✿ Registre seu email e receba as mensagens deste Devocional:

Pesquise

terça-feira, 29 de abril de 2014

Assunto fácil de entender e perigoso de esquecer

Os nossos corações estão sendo atacados por todos os lados. Não há uma única dimensão do nosso pensamento em que não somos desafiados pelo mal e enfrentados com escolhas cruciais.
No nosso intelecto, a escolha é entre a verdade e o engano. Nos nossos carinhos, temos que decidir entre o amor e o ódio. Na nossa vontade, as únicas alternativas são a nossa obediência a Deus ou não. A não ser que determinamos não deixar acontecer, ter os pensamentos errados, e até o coração errado, fará com que sejamos vencidos em cada uma destas coisas e apagará todas as coisas boas para o qual fomos criados para aproveitar.

Estas verdades nos deixam mais sérios, certamente. Temos uma necessidade óbvia por humildade e vigilância em tudo que tem a ver com o nosso bem-estar espiritual. Mas também é possível que tenhamos coragem e esperança. Esforçando-se a fortalecer a coragem de seu jovem amigo Timóteo, Paulo escreveu: “Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” (2 Timóteo 1:7).

Nós estamos enrolados numa luta cósmica, mas o Criador deste cosmos é muito maior em força e sabedoria do que todas as forças do mal juntas. O Rei de direito reina de seu trono!

Sejamos lembrados deste fato: o diabo tem o poder somente de nos tentar, não o poder de nos obrigar. E Deus, que nos deu a liberdade de escolher, não irá nos obrigar. Ao invés disto, honrando a nossa liberdade, Ele nos exorta a resistir o engano do diabo e segurar a verdade.

Deus nos convida a encontrar nEle aquilo que é a vida real. O assunto básico é fácil de entender e perigoso de esquecer. Moisés capturou-o nas suas palavras históricas a Israel: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Deuteronômio 30:19).

O diabo luta com Deus, e o campo de batalha é o coração humano. (Feodor Dostoevski)

–por Gary Henry

O fermento está agindo

Nossa sociedade é, infelizmente, cheia do fermento de imoralidade. A desonestidade, a cobiça e a sensualidade têm corrompido as vidas de inúmeras pessoas e ameaçam cada um de nós, todos os dias. 

Os jornais estão cheios de relatos da corrupção no Governo. As revistas e os filmes tiram lucro da exploração do pecado sexual. Jesus nos chama para sermos luzes e para mudar este mundo escuro e corrompido (Mateus 5:14-16).

Porém, muitos que afirmam estarem seguindo Jesus estão ignorando esta determinação. 

Enquanto proclamam estão se atualizando com um mundo em mudança, algumas igrejas vão aprovando certas práticas claramente condenáveis, como o adultério (Lucas 16:18) e o comportamento homossexual (Romanos 1:26-27; 1 Coríntios 6:9-11). 

Onde Jesus exigia santidade, estas igrejas modernas a substituem por uma atitude tolerante que aceita, o câncer mortal do pecado e encoraja a morte espiritual eterna (Romanos 6:23). O fermento está agindo, corrompendo os justos.
                             
{por Dennis Allan}

segunda-feira, 28 de abril de 2014

O corpo glorificado que receberemos do Senhor

Vivemos hoje em um corpo débil e fraco, mortal, sujeito à enfermidade, à velhice e, finalmente, à morte. Nosso corpo é limitado e nos cerceia, nos prende; ele é marcado pelo pecado. 

No dia do arrebatamento (ou no dia da ressurreição dos mortos, caso faleçamos antes do arrebatamento) o Senhor dará um corpo glorificado aos Seus filhos: "Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas" (Filipenses 3.20-21).

Que privilégio, que honra! Somos chamados por Deus para "alcançar a glória de nosso Senhor Jesus Cristo" (2 Tessalonicenses 2.14). Nosso corpo será semelhante ao corpo glorificado de Jesus após Sua ressurreição. 


Isso não significa que seremos iguais a Jesus em Sua divindade, mas seremos semelhantes a Ele. Certamente teremos aparência distinta uns dos outros e seremos reconhecíveis como indivíduos. 

Esse novo corpo, esse corpo glorificado que receberemos do Senhor, não estará mais sujeito à deterioração – ele estará perfeitamente adaptado às condições existentes no céu.
 [...]
por Norbert Lieth/Chamada

 

sábado, 26 de abril de 2014

Agradeça O Criador

 

A criação é como um imenso livro no qual o Criador se revela em cada letra. As coisas criadas manifestam Seu poder e Sua bondade.

Seu poder criador e preservador é um milagre visto na sucessão ordenada e regular dos ciclos da natureza; Sua bondade, porque todos os seres vivos dela se aproveitam, ainda que o homem não se importe de agradecê-Lo. Deus não nos deve nada, e se tudo proporciona em abundância para nós, temos de expressar nossa gratidão.

Há, pois, na criação uma linguagem que fala acerca do Criador e faz com que cada pessoa seja responsável por ouvi-la. Mas quando se rejeita a verdade, o engano se instala. As ideias religiosas, privadas da luz divina, se transformam em idolatria. É esta a razão da infinidade de falsos deuses na história humana.

Às vezes o homem moderno zomba das culturas antigas que adoravam ídolos, sem perceber que também cultua ídolos hoje: sucesso, juventude, fama, dinheiro, poder, intelectualismo, egolatria, etc. Isso é outra face do paganismo.

Porém, os que crêem discernem Deus em todos os lugares, e não cessam de declarar como o salmista: "Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto eu tiver existência. A minha meditação acerca dele será suave; eu me alegrarei no Senhor" (Salmo 104:33-34).


fonte: "encontre a paz"


O segredo é... de todo coração!

"Não falei em segredo, nem em lugar algum de trevas da terra; não disse à descendência de Jacó: Buscai-me em vão; eu, o Senhor, falo a verdade, e proclamo o que é direito." (Isaías 45.19)

"Buscai-me"! Essa é uma exortação do Senhor muitas vezes repetida nas Escrituras. Mas se Deus nos exorta para que O busquemos, então também deve ser possível encontrá-lO. Mas de que maneira O encontraremos? 

Ora, isso não é nenhum segredo. A única condição necessária o Senhor menciona através do profeta Jeremias: "...quando me buscardes de todo o vosso coração. Serei achado de vós..." Não faz sentido orar ou promover reuniões de oração se não o fizermos de todo o coração. 

Em Jeremias 48.10, o Senhor diz: "Maldito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente." Orar é uma coisa gloriosa, mas também perigosa, pois se não buscamos o Senhor de todo o coração, então tudo é em vão. 

A única indicação correta para o nosso caminho, a tão necessária direção, só recebemos na presença do Senhor, quando O buscamos com sinceridade.           autor Wim Malgo



sexta-feira, 25 de abril de 2014

Raízes espirituais em perigo

Se nossas raízes espirituais estiverem em perigo, não adianta medidas paliativas, como maior frequência às reuniões cristãs, ou decorar mais versículos, ou ouvir mais pregações. Temos de imergi-las na Palavra de Deus, nos enchendo do próprio Deus até que transbordemos dEle. 

“A palavra de Cristo habite em vós abundantemente” (Colossenses 3:16).

Boa Semente

O Espírito Santo Nos Atrai

“Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer” (Jo 6.44).

Você acha que vir a Deus foi idéia sua? Não foi. Você estava fugindo dEle. Se Ele não o tivesse seguido até cansá-lo, você jamais teria sido salvo.

Existem aqueles que estudam crescimento de igreja e que aconselham que sejam feitos cultos que sensibilizem aqueles que buscam. Eles dizem que devemos ser sensíveis a todas as pessoas que estão buscando o Senhor. Verdadeiramente, nenhuma delas está buscando o Senhor! Ele é que as busca: “Não há quem busque a Deus” (Rm 3.11). Nós jamais teríamos vindo se Ele não nos tivesse atraído, alcançado e ensinado.            

por Adrian Rogers



quinta-feira, 24 de abril de 2014

Funcionários cristãos

[...]
Deus nos abençoou ricamente com um governo que nos permite trabalhar arduamente, dar o nosso melhor e ser recompensados pelo esforço que empreendemos em nossa determinada linha de trabalho. Como cristãos,tenhamos certeza de que estamos nos esforçando em nosso ambiente de trabalho. Como funcionários cristãos, devemos ser os melhores! 



O rei Ezequias propôs-se a agradar ao seu Senhor. A Bíblia diz que ele “fez o que era bom, reto e verdadeiro perante o Senhor, seu Deus, em toda a obra que começou no serviço da Casa do Senhor, na lei e nos mandamentos, para buscar a seu Deus, de todo o coração o fez e prosperou” (2 Crônicas 31:20-21).

Entendemos que servir com fidelidade aos nossos empregadores é agradável ao Senhor. Deus nos disse: “Servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus; servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens, certos de que cada um, se fizer alguma coisa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer seja servo, quer livre” (Efésios 6:5-8).

Como os funcionários se esforçam para fazer a vida de modo honesto, vamos buscar “as coisas lá do alto” e pensar “nas coisas lá do alto” (Colossenses 3:1-2). O nosso Senhor está sempre com os seus filhos e sempre podemos depender de sua ajuda em qualquer momento de nossa vida.

Lembre-se das palavras do rei Davi, quando incentivou seu filho Salomão a construir o templo do Senhor: “Sê forte e corajoso e faze a obra; não temas, nem te desanimes, porque o SENHOR Deus, meu Deus, há de sercontigo; não te deixará, nem te desamparará, até que acabes todas as obras para o serviço da Casa do SENHOR” (1 Crônicas 28:20).

–por James L. Johnson

http://www.estudosdabiblia.net/2004123.htm


Como é feita a vontade de Deus no céu?


Jesus está no céu com Deus (Atos 1:11; Hebreus 4:14) e ele faz a vontade de Deus perfeitamente (Lucas 22:42; 2 Coríntios 5:21). 

O Espírito Santo faz a vontade de Deus perfeitamente (João 16:13; 1 Coríntios 2:9-13). 

Os anjos do céu fazem a vontade de Deus perfeitamente, porque se não a fizerem serão lançados fora (2 Pedro 2:4). 

As quatro criaturas vivas cantam: “Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir” (Apocalipse 4:8). Os 24 anciãos adoram-no e depõem suas coroas diante dele (versículo 10). 

A vontade de Deus é cumprida plenamente, sem mácula ou defeito, no céu.

Como então podemos nós que estamos na terra fazer a vontade de Deus até este ponto? A resposta é: deixando seu reino reinar em nossas vidas enquanto nos submetemos a sua soberania, poder real, e domínio. 

Sendo seus filhos, podemos pedir seu perdão e ser puros e santificados diante de seus olhos. “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna” (Hebreus 4:16).


–por Bobby Hall


quarta-feira, 23 de abril de 2014

Anorexia Espiritual



A anorexia é uma doença que resulta na perda de apetite e leva a pessoa a emagrecer muito, tornando um risco a sua vida. Sabemos da importância do alimento para a vida, quem não se alimenta morre.

Hoje quero falar de uma anorexia bastante ignorada. Esta não é física, é espiritual. Pedro o apóstolo nos mostrou a importância deste alimento quando disse: “desejai ardentemente, como crianças recém nascidas, o genuíno leite espiritual, para que por ele, vos seja dado crescimento para salvação” (1 Pedro 2:2).

É, no mínimo, interessante como as Escrituras, na sua simplicidade, nos trazem ensinamentos fabulosos. Jesus incentivou seus ouvintes a priorizarem não o alimento de pães e peixes, que perece, mas o alimento que subsiste para a vida eterna (João 6:26-27)

Mateus 4:2 relata que Jesus, após os 40 dias e noites jejuando, teve fome, do ponto de vista físico, sim. Porém, do ponto de vista espiritual, não. Jesus optou pelo alimento espiritual, o fato de Jesus jejuar lhe deu forças para resistir a Satanás (Mateus 4:3-10). 


Perceba que Satanás procurou tentá-lo onde o Senhor Jesus estaria mais vulnerável, após tanto tempo sem comer Jesus precisaria saciar sua fome, evidente que o alimento espiritual de Jesus fez com que ele resistisse o que seria naquele momento sua maior dor, a fome.

Outras tentações vieram e Jesus resistiu a todas. Quando nos alimentamos desta maneira ficamos mais fortes contra os laços do diabo e, após a vitória, nossa necessidade será suprida por Deus (Mateus 4:11).

–por José Fernando Borges Ferreira


terça-feira, 22 de abril de 2014

A infinita sabedoria de Deus está além da nossa compreensão


Lembre-se de que a Bíblia nos dá o que necessitamos, mas nem tudo o que poderíamos querer. A infinita sabedoria de Deus está além da nossa compreensão, e há muitas coisas que poderemos querer saber que não estão reveladas na Bíblia (veja Deuteronômio 29:29). Temos que aprender a contentarmo-nos com o que Deus disse e não devemos nos permitir opinar e presumir para falar onde ele não falou.

"As coisas encobertas pertencem ao Senhor, o nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei."  Deuteronômio 29.29
DennisAllan


segunda-feira, 21 de abril de 2014

A Bíblia não é obra das mãos de homens




A Bíblia é única. Não existe livro no mundo como ela. Ela cobre um período de 1.600 anos (de 1500 a.C. até 100 d.C.) e foi escrita por 40 homens diferentes de todas as condições de vida. Alguns eram reis, sacerdotes e profetas; outros eram simples pescadores e agricultores. Alguns possuíam alto grau de educação formal, como Moisés e o apóstolo Paulo; outros não tinham nenhuma educação formal.

Mais de 3.000 vezes, esses homens afirmaram que o que escreviam vinha diretamente de Deus (Moisés: Êx 17.14; Êx 24.4; Êx 34.27; Paulo: 1Co 14.37; Pedro: 2Pe 1.16-21; João 1Jo 4.6). Tão completamente impossíveis quanto possam parecer estes fatos, os registros falam por si mesmos.

Jesus declarou que o Antigo Testamento é a Palavra de Deus (Mt 5.17-18; Mt 24.15; Lc 24.44; Jo 10.35). Ele confirmou as autorias de Moisés, do rei Davi, e dos profetas Isaías e Daniel. Ele validou a verdade de eventos históricos, tais como a criação de Adão e Eva por Deus, Noé e o Dilúvio universal, a destruição de Sodoma e Gomorra, e Jonas sendo engolido por um grande peixe.

Quando tentado pelo Diabo, Ele não respondeu com Suas próprias palavras de sabedoria, mas contrapôs cada tentação com um “Está escrito”, seguido por citações das Escrituras hebraicas (Mt 4.4,7,10).

Em Lucas 4.25-27, Jesus confirmou os milagres divinos registrados na Bíblia hebraica e, relativamente à revelação do Antigo Testamento, Ele afirmou: “Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til passará da Lei, até que tudo se cumpra” (Mt 5.18). Em outras palavras, Jesus afirmou a inspiração, a infalibilidade e a exatidão das Escrituras hebraicas.

Os livros do Antigo Testamento foram canonizados no decorrer da história de Israel e divididos em três seções: o Pentateuco (os cinco Livros de Moisés), os Profetas, e os Escritos. Jesus aceitou essas três divisões e os livros nelas contidos como a Palavra de Deus (Lc 24.44); e Ele ensinou a autoridade, a confiabilidade, a unidade, a clareza, a suficiência, a historicidade, a inspiração, a revelação, a inerrância, a infalibilidade, e a indestrutibilidade do Antigo Testamento.

Uma maneira segura de se provar a precisão e a veracidade da Bíblia é analisar as profecias das Escrituras hebraicas. O número de eventos preditos pelos profetas é enorme, e os próprios eventos são tão específicos que só poderiam ter sido conhecidos e revelados por Deus.

O pastor e teólogo Mark Hitchcock escreveu:

Diferentemente dos profetas autoproclamados de ontem e de hoje, tais como Nostradamus, Edward Cayce, ou Jeanne Dixon, Jesus e os profetas bíblicos não mascatearam predições tão vagas e gerais que podem se ajustar a qualquer situação.

As profecias registradas na Bíblia são muito precisas e tão específicas que, quando cumpridas, fica muito claro que existe algo único e especial sobre elas. (...) Mais de um quarto da Bíblia foi profético no momento em que foi escrito. 

A Bíblia é um livro de profecias. Ela contém cerca de 1.000 profecias, das quais cerca de 500 já foram cumpridas em seus mais ínfimos detalhes. Com este tipo de registros provados – 500 profecias cumpridas com 100% de exatidão – podemos crer com confiança que as restantes 500 profecias ainda por serem cumpridas também o serão, em seu devido tempo. 

(...) A profecia é a prova mais digna de crédito com relação à singularidade e inspiração divina da Bíblia.

(...) Profecias cumpridas também demonstram que o conteúdo da Bíblia não é obra das mãos de homens, mas, pelo contrário, tem suas origens fora de nosso próprio continuum de tempo e espaço.


Chamada- por David M. Levy


Nero, de jovem amável para um monstro

A História relata que Nero foi um belo menino, com um coração tão terno que não suportava ver um animal sofrer. Mas quando cresceu se tornou um monstro, um dos piores homens que já ocupou um trono. Sua crueldade lhe proporcionava um prazer diabólico.

Conta-se que ordenou o incêndio de Roma, e delirou ao ver as chamas, propagadas pelo vento, devorarem tudo. Nada o comovia: nem as perdas materiais, nem a morte de tantas pessoas.

Dominado por Satanás, Nero se fez inimigo do Senhor Jesus Cristo e dos cristãos. Mandou assassinar muitos crentes. Uns eram untados com piche e queimados vivos, outros foram jogados às feras na arena, outros ainda sofreram toda sorte de torturas. Também matou o apóstolo Paulo.

Lembremos que esse monstro de crueldade foi um jovem amável e sensível. O coração dele era igual ao meu e ao seu, leitor. Embora não tenhamos cometido as atrocidades que Nero cometeu, ele tinha a mesma natureza que nós. E, portanto, não somos melhores que ninguém. 

A Bíblia declara: "Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados operavam em nossos membros para darem fruto para a morte" (Romanos 7:5). "Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus" (Romanos 8:8).

Mas a Bíblia também afirma: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo" (Atos 16:31). "Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós" (Romanos 8:9).

de BoaSemente/Devocional2014

domingo, 20 de abril de 2014

A hora da tentação já começou


Filhinhos, já é a última hora." (1 João 2.18)

É muito preocupante que nós como Igreja de Jesus não notemos claramente em que época difícil estamos vivendo, ou seja, que nos encontramos na última hora! 

Por que não nos comportamos mais de acordo com essa realidade?

Resposta: porque as tentações do engano e as tentativas de nos fazer adormecer são mais fortes por parte do inimigo nessa última hora. Dentro desse contexto, a Palavra do Senhor Jesus é colocada energicamente diante dos nossos olhos:"O que, porém, vos digo, digo a todos: Vigiai!" 

Irmãos, de fato é a última hora! Com isso está diante da porta o tempo do qual diz a Palavra profética: "...haverá tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo." 

O homem "sobre-humano", Satanás encarnado, abre seu caminho com esforço tão violento que quase pode-se senti-lo fisicamente. A hora da tentação que vem sobre esta terra antes do começo da Grande Tribulação já começou. Por isso, peço a todos os que lêem estas linhas, que fervorosa e decididamente digam não a qualquer compromisso com o espírito do mundo. 

O Senhor quer conduzir a cada um de nós incontaminados através desta tentação, pois vamos ao encontro do mais glorioso, que é Jesus! Nós haveremos de vê-lO assim como Ele é. "E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro."

Wim Malgo


sábado, 19 de abril de 2014

O propósito da ressurreição


A pergunta vem às nossas mentes: “O que foi conseguido através da ressurreição de Cristo?” Acredito que podemos responder esta pergunta em termos bíblicos simples e, ao mesmo tempo, começar a mostrar a importância da ressurreição de Cristo. 

O primeiro ponto que queremos notar é o cumprimento das profecias. Alguns acusaram Cristo de tentar destruir a lei e os profetas; mas Cristo disse que ele não vinha destruir, mas cumprir (Mateus 5:17). 

O profeta Isaías profetizou a respeito das coisas que Cristo sofreria e porque Ele as sofreria quase 750 anos antes de ocorrerem. A palavra de Isaías e outras profecias em relação à ressurreição foram cumpridas (Isaías 50:6; 53:5). 

Cristo, como Ele viveu, foi capaz de aguentar a tentação e viver acima do pecado (1 Pedro 2:22-23). Assim, ele superou o pecado na carne. O pecado, ao chegar neste mundo, trouxe a morte (Romanos 5:12). 

Quando Cristo foi crucificado ele teve que superar este obstáculo. Ele foi colocado no túmulo e no terceiro dia voltou, conquistando a morte. Ele demonstrou que nenhuma força na terra poderia impedí-Lo de conquistar a morte (1 Coríntios 15:26). 

Quando a ressurreição estava completa, aprendemos do escritor hebreu (Hebreus 5:8-9) que Cristo se tornou perfeito e se tornou autor da vida eterna. 

Através de um homem, o pecado entrou no mundo e por um homem uma saída foi aberta para todos os que seguiriam o autor da salvação (Romanos 5:19, 1 Coríntios 15:21). Aprendemos, também, que renovou a esperança dos apóstolos, como também nos dá esperança da ressurreição (1 Coríntios 15:22-23). 

Resumo

Como a ressurreição nos afeta? 

1) A Semente morreu e nos trouxe vida através da ressurreição (João 12:23-24; 1 Coríntios 15:35-38,42-43). 

2) Através da morte de Cristo, o Novo Testamento teve efeito (Hebreus 9:15-18). 

3) Através dos fatos da sua ressurreição a nossa fé é fortalecida (1 Coríntios 15:55-57, 1 Tessalonicenses 4:14-17). 

Assim, Cristo é grande para nós, não como um governante terrestre, mas como um governante espiritual nos oferecendo a redenção (Colossenses 1:14). 


A grandeza de Cristo foi mais de que uma vida, pois a sua grandeza verdadeiramente vem de poder dar a vida através da ressurreição. Um plano para redimir o homem é construído nestes fatos e devemos nos aproveitar disso enquanto vivemos. O plano é dado em Romanos 6:1-23: Deixamos morrer o velho homem, o sepultando com Cristo, voltando na novidade da vida para vivermos seguindo o Espírito para sermos os servos de Deus. 

A ressurreição de Cristo é importante!

                             por Jackie Richardson


sexta-feira, 18 de abril de 2014

JESUS CRISTO o Messias prometido

Yahweh afirma repetidas vezes que Ele é o único Deus verdadeiro: “Há outro Deus além de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça” (Is 44.6,8).

Ele também declarou: “fora de mim não há salvador” (Is 43.11; Os 13.4).

Isaías profetizou que o Messias prometido, que viria para pagar a penalidade pelo pecado conforme exigia Sua própria justiça, seria “Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9.6).

Por isso, Jesus declarou “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30). Ele alertou que todos que negarem que Ele é Yahweh, o Salvador, perecerão e ficarão eternamente afastados dEle e do céu:

“...se não crerdes que Eu Sou,* morrereis nos vossos pecados” (Jo 8.24), mas também prometeu: “Se alguém guardar a minha palavra, não provará a morte, eternamente” (Jo 8.52b).

Precisamos fazer com que essa mensagem do Evangelho fique clara para todos.
 
Dave Hunt 

PÁSCOA, celebrando a Nova Aliança!


Segundo o Novo Testamento, Cristo é o sacrifício da Páscoa. Isso pode ser visto como uma profecia de João Batista, no Evangelho de João: "Eis o Cordeiro de Deus, Aquele que tira o pecado do mundo" (Jo 1:29) e uma constatação de Paulo "Purificai-vos do velho fermento, para que sejais massa nova, porque sois pães ázimos, porquanto Cristo, nossa Páscoa, foi imolado." (1Co 5:7). 

Jesus Cristo, desse modo, é tido pelos cristãos como o Cordeiro de Deus que foi imolado para salvação e libertação de todos do pecado. Para isso Deus teria designado sua morte exatamente no dia da Páscoa judaica para criar o paralelo entre a aliança antiga, no sangue do cordeiro imolado, e a nova aliança, no sangue do próprio Jesus imolado.

[...]
Wikipedia/Vivos

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Esse é o verdadeiro cristianismo em ação!


Mediante o testemunho de suas vidas, e não só de suas palavras, os cristãos deveriam apresentar o Senhor Jesus aos homens. Muito mais que doutrinas, deveriam manifestar em todo tempo o Cristo vivo que habita neles. Esse é o verdadeiro cristianismo em ação!


"Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz" (1 Pedro 2:9).

Devocional NT 2014



quarta-feira, 16 de abril de 2014

Problemas com os nossos compromissos

Apesar de todas as boas intenções de pessoas honestas, circunstâncias podem surgir que dificultam ou impossibilitam o cumprimento da nossa palavra. Marcamos compromissos, mas não temos controle de diversos fatores. Um ônibus pode quebrar. Chuvas podem causar alagamentos e fechar ruas. Problemas de saúde podem surgir inesperadamente. 

Empecilhos fora do nosso controle podem forçar mudanças em nossos planos. De fato, todos os planos devem ser feitos com entendimento das nossas próprias limitações. Por este motivo, devemos dizer: “Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo” (Tiago 4:15).

Quando não conseguimos cumprir a nossa palavra, devemos explicar o motivo e pedir desculpas à outra pessoa. Se não fizer isso, ela pode perder a confiança em nós. Paulo deu um exemplo quando explicou aos coríntios a mudança nos seus planos de viagem (2 Coríntios 1:15-24).

A maioria dos problemas com os nossos compromissos pode ser evitada por aplicar o princípio ensinado em Provérbios 19:2 – “Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado” (cf. Provérbios 20:25; 29:20).

Deus sempre cumpre suas promessas. Ele é verdadeiro (João 8:26; 17:3; Romanos 3:4; 1 Tessalonicenses 1:9; Apocalipse 6:10). Ele tem toda a sabedoria, e nunca age de uma maneira irrefletida ou precipitada (Romanos 11:33). Podemos confiar em tudo que Deus fala, “pois quem fez a promessa é fiel” (Hebreus 10:23).

E nós, como servos de Deus, devemos imitar seu exemplo perfeito, refletindo bem, falando a verdade e cumprindo a nossa palavra!

Dennis Allan


terça-feira, 15 de abril de 2014

Deus de toda consolação


"Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras." 1 Tessalonicenses 4.18

Consolar o próximo é uma parte importante do discipulado de Jesus Cristo. É essencial compreender corretamente a expressão "Deus de toda consolação." Porque em sua essência Deus é amor, Ele é o "Deus de toda consolação." 
 
Sejam quais forem as suas tentações, desilusões, tristezas e enfermidades: Deus está disposto a consolá-lo e a vir em seu auxílio.

A verdadeira consolação que podemos ministrar uns aos outros por meio da verdadeira comunhão com o Pai e com o Filho é aquela que expressamos quando testemunhamos: nosso Senhor vem em breve!

Nossa consolação e nossa esperança é a real e iminente vinda do Senhor Jesus Cristo. Porque Deus é amor, e assim o "Deus de toda consolação", nós O amamos, amamos "a sua vinda." Por Seu amor em nós, estamos dispostos a renunciar a todas as coisas terrenas e a direcionar todo o nosso amor Àquele que está voltando: "...porque o amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo."

Somente nesta realidade temos condições de ministrar a consolação e o amor de Deus a um mundo cheio de problemas. Sem demora, Jesus voltará "e Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima", dos nossos olhos também.

Wim Malgo
 
 

O céu é de uma beleza inconcebível


O que realmente nos leva para o céu?
Para responder essa pergunta de maneira clara e precisa, Jesus nos contou uma parábola. No Evangelho de Lucas (14.16), Ele fala de um homem [simbolizando Deus] que preparou uma grande festa [simbolizando o céu] e mandou convidar muitas pessoas. As desculpas foram frustrantes:

"todos... começaram a escusar-se. Disse o primeiro: Comprei um campo e preciso ir vê-lo... Outro disse: Comprei cinco juntas de bois... E outro disse: Casei-me e, por isso, não posso ir". Jesus encerrou a parábola com a sentença do anfitrião: "Porque vos declaro que nenhum daqueles homens que foram convidados provará a minha ceia" (Lc 14.24).

O céu é de uma beleza inconcebível.
Por isso, o Senhor Jesus compara-o com uma festa. A Primeira Carta aos Coríntios (2.9) diz: "Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam". 

Não há nada, absolutamente nada nesta terra, que possa ser comparado ao céu, tamanha é sua beleza! De maneira alguma devemos perder a chance de ir para o céu, pois ele é precioso demais! 

Alguém nos abriu a porta: foi Jesus, o Filho de Deus! É graças a Ele que temos acesso à eternidade. Agora a decisão é nossa. Só quem for ignorante como os homens da parábola deixará de aceitar o convite.
[...]

¨¨¨¨¨¨¨¨
autor: Werner Gitt


segunda-feira, 14 de abril de 2014

O Gol da Sua Vida

O pior que pode acontecer a um jogador é, no momento decisivo, errar o gol e perder o jogo. No texto original do Novo Testamento, a palavra “pecado” significa: “não acertar” ou “errar o alvo”. Sim, a vida pode ser resumida em apenas um chute errado.

A Bíblia faz uma constatação sem rodeios: 

“pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23);
“Porque todos tropeçamos em muitas coisas” (Tiago 3.2);
“...desviaram-se como um arco enganoso” (Salmo 78.57). 


Que bom seria se, ao contrário disso, ainda pudéssemos marcar o gol da nossa vida! Se, assim, esse gol pudesse apagar todos os erros e faltas do passado e que somente este chute genial permanecesse nos registros...

Há Alguém que marcou um gol monumental por nós. Alguém que nunca cometeu nenhuma falta – diga-se: pecado – durante Sua vida na terra:

                                       Jesus Cristo! 

do folheto: O Gol da sua vida

domingo, 13 de abril de 2014

Onde começa a paz?



O mundo clama e anseia por paz. Centenas de milhares de pessoas enchem as ruas em manifestações pela paz. As conferências de paz sucedem-se. Mas, quantas dessas pessoas que defendem a paz têm paz com Deus  no próprio coração? Quantos desses manifestantes têm paz na própria  casa, em seu matrimônio e em sua família? Quantos desses defensores da  paz mundial têm desavenças no local de trabalho e brigas com os  vizinhos?

Onde começa a paz?
Na Casa Branca em Washington, na ONU, em Bruxelas, em Israel ou no Iraque?A paz baseia-se na justiça, como ensina a Bíblia: "O efeito da justiça será paz, e o fruto da justiça, repouso e segurança, para sempre" (Is 32.17). Somente onde impera a justiça torna-se possível a paz.  Onde, porém, não há justiça, nunca pode haver paz duradoura. O mundo está  muito distante da paz, porque é dominado pela injustiça.


O que, porém, é justiça? 
O próprio Jesus Cristo é a Justiça em pessoa, pois está escrito: "Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e  santificação, e redenção" (1 Co 1.30).

Conseqüentemente, a paz verdadeira e duradoura é possível apenas através de Jesus Cristo.

Haverá paz somente quando os homens entenderem que não são as armas, mas  eles mesmos, que provocam a falta de paz. Haverá paz, finalmente, quando Jesus, o Príncipe da Paz, puder produzir paz em nossos corações." (R. Z.)

Àqueles que confiam sua vida inteiramente a Jesus, a Bíblia promete: "a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus"(Fp 4.7).
Se você ainda não O aceitou como seu Senhor e Salvador, faça isso agora mesmo!


Norbert Lieth

 
 

A CEIA

Fazei isto em memória de mim (1 Coríntios 11:24).

Ele não pode suportar ser esquecido por aqueles a quem tanto ama neste mundo. Todos somos completamente indignos; mas o Senhor Jesus nos ama mesmo assim, e morreu para nos tornar Seus. Ele deseja que nos lembremos disso e nos deu instruções claras a este respeito.

Se a ceia do Senhor significa alguma coisa, então participar dela significa que O amamos e sentimos falta dEle neste mundo que O rejeitou. Ele investiu a ceia dessa característica: "Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha" (11:26). 

A ceia é a expressão do anseio da Igreja por voltar a estar com Seu Senhor, anunciando Sua morte, mas também anunciando o dia em que Ele virá.

Conhecemos o Senhor pela fé na glória, e temos comunhão com Ele ali. Isso apenas torna a rejeição deste mundo mais intensa. A cruz é o instrumento pelo qual o mundo está crucificado para nós, e nós para o mundo.

Ouvir o Senhor dizer: "Fazei isto em memória de mim" não é como se Ele dissesse: "Você sente minha falta?". E quando o apóstolo declara: "Anunciais a morte do Senhor, até que venha", isso não soa como: "Você realmente deseja que Eu volte?"

de 'BoaSemente' 

 

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Jovens Sábios

A juventude é uma época da vida emocionante e desafiadora. A transição de criança para adulto é cheia de maravilhas. A criança ganha independência, desenvolve uma personalidade ímpar, assume responsabilidades e, quase antes que alguém note, emerge como um adulto. 


Mas essa transição não é sempre fácil. Há tentações e desejos a serem superados. Há decisões a tomar que determinarão o futuro, pode ser até mesmo para a eternidade. Mas, jovem, você não foi deixado à deriva no mar revolto da vida, sem uma bússola. O Deus que o fez traçou o curso do sucesso e da segurança. Confie nEle e você chegará ao destino certo.

Freqüentemente associamos a sabedoria com a idade e os cabelos grisalhos. É verdade que as experiências na vida podem equipar-nos para manejar decisões e desafios maiores. Mas a idade não é garantia de sabedoria. Salmo 119:99-101 mostra como o jovem pode ser mais sábio do que o velho.

"Compreendo mais do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos. Sou mais prudente que os idosos, porque guardo os teus preceitos. De todo mau caminho desvio os pés, para observar a tua palavra."

As experiências ajudam, mas jamais servirão como substituto do estudo da palavra de Deus. Eu sou privilegiado por conhecer algumas das mais finas pessoas desta terra, e muitas delas ainda não completaram o 25º aniversário. Essas pessoas (moços e moças) são piedosas e sabem o que Deus quer delas e também possuem coragem para fazer a vontade dele. Elas podem estar rodeadas por um mundo cheio de sensualidade e egoísmo, mas são bastante fortes para serem diferentes. Elas me encorajam a ser uma pessoa melhor.

Graças a Deus pelos jovens que seguem as instruções que Paulo deu a Timóteo: "Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza" (1 Timóteo 4:12).

- por Dennis Allan


A Bíblia é o melhor presente


quinta-feira, 10 de abril de 2014

Qual é o alvo da nossa santificação pessoal?

"Quando desceu Moisés do monte Sinai, tendo nas mãos as duas tábuas do testemunho, sim, quando desceu do monte, não sabia Moisés que a pele do seu rosto resplandecia, depois de haver Deus falado com ele." Êxodo 34.29


A piedade inconsciente é algo maravilhoso. Ela é o irromper do esplendor da glória de Deus em uma vida humana. E esse esplendor é irradiado inconscientemente, porque é uma obra do Espírito Santo; não é o "eu" disfarçado religiosamente se tornando perceptível.

Qual é o alvo da nossa santificação pessoal?

O alvo de Moisés era o Senhor. Vivendo na presença do Senhor, ele irradiava a glória de Deus. Sua face brilhava porque ele permanecia persistentemente na presença de Deus. "...E lá permaneceu quarenta dias e quarenta noites." Poderia-se dizer: "Este homem realmente tomou tempo para ter comunhão com Deus." Mas é muito mais admirável a imensidão de tempo que o Senhor toma a fim de revelar Sua glória e Seus pensamentos a cada pessoa individualmente, a cada um que, como Moisés, anseia por isso. 

Sem dúvida, Moisés seria o primeiro a ter motivo para ficar nervoso e dizer: "Não tenho tempo, pois milhares de pessoas esperam por mim." Mas ele perseverou na presença do Senhor.

por Wim Malgo 

 

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Arrogância e orgulho

Há alguns que pensam que sabem tudo. Eles estão acima do estudo de suas lições, porque “já sabem”. Eles justificam a falta de estudo e de participação em aulas especiais porque são “experientes”. 

Nenhuma aula e nenhum professor tem bastante capacidade para ensinar-lhes, porque já sabem de tudo. 

Eles são orgulhosos até a medula e esse orgulho os levará à sua destruição pessoal (Provérbios 16:18; 18:12). 

A arrogância rapidamente se torna ignorância (Hebreus 5:11-12). 

Como pode alguém olhar para a Bíblia e dizer, de cara limpa, “Não tenho mais nada que aprender.” Isso é extrema ignorância.

por David Posey


segunda-feira, 7 de abril de 2014

A prática da confiança

Em Deus, cuja palavra eu exalto, neste Deus ponho a minha confiança e nada temerei [Salmo 56.4]

A plena confiança não surge de uma hora para outra. É gradativa. Vai crescendo aos poucos, vai se apoderando da pessoa, vai se avolumando, vai preenchendo a distância entre Deus e o homem.

A prática da confiança
se faz a partir da primeira resposta aos apelos de Deus e às promessas da sua Palavra. Ela precisa crescer ao ponto de aprender a esperar contra a esperança, isto é, a ter fé e esperança mesmo quando não há o menor motivo para crer, como aconteceu com Abraão. Este é o clímax da confiança.
[...]

A prática da confiança é a arte de colocar em Deus toda a capacidade de crer, em qualquer lugar, em qualquer tempo e em qualquer situação, mediante a negação da incredulidade própria e a afirmação da onipotência divina. É a capacidade de amarrar-se a Deus, e não aos problemas que tolhem a alegria de viver.
  
trecho do livro Práticas devocionais/Editora Ultimato. 



sábado, 5 de abril de 2014

Longanimidade - Devemos ouvir a voz de Deus hoje

Cada vez que seu coração bate, você está chegando um pouco mais perto do fim da sua vida na terra. Ou a sua morte ou a volta de Cristo vai pôr um ponto final na sua oportunidade de se preparar para o julgamento. 

Deus tem sido muito longânimo conosco, mas a longanimidade dEle não é eterna! Ou aceitamos o preço do resgate pago por Jesus, ou ficamos com uma eterna dívida que nunca será possível pagar. 
O livro de Hebreus, capítulos 3 e 4, cita o exemplo dos israelitas para ensinar uma lição importante aos servos de Cristo. Uma geração rebelde perdeu sua oportunidade e não entrou na terra prometida. 

Repetidamente, o autor nos convida a ouvir a voz de Deus hoje (3:7,15; 4:7). A longanimidade de Deus nos deu todos os minutos da nossa vida até o presente momento, mas não dá garantia de mais nenhum. 

Se deixarmos nossa oportunidade passar, pode ser tarde demais. No mesmo trecho onde Paulo nos relembra que todos seremos julgados por Cristo, ele diz: "E por isso que também nos esforçamos... para lhe sermos agradáveis" (2 Coríntios 5:9).
 
por Dennis Allan