Pular para o conteúdo principal

Requisito de maturidade

Não há momento mais precioso para um pai cristão do que quando ele vê seu próprio filho confiar sua vida a Jesus Cristo. A maioria dos cristãos ensina seus filhos sobre Cristo desde os mais tenros dias da vida da criança. 

Estes pequeninos crescem sabendo os nomes dos apóstolos e recitando os livros da Bíblia. Sua vida no lar é imersa numa atmosfera onde o nome de Cristo é reverenciado. Não é segredo para estes ternos ouvidos que o desejo de Deus é que creiam em Jesus e sejam batizados em seu nome.

Então, quando uma criança está com idade bastante para decidir? A Bíblia não especifica uma idade em particular na qual se é suficientemente velho para tomar esta decisão (talvez porque a idade da maturidade difere entre as crianças). Entretanto, a Bíblia nos apresenta princípios básicos que sejam úteis na determinação se uma pessoa é ou nos "bastante velha" para decidir e declarar-se pelo Senhor.

O pré-requisito bíblico para o discipulado é a fé. "Sem fé, é impossível agradar a Deus..." (Hebreus 11:6). Por esta razão, Jesus enviou seus apóstolos com a incumbência de pregar o evangelho a todos (Marcos 16:15). Aqueles que cressem eram para ser batizados (Marcos 16:16; Atos 2:38). 


Uma fé de segunda mão não é suficiente. Em nenhum lugar no Novo Testamento a relação de uma pessoa com Deus inclui seus pais como mediadores. O jovem indivíduo precisa ter uma conclusão própria.

Além do mais, o jovem precisa ser bastante velho para tomar uma decisão quanto ao pecado. Para tomar a decisão de comprometer-se com Jesus é necessário tomar a decisão de afastar-se do pecado (Atos 3:19). 


O arrependimento exige um certo grau de maturidade. Isso também exige, primeiro de tudo, que se seja capaz de discernir o certo do errado. Isso desqualifica aqueles que são demasiado jovens. Isso também exige ser-se suficientemente maduro para tomar suas próprias decisões sobre fazer o que é certo e conter-se para não fazer o que é errado. 


Quando uma criança é bastante velha para ser um cristão, ela tem bastante idade para tomar suas próprias decisões sobre o pecado. Ela fala a verdade porque os cristãos são honestos e mentir é pecado. Ela diz não à imoralidade porque é errada, e não simplesmente porque seus pais poderiam descobrir. Ela decide por si mesma fazer o que é certo!

Conheço várias pessoas jovens que têm manifestado o requisito de maturidade para se tornarem discípulos. Elas decidiram pelo Senhor! Asseguremo-las todos nós de que sua decisão e compromisso são tão importantes quanto pensam que são.

por David Thomley

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz brilhou sobre os que viviam nas trevas, mas eles preferiram continuar na escuridão!

Quem odeia o seu irmão está na escuridão, anda nela e não sabe para onde está indo. (1Jo 2.11). Se a escuridão está indo embora, por que continuar dentro dela? Se a aurora está chegando, por que esse gosto pela escuridão?
O problema é muito sério e Jesus se pronunciou a respeito: “Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão” (Jo 3.19). 
Como é possível preferir uma cobra no lugar de um peixe?  Como é possível preferir uma pedra no lugar de pão?  Como é possível perder a alma para não perder o mundo?  Como é possível construir uma casa sobre a areia e não sobre a rocha?  Como é possível escolher Barrabás e não Jesus Cristo?  Como é possível trocar a vida eterna pela morte eterna?  Como é possível trocar a cruz por uma varinha de condão?  Como é possível trocar a redenção pela reencarnação?  Como é possível trocar os anjos que não caíram pelos demônios?  Como é possível trocar o Espírito de Deus pelos cartomantes?  Como é possível perder Cristo para não perder o ami…

O Sentido da Vida... sempre preocupou a humanidade

"Por que vivo?",  "Qual a razão da vida?",  "Qual o objetivo de viver?"
Mary Roberts Rinehart disse sobre o sentido da vida: "Um pouco de trabalho, um pouco de sono, um pouco de amor, e tudo acabou."  Edmund Cooke afirmou: "Nunca vivemos, mas sempre temos a expectativa da vida."  Colton:  "A alma vive aqui como numa prisão e é liberta apenas pela morte."  Shakespeare:  "Viver é uma sombra ambulante."  R. Campbell: "Viver é um corredor empoeirado, fechado de ambos os lados."  Rivarol: "Viver significa pensar sobre o passado, lamentar sobre o presente e tremer diante do futuro."

Será que todas essas não são afirmações bastante amargas e desanimadoras sobre o sentido da vida? Parece que todos falam apenas de existir e não de viver verdadeiramente.
Jesus tocou no âmago da questão ao dizer: "Eu sou... a vida" (João 14.6). Por isso o apóstolo Paulo escreveu sobre o sentido da sua vida: "Porquant…

Por que você não deixa que Deus decida com o que vai se preocupar?

Talvez você não queira incomodar Deus com suas dores. Afinal de contas, “Ele tem a fome mundial, pestes e guerras para se preocupar. Ele não vai se importar com meus pequenos problemas,” você pensa. Por que você não deixa que Ele decida com o que vai se preocupar?
Jesus se importou com uma festa de casamento o suficiente para providenciar vinho. Ele se importou o suficiente com a mulher perto do poço para responder às perguntas dela. 1 Pedro 5:7 diz “Ele tem cuidado de vocês.”
Seu primeiro passo deve ser ir para a pessoa certa. Vá para Deus. O segundo passo é tomar a postura certa. Curve-se diante de Deus. Lucas 18:7-8 nos relembra“Acaso Deus não fará justiça aos Seus escolhidos, que clamam a ele dia e noite?…Ele lhes fará justiça, e depressa.”
Ouça à oração em Salmo 25:1-2: “Senhor, a ti elevo a minha alma. Em ti confio, ó meu Deus.” Então, vá…curve-se e confie. Vale à pena, não acha?
mensagem de Max Lucado De “Aliviando a Bagagem”
~~~~~~~~~~~~~~~~~~ #DevocionalDádivasDoSenhor