A luz no fim do túnel: Jesus voltará!

O afastamento de Deus e o distanciamento das verdades bíblicas é tão evidente e cada vez mais atrevido que fica difícil achar uma situação que se compare a ela. Alguém observou: "As pessoas de hoje sabem tão pouco das verdades bíblicas que vivem suas vidas como se Deus não existisse" (comp. 2 Ts 2.3; 2 Tm 3.1ss).  

Na área do ocultismo, o diabo está solto: nos meios de comunicação, no cinema e na televisão as pessoas são literalmente afundadas no esoterismo e soterradas por filmes de ficção científica. Alexander Soljenitzyn observou: "Os poderes do mal iniciaram sua ofensiva decisiva" (comp. 2 Ts 2.9; 1 Tm 4.1).  

Ultimamente também o mundo secular (desligado de Deus) tem chegado sempre mais à convicção de que nos aproximamos do fim do mundo. Parece que os sinais dos tempos prenunciam a chegada da noite, e o nosso mundo vê mais "o túnel no fim da luz" do que o inverso. 

Mas os filhos de Deus não têm motivos para ficar resignados. Ao contrário. Para eles, pela fé, aparece a luz no fim do túnel: Jesus voltará. Lemos em 2 Tessalonicenses 1.10: "quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porquanto foi crido entre vós o nosso testemunho)." 

Até que chegue esse momento, devemos remir o tempo e cumprir nossa tarefa para que mais pessoas sejam ganhas para o Senhor Jesus e para que Sua Igreja seja preparada para quando Ele voltar. 


Acima de tudo, temos a Palavra Profética, para a qual devemos atentar como uma luz que brilha em lugar tenebroso (2 Pe 1.19)

por Norbert Lieth 




A força das mulheres piedosas


Na criação, Deus reconheceu que não era bom o homem estar sozinho. Ele precisava de alguém para completá-lo e assegurar a bênção contínua da criação. Quando Deus trouxe a mulher para Adão, o fato da criação estar completa estava evidente. Pela criação da mulher, uma poderosa força de influência foi introduzida à humanidade.

A influência da mulher foi controlada pela necessidade de uma influência piedosa. A mulher piedosa é a que traz a essência da bondade, piedade e santidade para o mundo em sua volta. Paulo expressou este atributo em 1 Timóteo 2:10 – “porém com boas obras (como é próprio às mulheres que professam ser piedosas”). É evidente pelas suas ações que ela é o exemplo de mulheres piedosas. [...]

Através do trabalho de mulheres piedosas que buscam se apresentar como mulheres santas de Deus no relacionamento de filha, esposa, mãe, avó e filha de Deus, o mundo pode se tornar um lugar melhor. Das mãos de mulheres piedosas podemos ver um poder de mudar o caminho da história.


“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias.... muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas. Enganosa é a graça, e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada” (Provérbios 31:10,29,30). 




por Kent E. Heaton Sr.


O que realmente nos leva para o céu?

Para responder essa pergunta de maneira clara e precisa, Jesus nos contou uma parábola. No Evangelho de Lucas (14.16), Ele fala de um homem [simbolizando Deus] que preparou uma grande festa [simbolizando o céu] e mandou convidar muitas pessoas. 

As desculpas foram frustrantes: "todos... começaram a escusar-se. Disse o primeiro: Comprei um campo e preciso ir vê-lo... Outro disse: Comprei cinco juntas de bois... E outro disse: Casei-me e, por isso, não posso ir". Jesus encerrou a parábola com a sentença do anfitrião: "Porque vos declaro que nenhum daqueles homens que foram convidados provará a minha ceia" (Lc 14.24).

Esse exemplo mostra que é possível ganhar o céu ou perdê-lo. O que decide a questão é aceitar ou rejeitar o convite. Poderia existir uma maneira mais fácil? Certamente não! 

Muitas pessoas não ficarão fora do céu por não terem conhecido o caminho que leva até lá, mas por terem rejeitado o convite que Deus lhes fez.
  
por Werner Gitt

Obediência significa fazer a vontade de Deus

"...Embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas cousas que sofreu." Hebreus 5.8
Se quisermos obter vitória no dia-a-dia, precisamos estar dispostos a nos tornar obedientes. E isso deve proceder de uma decisão do fundo do coração. Se dou um sim sincero para o Senhor, se a qualquer preço faço o que Ele pede, Ele manifesta a Sua vontade através de mim. 

Olhemos para o Senhor Jesus: qual foi a base da Sua ilimitada vitória? Seu segredo foi a Sua obediência! Muitos não chegam à obediência prática porque ainda não se tornaram obedientes em seu coração. Devemos refletir muito bem diante do Senhor: quero fazer realmente, a qualquer preço, o que Deus quer? Assim, a vitória se seguirá à obediência. 

A obediência, portanto, é uma decisão interior que, depois, se manifesta exteriormente. O que o Senhor Jesus disse antes de subir à cruz, antes até de ter se tornado carne, estando ainda na eternidade? "Eis aqui estou... agrada-me fazer a tua vontade." 

A decisão por parte do Filho de Deus já havia sido tomada na eternidade, antes da fundação do mundo. Sua vinda a esta terra foi a execução da vontade de Deus. É importante que reconheçamos claramente o que significa obediência. Obediência significa fazer a vontade de Deus, só assim Ele pode operar através de nós ilimitadamente!

por Wim Malgo 

 

Mantenha a ênfase em Cristo.


Em nossa sociedade, a lealdade às igrejas toma o lugar da lealdade a Cristo. Algumas pessoas colocam a igreja acima de Jesus Cristo e servem a igreja acima de tudo. 

Estas pessoas pensam sobre seu serviço a Deus em termos de encontrar a igreja, juntar-se à igreja, e permanecer fiéis à igreja. 

Apostasia, para eles, é deixar a igreja. Em termos bíblicos, a igreja é simplesmente aqueles que estão seguindo a Jesus, a família de Deus. 

Nosso foco, ênfase, e lealdade são com o Cristo. 

Outras pessoas colocam a igreja entre Cristo e o homem, pensando nela como uma instituição através da qual Deus fala ao homem e o homem a Deus. Mas Cristo é o único mediador entre Deus e o homem (1 Timóteo 2:5). 

Eu não procuro Deus através da igreja; a igreja é o povo que está procurando e seguindo a Deus. 

Cristo, não a igreja, tem que dominar nossas vidas.

por Gary Fisher

 

FAMÍLIAS, voltemos todos ao “Manual” do fabricante

Deus projetou a família para ser uma escola de virtudes para a formação sólida do caráter humano. As noções básicas de honestidade, alteridade, cidadania, justiça, equidade, respeito, solidariedade e caridade deveriam ser aprendidas e apreendidas no aconchego do lar.

No projeto original, Deus quis que a família fosse um celeiro de santos e um viveiro de vocações para servirem na Igreja e no Mundo para a difusão do Reino como alegres e poderosas testemunhas do amor de Deus manifestado em Cristo. 

A família não é só a “celula mater” da sociedade, o é também do povo de Deus, da Igreja Peregrina. Famílias desajustadas e enfermas estão na origem de muitos males sociais e de muitas das misérias e fraquezas da Igreja.

O convite para este mês é o de levarmos as nossas famílias para uma espécie de “ReCall” espiritual. 


Ainda que o projetista não possa ser acusado de ter falhado no desenho, no cálculo e não indicação dos materiais a serem usados, os montadores e os “fabricantes” de novas concepções familiares têm usado peças não originais, com defeito, que vem apresentando sérios perigos para a nossa vida e felicidade. 

Voltemos todos ao “Manual” do fabricante, que é a Bíblia, submetamos as nossas famílias aos ajustes necessários, às trocas indispensáveis de peças e acessórios incompatíveis com o projeto original e tenhamos uma viagem segura rumo à Casa do Pai que nos espera com a família maior, de todos os santos e santas de Deus, nossos amados irmãos.

Lute por sua família, invista nela, não permita que ela “involua” para um ponto onde só temos o que perder e nada para lucrar.


trecho do texto de
por Luiz Fernando Dos Santos
É pastor-mestre da Igreja Presbiteriana Central de Itapira (SP).

Dom precioso é a alegria de Deus!

Nossa alegria humana não é constante; ela está sujeita a variações e ao desgaste da rotina. Ela é sufocada pelos acontecimentos e depende das circunstâncias.

A alegria de Deus – a alegria que vem de Deus e está estabelecida nEle, a alegria no Senhor, é bem diferente. É uma alegria que tem a Jesus Cristo no centro e não a nós mesmos. A alegria em Deus é muito diferente porque é de outra natureza, porque tem outra base e outra origem.

A alegria de Deus vem da eternidade, por isso dura para sempre e tem valor eterno. Ela não se desgasta. 


É uma alegria que mesmo em meio às provações, ao sofrimento e até diante da morte dá toda a glória a Deus e louva o Seu nome. É uma alegria entre lágrimas, muitas vezes bastante amargas (veja 2 Co 6.10; Cl 1.24). Por essa razão, “o mundo” não entende e nem pode entender essa alegria! 

A alegria em Deus não é segundo a natureza humana nem produz reações tipicamente humanas. Ela é divina e, assim, sobrenatural.

Essa alegria soberana só é encontrada em Deus, que a presenteia aos Seus como um dom precioso. A alegria de Deus tem dimensões, qualidades e quantidades que nos são desconhecidas. Ela repousa em si mesma e permanece imutável porque o próprio Deus é imutável, pois Ele é o Ser Eterno.

Quando as Sagradas Escrituras nos conclamam: “Alegrai-vos sempre no Senhor”, é um Pai amoroso que pede a nós, Seus filhos, que confiemos e creiamos nEle, pois Ele criou algo que supera as nossas mais fantásticas expectativas.  [...]

por Dr. M. Peschutter 

                                         Paz a vc e toda sua família!

A NATUREZA TEM RAZÃO

"Quanto mais a ciência avança, mais razão damos à natureza." Essa era a frase de um informe publicitário. De fato, a consciência de preservação e de respeito às leis da natureza tem crescido bastante.
 
Cientistas, políticos e associações procuram alertar a opinião pública e os organismos dos governos para que se oponham às muitas ações predatórias e destruidoras do meio-ambiente.

Mas não podemos nos deter neste ponto. 

Falar assim é reconhecer que a natureza tem em si mesma uma sabedoria que nos supera infinitamente. No entanto, a verdade é que ela contém todas as riquezas que o Criador lhe deu. 

Ela é a demonstração do que não se pode negar. Ele mesmo declara: "Porque a minha mão fez todas estas coisas, e assim todas elas foram feitas, diz o Senhor" (Isaías 66:2).

Dizer que a natureza tem razão e admirar "sua" insondável sabedoria sem reconhecer o Criador é divinizar a criação, fazendo o que os povos antigos faziam, e o que nossa sociedade atual faz sob uma multiplicidade de ídolos. É honrar e servir mais a criatura do que o Criador (Romanos 1:25).

O que impede tantas pessoas de se renderem a Jesus Cristo, a Seu eterno poder e divindade? Olhe ao seu redor e veja quantas obras desse Deus vivo e todo-poderoso! O que você está esperando para entregar seu coração e sua vida ao Senhor Jesus?

fonte:  Chamada/BoaSemente/2014


Consolem-se, JESUS VIRÁ!

Paulo escreveu sua primeira carta aos tessalonicenses como pastor preocupado com sua igreja:
“Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem,para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança” (1 Ts 4.13).

Em 1 Tessalonicenses 4.13-18 ele responde à pergunta acerca do paradeiro dos crentes que já morreram. Essa resposta deveria servir de alento e fortalecimento aos tessalonicenses: “Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras”.

Paulo faz uso – como já fazia Jesus – da expressão “os que dormem” ao falar dos falecidos em Cristo. Eles não estão mortos da forma que o mundo entende a morte, mas encontram-se adormecidos. 

Como podemos entender esse sono? Atos 7 relata sobre o apedrejamento de Estêvão: “E apedrejavam Estêvão, que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado! Com estas palavras, adormeceu” (At 7.59-60). 

Mais uma vez vemos o uso da palavra “adormecer”. Mas o próprio Estêvão diz: “recebe o meu espírito!” No momento em que o crente morre, está na presença de Deus. O que Jesus prometeu ao malfeitor crucificado a Seu lado? “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43). 

O espírito passa imediatamente à presença de Deus. O corpo não, pois está morto. A ressurreição do corpo ocorre mais tarde. Quando o crente morre, seu corpo adormece. Nós, cristãos, temos uma esperança. Qual é essa esperança?

A esperança dos crentes
“Se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem” (1 Ts 4.14).

por Nathanael Winkler


Disciplina espiritual põe-nos em boa forma espiritual

A disciplina espiritual põe-nos em boa forma espiritual. A Bíblia diz em 1 Timóteo 4:7-8 “Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas. Exercita-te a ti mesmo na piedade. Pois o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, visto que tem a promessa da vida presente e da que há de vir.” 

Como nos afeta a disciplina espiritual? Ajuda-nos a concentrar na jornada da vida cristã. A Bíblia diz em 1 Coríntios 9:24 “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só é que recebe o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.” 

A disciplina espiritual faz com que as coisas da vida que não são essenciais percam valor. A Bíblia diz em Hebreus 12:1 “Portanto, nós também, pois estamos rodeados de tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta.”

de Informação Bíblica "JesusVoltará"


Herança espiritual.

É importante deixar uma herança espiritual. A Bíblia diz em Isaías 38:19 "O vivente, o vivente é que te louva, como eu hoje faço; o pai aos filhos faz notória a tua verdade."


Os crentes em Cristo têm uma grande herança de fé. A Bíblia diz em Hebreus 12:1 "Portanto, nós também, pois estamos rodeados de tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta." 


Devemos prover uma herança de valores morais aos nosso filhos. A Bíblia diz em Deuterenômio 6:5-7 Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de" todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te."

de "JesusVoltará"


A Noiva do Cordeiro, o embrião da Igreja nascente

Em cada uma das etapas da criação, Deus viu que tudo o que fizera "era bom". Contudo, acerca do homem, Deus constatou que não era bom que ele estivesse só. Então decidiu fazer uma ajudadora idônea, a mulher, para lhe ser companheira (Gênesis 2:18, 21-22).

Por outro lado, este texto tem um alcance simbólico: Jesus, o homem sem pecado, o segundo Adão, permaneceria sozinho em Sua perfeição se não houvesse passado pela morte na cruz. 


Para que Sua esposa, a Igreja (o conjunto de todos os que creram em Seu valioso sacrifício na cruz), pudesse estar unida a Ele, foi necessário que sofresse e morresse. 

O sono de Adão e sua ferida são imagens do sofrimento e da morte de Jesus. Ao despertar, Adão descobriu Eva, sua mulher. Depois da ressurreição, o Senhor Jesus voltou a encontrar-Se com os que creram nEle, e que se tornaram o embrião da Igreja nascente, a Noiva do Cordeiro.

O Senhor Jesus usou outra comparação para nos fazer entender a necessidade de Sua morte: "Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto" (João 12:24). 


Se um grão de trigo brota na terra, morre como grão de trigo, porém dá origem a espigas cheias de frutos. A vida do Senhor Jesus não é o que nos salva, mas a Sua morte e ressurreição, que nos asseguram o perdão, a paz e a vida com Ele.

de Boa Semente/2014 

Lembre-se sempre do Jesus certo,

Do Jesus que sempre existiu -- no princípio mais remoto possível, Jesus já estava com Deus e já era Deus (Jo 1.1).

Do Jesus sem o qual nada do que existe teria sido feito (Jo 1.3, 10).

Do Jesus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29).

Do Jesus que “veio à terra com o firme propósito de exterminar as atividades do Diabo” (1Jo 3.8, Phillips).

Do Jesus que está colocando debaixo de seus pés todos os poderes hostis à criatura e à criação, inclusive a morte, aquele monstro até então implacável, cujo lábio superior alcança os céus e o inferior encontra-se ao rés do chão (1Co 15.26).

Do Jesus que há de vir com poder e muita glória, sob o olhar de todo ser humano de qualquer tempo e raça (Mt 24.30).

Do Jesus que transformará os vivos e ressuscitará os mortos, tornando-nos outra vez semelhantes a ele (1Ts 4.15-17).

Do Jesus que retira do mapa e da história o paraíso perdido e coloca no lugar dele o paraíso recuperado (Ap 21.5).


de Ultimato edição 346

 

Lute por seu lar!

A nossa tarefa hoje não é a construção de uma cidade terrestre. Os seguidores de Cristo participam de “Jerusalém celestial” (Hebreus 12:22-23). 

Devemos nos preocupar com o nosso próprio crescimento espiritual, e com o crescimento do povo de Deus (1 Coríntios 3:9-15). 

Quando progredimos, o Inimigo procura nos impedir. Se ele não conseguir, fica zangado conosco e procura outras maneiras de atacar (leia 1 Pedro 5:8-9; Tiago 4:7-8; Apocalipse 12:1-17). 

Enfrentamos inúmeros atentados do Diabo contra a família

Somos ameaçados com imoralidade, falsas doutrinas, etc. Se perdermos essas batalhas, pessoas queridas podem sofrer (considere as conseqüências do pecado de Acã – Josué 7). 

O homem que não serve a Deus prejudica a sua família. A mãe infiel guia os filhos no caminho errado.

Você ama a sua família? Quer ver seus filhos no céu? Seja fiel a Deus. Lute por seu lar!

–por Dennis Allan



O Nevoeiro Do Coração Partido


Max Lucado
É um nevoeiro escuro que aprisiona furtivamente a alma e se recusa a ir embora. É uma neblina silenciosa que esconde o sol e chama as trevas. É uma nuvem pesada que não honra qualquer hora nem respeita quem quer que seja. Depressão, desânimo, desapontamento, dúvida... todos são companheiros desta presença temida. 

O nevoeiro do coração partido desorienta a nossa vida. Ele torna difícil ver o caminho. Abaixe as suas luzes. Limpe o pára-brisa. Ande mais devagar. Faça o que quiser, nada ajuda. Quando este nevoeiro nos rodeia, nossa visão fica bloqueada e o amanhã está para sempre distante. Quando esta escuridão ondulada nos envolve, as palavras mais sinceras de ajuda e esperança não passam de frases vazias.

[...]

"Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte". Hebreus 5:7

Que descrição! Jesus sofrendo. Jesus às portas do medo. Jesus não está revestido de santidade, mas de humanidade. 

Da próxima vez que o nevoeiro o envolver, você faria bem em lembrar-se de Jesus no jardim. 
Da próxima vez em que pensar que ninguém compreende, releia o capítulo 14 de Marcos. Da próxima vez que a autopiedade o convencer de que ninguém se importa, vá visitar o Getsêmani. 

E da próxima vez em que ficar imaginando se Deus realmente percebe a dor que prevalece neste poeirento planeta, ouça-O suplicando entre as árvores retorcidas. 

Este é o meu ponto. Ver Deus desse modo faz maravilhas em relação ao nosso próprio sofrimento. Deus jamais foi tão humano quanto nessa hora. Deus jamais esteve mais próximo de nós do que quando sofreu. A Encarnação jamais foi tão cumprida quanto no jardim. 

Como resultado, o tempo passado no nevoeiro da dor poderia ser o maior dom de Deus. Poderia ser a hora em que finalmente vemos nosso Criador. E verdade que no sofrimento Deus se assemelha mais ao homem; talvez em nosso sofrimento possamos ver a Deus como nunca antes. 

Da próxima vez em que você for chamado para sofrer, observe. Talvez esse seja o ponto mais próximo em que vai estar de Deus. Preste muita atenção. Pode muito bem ser que a mão que se estende para guiá-lo para fora do nevoeiro esteja traspassada. 

parte da mensagem de Max Lucado

(grifo meu) 




Como podemos evangelizar nossa família, amigos, no trabalho e conhecidos?


Todo cristão tem sempre um membro da família, um amigo, um colega de trabalho ou conhecido que não é cristão. 

Compartilhar o Evangelho com os outros é sempre difícil. Compartilhar o Evangelho se torna ainda mais difícil quando isto envolve alguém bem próximo. 

A Bíblia nos diz que algumas pessoas se sentirão ofendidas com o Evangelho (Lucas 12:51-53). Causa ainda mais problemas o risco de ofender alguém com quem você tem contato freqüente. Entretanto, a ordem a nós dada foi para que compartilhemos o Evangelho: não há desculpas para não fazê-lo (Mateus 28:19-20; Atos 1:8; I Pedro 3:15).


Então, como podemos evangelizar os membros de nossa família, amigos, colegas de trabalho e conhecidos? 

A coisa mais importante que você pode fazer é orar por eles. Ore para que Deus mude seus corações e abra seus olhos (II Coríntios 4:4) à verdade do Evangelho. 

Ore para que Deus os convença de Seu amor por eles e sua necessidade de salvação através de Jesus Cristo (João 3:16). 

Ore por sabedoria em como você pode ministrar a eles (Tiago 1:5). Além de orar, você também precisa viver uma vida cristã santa na presença deles, para que possam ver a mudança que Deus já fez em sua própria vida (I Pedro 3:1-2). 

   texto de 'gotquestions'



Modelando um caráter

Por que Deus é tão meticuloso sobre cada coisinha que possamos ter murmurado? Provavelmente há muitos motivos, inclusive sua santidade absoluta e justa. Mas também tem o fato de que a cada dia, com cada decisão e cada ação, estamos modelando um caráter. 

Nós temos livre arbítrio e somos responsáveis pelas decisões que tomamos e, consequentemente, somos responsáveis pelo caráter que desenvolvemos nas nossas decisões. Quantas palavras frívolas precisamos murmurar antes de virar hábito e se tornar uma característica do caráter?

É possível lidar com uma circunstância angustiante com graça e sabedoria, ou lidar mal com ela usando intemperança ou comportamento extremo. E como lidamos com crises grandes muitas vezes depende de como lidamos com as pequenas. 

O Senhor espera que nós construamos caráteres fortes, e permitir que “palavras frívolas” ou “pequenas falhas” dominem nossos dias, não conquista isso.

Uma boa ilustração disso é a maneira que Saul e Davi lidaram com crises. Saul negligentemente desobedeceu os mandamentos do Senhor sobre sacrifícios, e foi por isso que ele perdeu seu reino. 

A Bíblia diz: “Então, disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente em não guardar o mandamento que o Senhor, teu Deus, te ordenou; pois teria, agora, o Senhor confirmado o teu reino sobre Israel para sempre. Já agora não subsistirá o teu reino. O Senhor buscou para si um homem que lhe agrada e já lhe ordenou que seja príncipe sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou” (1 Samuel 13:13-14).

Mas Saul evidentemente ainda não fez a ligação entre sua falta de cuidado e a perca do reino. Em vez disso ele culpou Davi, o homem que Deus escolheu para ficar no lugar de Saul, pelos seus problemas. 

[...]

No entanto, Davi iria exercer grande cautela nas suas decisões, sabiamente buscando fazê-las com respeito a Deus e à sua vontade. 

O contraste entre a imprudência de Saul e o muito respeito de Davi pela vontade de Deus é bem nítido. Era verdade naquela época, e é verdade hoje, que o julgamento consistirá de colher o que semeamos: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna” (Gálatas 6:7-8)

Não seja frívolo na maneira que lida com a palavra de Deus! 

por Jon W. Quinn


Importância da Bíblia nas escolas - depoimentos



"Aprender a Bíblia é importante, porque aprendemos a Palavra de Deus, que nos mostra o caminho certo."
Walter Saimon da Silva, 7 anos, aluno beneficiado da 2ª série do Ensino Fundamental,da Escola Municipal Professor Isaías - Igarassu (PE)

"Obrigada por este livro, estou aprendendo muitas coisas sobre Deus e sobre Jesus. Este livro é muito lindo."
Felipe, aluno da 3ª série – Jandira-SP

"Considero fundamental a aula de Ensino Religioso na escola. Só assim as crianças aprenderão desde cedo a respeitarem e obedecerem a lei de Deus, para viverem num mundo melhor, sem guerras e com paz."
Miramar M. de Souza, mãe de aluno – Jandira-SP

"Com a implantação do projeto Estudando com a Bíblia, eu percebo meus filhos mais empolgados com os estudos. O comportamento deles mudou muito, principalmente no contato com as outras crianças. Eles comentam em casa sobre o que aprenderam na escola e até levam o material do projeto para mostrar para outras crianças que não estudam com eles."
Ana Patrícia Teodósio dos Santos Anselmo, mãe de aluno – Paulista-PE

"Houve uma grande mudança na comunidade escolar e nas famílias. As crianças levam para casa as mensagens de amor que são dadas como lição nas aulas de Ensino Religioso. Isso se traduz numa vida melhor com seus familiares e amigos."
Maria Shirley dos Santos, coordenadora de Ensino – Jandira-SP

"Vivemos numa época de famílias desestruturadas, sem carinho e sem amor. Através da Bíblia, mostramos para as crianças o amor verdadeiro, o amor de Deus. Com a implantação do projeto Estudando com a Bíblia, houve uma grande diminuição da violência e, ao mesmo tempo, um aumento do respeito pelo outro, uma vontade de partilhar e, ainda, demonstrações de amor à natureza."
Rosilda Gonçalves, diretora de escola – Paulista-PE

"As crianças estão aprendendo os valores humanos, com respeito, fraternidade, e principalmente, com amor ao próximo."
Susi Rodrigues, professora – Abreu e Lima-PE

SBB

 

Um tempo planejado por Deus, EDIFIQUE!


Vivemos em tempos difíceis, onde cada minuto é precioso e cada atividade por nos realizadas tem funções específicas, bem como,

cada pessoa está vivendo um momento específico em sua vida; um tempo planejado por Deus, vivido no presente, que terá implicações para o futuro. 
Assim sendo, nada melhor do que investirmos uma parte do nosso tempo de solitude refletindo em nossa vida com Deus, no tempo que Ele nos tem dado para vivermos, e do qual Ele pedirá contas no futuro.

Todos os dias recebemos um suprimento novo e intacto: 24 horas, 1.440 minutos, 86.400 segundos. Vinte e quatro horas que ainda não vivemos; vinte e quatro horas que nunca mais tornaremos a viver. 
(autoria desconhecida)

Permita que o Senhor Jesus encha seu ser

Quantas pessoas parecem trabalhar só em função das férias. Toda a expectativa está focada nessas poucas semanas que se convertem no alvo e na recompensa de um ano inteiro de esforços. 

A palavra "férias" vem do latim e significa "dia de descanso ou dedicado a festas". Portanto, são dias de descanso do trabalho e dos estudos, e se não os enchemos com "festas", logo ficamos entediados.

Isso nos faz pensar em outro descanso que tanto as pessoas procuram. O filósofo francês Pascal disse que no coração do homem existe um vazio no formato de Deus. Se Deus não o preenche, ficamos insatisfeitos e infelizes.

O Senhor Jesus declarou que nEle há descanso para nossa alma. Ele sabe que todos ansiamos pela verdadeira paz interior, a qual só existe dentro de um relacionamento de intimidade com Ele. O que Deus nos propõe é que nos arrependamos de nossos pecados, que são o abismo entre nós e Ele, que aceitemos Seu perdão e nos rendamos a Jesus Cristo. Assim encontraremos a plenitude e o descanso que precisamos.

Aproveite as férias, descanse bastante, mas não as termine com o coração mais vazio que antes. Permita que o Senhor Jesus encha seu ser, e não importa o momento em que estiver, trabalhando ou não, atribulado ou não, você terá descanso para a sua alma.



de Boa Semente/NT2014

 

União somente na verdade

Deus deseja união, sim, mas somente na verdade. Ele quer cooperação, é claro, mas somente em fazer a vontade dEle. 

Verdadeira união e cooperação não exigem proximidade física. Não temos que sentar-nos na mesma plataforma ou escrever pelo mesmo jornal para termos comunhão com Cristo. 

Aqueles povos antigos em Gênesis teriam cooperado com Deus e um com o outro se tivessem partido por caminhos diferentes para encher a terra, fazendo a vontade de Deus. 

Essa teria sido comunhão agradável—aquela boa e doce comunhão em fazer a vontade de Deus que é tão desejável. Mas, de fato, eles se uniram em rebelião e cooperaram para a glória do homem; de tal unidade Deus nunca se agradou.
 
A vontade de Deus será feita. Essas pessoas não obedeceram voluntariamente as instruções de Deus para encher a terra. Mas a vontade de Deus foi feita. 

Quando Deus confundiu a língua deles, ele "os dispersou dali pela superfície da terra" — exatamente o resultado que eles procuraram evitar. A vontade de Deus foi feita, mas eles não receberam nenhuma bênção.

Sou convencido que, se nós falharmos em levar o evangelho para o mundo inteiro, a vontade de Deus de algum modo ainda será feita. Como Mordecai disse a Ester: "Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará...socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis" (Ester 4:14). 

Aqueles que ouvem o evangelho podem o rejeitar e recusar a reconhecer Jesus agora, mas um dia eles o reconhecerão. 

"Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai" (Filipenses 2:9-11). 

Como seria melhor fazer a vontade de Deus agora, voluntariamente para a recompensa que Ele tem prometido, do que sermos forçados contra a nossa vontade e para nossa eterna vergonha!

por Sewell Hall



Embriaguez? Nem pensar!

Freqüentemente, pessoas que querem justificar suas praticas de beber comentam que a Bíblia não proíbe o ato, ou seja, não há versículo que condena a prática de tomar uma cerveja, um copo de vinho, etc. 

Mas será que esta abordagem ao assunto é honesta e humildade, procedente de corações espirituais determinados a agradar ao Senhor? Ou, pode ser que reflete uma atitude carnal determinada a justificar o prazer próprio?

O que Deus acha da bebida forte? Ele diz: “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora” (Provérbios 20:1). 

Algumas pessoas ainda procuram defender seus hábitos de tomar bebidas alcoólicas, sugerindo que outras passagens contradizem esta. Citam, por exemplo, o milagre de Jesus em Caná, quando o Senhor fez centenas de litros de vinho (João 2:1-12). 

Estas pessoas ignoram o significado da palavra “vinho” nas Escrituras, que simplesmente identifica o produto da uva. 

Pode ser vinho, a bebida forte condenada por Deus, ou pode ser suco da uva, o que uma mãe daria para uma criança de peito (Lamentações 2:11-12). Para defender o consumo de bebidas alcoólicas, sugerem que Jesus agiu em contradição da palavra já revelada por Deus condenando a bebida forte. 

Não há nenhuma evidência bíblica para sugerir que Jesus fizesse vinho com álcool.

Uma outra defesa é o argumento que a Bíblia condena o vinho, não a cerveja. É claro que a palavra cerveja não aparece nas Escrituras, mas a cerveja hoje tem quase o mesmo teor de álcool do vinho fermentado naturalmente naquela época.

Tudo que o vinho fazia para prejudicar a pessoa, a cerveja também faz. A bebida forte diminui a capacidade de discernir entre o certo e o errado (Levítico 10:9-11) e a capacidade de aplicar a justiça (Provérbios 31:5).

Como evitar a embriaguez e outros pecados envolvendo o consumo de álcool?

“Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente” (Provérbios 23:31). Se não olhar, não vai pegar. Se não pegar, não vai tomar. Se não tomar, não sofrerá os prejuízos que a bebida forte traz.

Como responder a questão de bebidas alcoólicas? Nem pensar!

por Dennis Allan


A paciência de Deus tem limite


Embora muitas pessoas agem como se a paciência de Deus não tivesse limites, a Bíblia mostra que haverá um ponto final na longanimidade do Senhor. 

Deus colocou um ponto final nos dias de Noé: "...o SENHOR fechou a porta" (Gênesis 7:16). Na vida de cada pessoa, a morte marca o fim da oportunidade de se arrepender e receber o benefício da misericórdia de Deus. 

A pessoa que morre despreparada não terá outra chance (Lucas 12:20-21; 16:24). Hebreus 9:27 nos assegura que o julgamento vem depois da morte. Seremos julgados pelas coisas feitas no nosso único corpo (2 Coríntios 5:10). 

Doutrinas de purgatório e reencarnação, que oferecem uma outra oportunidade para se arrepender ou se aperfeiçoar após a morte são doutrinas falsas que contradizem as Escrituras

Quando Jesus voltar, todas as pessoas serão chamadas ao julgamento, para receber ou a vida ou a morte eterna (João 5:28-29).

por DennisAllan 

 

Jesus ensinava da "terra mais alta"

[...]

É fácil ver que a Bíblia mostra as montanhas de forma proeminente. Os exemplos incluem 

o Ararate
onde a arca pousou (Gênesis 8:4); 

o Sinai
onde a Lei foi dada a Moisés (Êxodo 19:20); 

o Nebo
no qual Moisés morreu (Deuteronômio 32:49); e 

o monte da Transfiguração
onde a autoridade de Jesus foi confirmada aos apóstolos (Marcos 9:2). 

Coisas boas muitas vezes aconteciam em montanhas. Muitas vezes se associa Deus aos montes. O salmista proclamou, "Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra" (Salmos 121:1,2).

Dado este histórico, não é surpreendente que Jesus subiu na montanha e lá ensinou a seus discípulos. É o que poderíamos esperar. A geografia da Palestina e a qualidade acústica natural de tal lugar também incentivavam a sua seleção. 
Mas também podemos entender uma aplicação espiritual? 

Jesus ensinava da "terra mais alta" não somente no local físico de seu sermão, mas também nas suas perspectivas morais, éticas e teológicas. Ele era vastamente superior aos líderes judeus contemporâneos em todos estes sentidos. 

A sua sinceridade e verdade ultrapassavam a hipocrisia deles. O seu amor pelos perdidos se sobressaía em relação ao egoísmo deles. A sua reverência para com Deus se posicionava acima do orgulho deles.

O cristianismo genuíno, quando comparado com qualquer outra religião ou filosofia, é uma terra mais alta. Ele nos dá a maior visão da humanidade, a única revelação verdadeira de Deus e a única esperança verdadeira que o homem pode possuir. 

Da mesma forma que amamos a paisagem do Monte Everest, a maravilha da engenharia de um arranha-céus gigante, ou a graça e o poder de um "gigante" numa quadra de basquete, as alturas incríveis do Caminho de Cristo são muito mais grandiosas. 

Jesus prometeu, "conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32). A sua verdade é incrivelmente bonita. Que possamos proclamá-la e segui-la sempre.
 
por Michael Brooks


O arrebatamento dos crentes é o primeiro ato da vinda do Senhor Jesus

1 Tessalonicenses 4:9-18
Não é necessário cumprir obras extraordinárias para servir "o Deus vivo e verdadeiro" (1:9). Acima de tudo, é requerido que o cristão viva tranqüilamente e se aplique fielmente a cumprir sua tarefa cotidiana (v. 11). 

Pronto chegará ao fim de seu trabalho! Ao som da conhecida voz do Senhor, cada um colocará de lado sua ferramenta para ir a Seu encontro e estar para sempre com Ele. O arrebatamento dos crentes é o primeiro ato da vinda do Senhor Jesus (o segundo será Seu glorioso retorno com eles: 3:13). 

Ele virá para buscá-los para Si mesmo, não deixando a ninguém mais esta responsabilidade e este gozo. Este gozo deverá ser a porção de cada redimido e seu presente consolo quando acontecer de um dos seus entes queridos chegar a "dormir". Como a morte já foi vencida - embora não destruída -, os mortos em Cristo simplesmente "dormem" (4:13-15; João 11:11-13). 

Estes despertarão, como Lázaro - mas para sempre -, mediante a palavra de ordem do Príncipe da vida. Então, em perfeita ordem e do mesmo modo que Ele deixou a terra, os que estiverem vivos serão "arrebatados juntamente com eles" para ir ao Seu encontro no ar (v. 17; Filipenses 3:20). 

Será a nossa geração que verá este maravilhoso evento, esperado por tantas gerações? Tudo aponta para isto. Talvez será esta noite. Amigo leitor, você está preparado?

do GuiaDevocional do NT

 

Quando Deus perdoa, nova vida surge!

Deus despertará nova vida, as pessoas ficarão velhas, e as crianças brincarão novamente nas ruas, livres e desimpedidas e não ameaçadas pelo terrorismo (cf. Is 65.19ss). Hoje quase não conseguimos imaginá-lo, mas um dia isto acontecerá. 

Mas não só a cidade despertará para uma nova vida, não só as pessoas nem só as nações, mas também a terra e o campo:

“Mas, agora, não serei para com o restante deste povo como nos primeiros dias, diz o Senhor dos Exércitos. Porque haverá sementeira de paz; a vide dará o seu fruto, a terra, a sua novidade, e os céus, o seu orvalho; e farei que o resto deste povo herde tudo isto” (Zc 8.11-12). 

Quando Deus perdoa, nova vida surge! Deus perdoa o pecado dos homens, mas também anula a maldição da terra, o que terá como conseqüência a restauração da natureza: “...e tirarei a iniqüidade desta terra, num só dia. Naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, cada um de vós convidará ao seu próximo para debaixo da vide e para debaixo da figueira” (Zc 3.9-10). 

[...]

mensagem de Norbert Lieth 


Trabalho nos bastidores

(At 6.3-5)
Todos nós conhecemos Estêvão e Filipe. Mas havia mais cinco diáconos que realizaram um trabalho igualmente importante para a igreja primitiva. 

Seu ministério diaconal amoroso e prático liberou os apóstolos de diversas tarefas, permitindo que cumprissem com sua incumbência de pregar o Evangelho. O trabalho desses homens quase não era percebido, mas tinha grande importância para o funcionamento do corpo de Cristo. 

O mesmo se dá com aqueles apóstolos que não são mencionados outras vezes no decorrer do avanço do Evangelho (por exemplo: Tomé, André, Filipe, Simão, o Zelote, Judas, filho de Tiago, Bartolomeu, Tiago, filho de Alfeu, etc.). 

O Senhor Jesus havia declarado acerca de todos os Seus discípulos: “É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus; ora, todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e, neles, eu sou glorificado. Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, assim como nós” (Jo 17.9-11).

Querido leitor, querida leitora, mesmo que você não pregue, o trabalho que você faz nos bastidores é importante quando contribui para propagar o Evangelho que outros pregam!

[...]
 
Jovem ou idoso, com mais dons ou menos dons, em público ou nos bastidores: você é importante! 

por Norbert Lieth

Como poderíamos estar tristes?


"E pôs todas as cousas debaixo dos seus pés e, para ser o cabeça sobre todas as cousas, o deu à igreja, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as cousas." Efésios 1.22-23 

Atentemos para a repetida expressão "todas", "sobre todas as cousas", "em todas". Aqui vemos que o triunfo de nosso Senhor foi representado por Sua ascensão ao céu. 

Realmente, a ascensão do Senhor foi o triunfo definitivo sobre todo o poder de Satanás. Olhemos para o profundo e glorioso significado deste acontecimento. Antes de qualquer outra coisa, a ascensão de Jesus significou o fim de Sua humilhação, pois por ocasião de Sua ascensão se cumpriram as palavras:

"Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome."  

Se um dia seremos coroados com glória, então é porque nos humilhamos como o Senhor Jesus Cristo, nos humilhamos com Ele, nos identificando plenamente com Sua maneira de ser. 

O glorioso significado da ascensão do Senhor Jesus nos é revelado na carta aos Efésios: "Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as cousas." Isso significa que a ascensão do Senhor foi o cumprimento definitivo das profecias do Antigo Testamento que falam da Sua vinda. 

Da mesma maneira se cumprirá a profecia sobre Sua segunda vinda. Que promessa maravilhosa! Como poderíamos estar tristes, se a ascensão do Senhor nos garante Sua segunda vinda?

por Wim Malgo 

 

O Grande Médico deseja restaurar a nossa saúde e integridade espiritual


“Tendo Jesus ouvido isto, respondeu-lhes: Os sãos não precisam de médico e sim os doentes; Não vim chamar justos, e sim pecadores” (Marcos 2:17).

Nossas doenças mais sérias não são físicas, mas sim espirituais. Somos machucados mais pelos males do nosso caráter do que pelas doenças do corpo. E é com a retirada destes pecados do coração que Deus se preocupa. O Grande Médico deseja restaurar a nossa saúde e integridade espiritual.

Se quisermos melhorar, temos de ser honestos e abertos à verdade sobre o nosso caráter atual. Nem mesmo o Grande Médico pode nos ajudar se não estivermos dispostos a sermos examinados. 

Tentar esconder os nossos sintomas e fingir que não há nada de muito sério errado conosco apenas terá o resultado de piorarmos. Um diagnóstico correto nos tornará mais humildes, de certo, mais ainda devemos procurar saber toda a verdade. 

A oração de Davi é a de um homem honesto: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração...vê se há em mim algum caminho mal” (Salmo 139:23-24). Devemos desejar a ver nós mesmos da maneira que Deus nos vê.

________ mensagem de  Gary Henry