O GRANDE "POR QUÊ?"

Se desejamos saber a atitude de Deus frente ao pecado e o verdadeiro caráter de Sua santidade, temos de contemplar a cruz e escutar esse clamor de angústia que ressoou em meio às trevas do Calvário:

"Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mateus 27:46). Nunca antes tal pergunta havia sido formulada, e jamais haverá outra igual. 

Se considerarmos Aquele que a fez e a quem foi dirigida, ela permanece única na eternidade. A cruz expõe a medida do ódio de Deus contra o pecado, e igualmente mostra Seu amor para com o pecador. 

Sobre essa base divinamente justa, Ele manifesta Sua graça, perdoa nossos pecados e considera como justos todos os que se arrependem.


Porém, se os homens menosprezam a cruz e persistem em seu ódio contra Deus, ou afirmam que Ele é muito bonzinho para castigar os maus, o que lhes acontecerá? A resposta é: "Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece" (João 3:36).

Se Deus teve de dar, desamparar e ferir Seu Filho amado para salvar o mundo, os pecadores indiferentes podem ser salvos? O Senhor Jesus morreu em vão? Deus O feriu sem necessidade? Não, absolutamente não!

Ainda que mil indiferentes caiam ao nosso lado, e dez mil à nossa direita (Salmo 91:7), aos que crêem no seu nome; deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus (João 1:12).


_______________fonte: "Encontre-a-paz"



Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário sempre é bem-vindo!