que infelicita tantos crentes, justifica-se pela pequenez das nossas próprias misericórdias. Só que, quando apelamos para nossa atitude de “justiceiros”, na realidade estamos deformando a poderosa natureza da justiça divina.

O Senhor não nos trata segundo nossa iniqüidade, porque, “Ele se lembra de que somos pó”. É a isto que o Salmista se refere, quando ele afirma o enormíssimo tamanho das misericórdias divinas. Se o Senhor não agisse conosco de acordo com tal benignidade, de “há muito teríamos sido eliminados da terra dos viventes”. 

Por causa da diminuta capacidade que temos de perdoar e restaurar, dificilmente entendemos e nos aprimoramos das Suas misericórdias.

Temos que aceitar, como Davi, que o único poder capaz de “apagar” nossas transgressões é a multidão das Suas “misericórdias”.

_____________ por pr. Olavo Feijó



A Palavra irá até você!

Jeremias 18:1 A palavra do SENHOR, que veio a Jeremias, dizendo:

Viver uma vida com Deus não é utopia; é uma realidade! Deus não é uma força, uma luz, um objeto inanimado; Ele é um Ser Pessoal, dotado de vontade, desígnios, desejos e tudo o mais. Ele se comunica com a humanidade, principalmente, por intermédio da Sua Palavra.

É através dela que o Senhor nos apresenta seu plano de salvação através de Jesus Cristo e os seus propósitos até o final dos tempos. Neste versículo, lemos que “a palavra do Senhor” foi até Jeremias. E refletindo nisso, quero lhe perguntar: você está acessível para Deus se comunicar com você? Se Ele quiser lhe transmitir uma palavra, você está na posição para recebê-la?

Você não precisa correr atrás da revelação divina; busque ao Pai de coração, e a Palavra que você precisa alcançará você!

Deus te abençoe!
_________ Pastor Sérgio Fernandes




A nossa armadura


Um filho de Deus está sujeito a grandes tentações. O silêncio dos cemitérios é um silêncio de morte. Mas onde há vida, há luta. Uma pessoa que sabe que ressuscitou com Cristo, que, portanto, é renascida, também sabe que é violentamente tentada por Satanás.

Satanás manda adversários para difamar os cristãos por causa de sua fé e fazer com que tenham muito trabalho com as tendências naturais e com os instintos carnais. 

Um cristão nominal não precisa temer essas coisas, pois não representa um desafio para o reino de Satanás. Mas o verdadeiro filho de Deus sempre está na ofensiva em relação ao reino das trevas. 

A nossa armadura está descrita no livro de Efésios, capítulo 6. A pessoa que é renascida sabe: o Senhor a deixou aqui nesta terra a fim de anunciar o Evangelho libertador a outras almas que ainda estão presas ao inimigo. Sendo ativo o nosso sim a Jesus, o não do diabo em relação a nós também é ativo. 

Você já derramou lágrimas por causa das tentações interiores e exteriores? Isso é um bom sinal. O Senhor Jesus diz: "No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.".

Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes." Efésios 6.12

__________ por Wim Malgo

Renascido, chamo a sua atenção

Bem-aventurado o homem que suporta com perseverança a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam." Tiago 1.12

A oração é o serviço de guerra espiritual mais pesado na vida de um renascido. Preste atenção o quanto Satanás lhe tenta justamente na sua vida de oração, procurando por todos os meios afastar você dela. 

Isso acontece porque por meio da oração perseverante almas preciosas são arrancadas das garras dele. Por isso, chamo a sua atenção para um determinado tipo de adversário que Satanás usa para nos distrair: ele usa pessoas. Que tipo de pessoas são essas? Pessoas religiosas. 

Quando Jesus andava aqui na terra, não foram os pecadores perdidos os seus maiores inimigos. Pelo contrário, Jesus estava sempre rodeado por eles. Seus piores inimigos foram os religiosos. No fim, até O pregaram na cruz. Hoje em dia acontece o mesmo. 

O maior desprezo você encontrará nos cristãos sem Cristo. Gostaria de perguntar aos assim chamados cristãos: vocês sabem para onde estão indo? Vosso cristianismo acomodado agrada muito ao diabo. 

Se vocês não se converterem, quer dizer, se não ocorrer a verdadeira renovação do coração, um dia passarão a pertencer a Satanás, o inimigo das vossas almas, para todo o sempre. Levemos todos a sério o que diz Tiago: "Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós outros".
___________________por Wim Malgo



Somente Deus


Tendemos a não procurar por Deus quando nossas vidas estão confortáveis. Se nossas necessidades temporais estão sendo supridas, imaginamos que podemos cuidar de nós mesmos e acabamos nos esquecendo de Deus. 

Por este motivo, Ele deixa cada um de nós sofrer alguma privação. As necessidades que não são supridas podem ser diferentes para cada pessoa, mas cada um de nós tem o seu coração partido de alguma maneira. 

Seremos ensinados a permanecermos sem algumas das coisas das quais necessitamos profundamente, para aprendermos que fomos criados para apreciar algo que não está totalmente disponível neste mundo. 


Somente Deus pode satisfazer inteiramente a nossa fome e sede, e sempre nos levar em direção à satisfação nEle. Deus está nos ensinando que, se temos corações para aprender, Ele é a única coisa sem a qual não podemos viver.

Acima de tudo estou convencido da necessidade irrevogável e sem fuga, de cada coração humano, por Deus. Não importa como tentamos escapar, ou nos perder em buscas agitadas, não podemos nos separar da nossa origem divina. Não há substituto para Deus.  (A.J. Cronin)

______ por Gary Henry_____